“Comentários inaceitáveis”. Novo escândalo de racismo arrebata a família real britânica e causa demissão

3

Michael Garnett / Flickr

Família Real inglesa na varanda do Palácio de Buckingham

Uma funcionária terá insistido em questionar a nacionalidade de uma activista negra que dirige uma organização de caridade e participou num evento no Palácio de Buckingham. A família real já pediu desculpa.

A família real britânica está no centro de um novo escândalo de racismo. Uma funcionária que trabalha para a realeza demitiu-se após ter feito um comentário discriminatório a uma líder de uma instituição de caridade num evento organizado pela esposa do rei Carlos III, a rainha consorte Camilla.

Ngozi Fulani, uma mulher negra que dirige a organização caridosa Sistah Space, que apoia vítimas de violência doméstica, revelou que uma funcionária do Palácio de Buckingham lhe perguntou de onde ela era mesmo durante o evento de terça-feira.

“Estou com sentimentos contraditórios sobre a visita de ontem ao Palácio de Buckingham. 10 minutos depois de chegar, um membro do pessoal, Lady SH, abordou-me e mexeu no meu cabelo para ver a etiqueta com o meu nome”, relatou Fulani no Twitter.

A funcionária terá depois insistido em perguntar a Fulani qual era a sua nacionalidade, de que parte de África era oriunda e de onde era o “seu povo”, apesar de a dirigente da Sistah Space ter repetidamente dito que era inglesa. “Consigo ver que será um desafio dizer-me de onde veio”, terá ainda dito a trabalhadora do palácio.

https://twitter.com/Sistah_Space/status/1597854380115767296

 

A revelação causou um frenesim na imprensa britânica e nas redes sociais, tendo a funcionária já pedido desculpa e apresentado a sua demissão, relata a Reuters.

O Palácio de Buckingham já emitiu um comunicado onde condena os “comentários inaceitáveis e profundamente lamentáveis” feitos pela funcionária. “Levamos este incidente extremamente a sério e investigamos imediatamente o caso para entendermos os detalhes na íntegra”, pode ler-se .

A instituição acrescenta que contactou Ngozi Fulani para visitar novamente o Palácio e falar directamente sobre a sua experiência. “A indivídua envolvida gostaria de exprimir as suas profundas desculpas pela ofensa causada e afastou-se do seu cargo honorário com efeito imediato”, acrescenta.

“Todos os membros da família estão a ser relembrados das políticas de diversidade e inclusão que têm de defender em todos os momentos”, remata o comunicado.

Um porta-voz do Príncipe William também transmitiu a reacção do herdeiro da coroa ao caso. “Fiquei muito desiludido quando ouvi a experiência da nossa convidada. O racismo não tem lugar na nossa sociedade. Estes comentários foram inaceitáveis e é correcto que a indivídua se tenha afastado com efeito imediato”, considera.

  Adriana Peixoto, ZAP //

3 Comments

  1. É o problema do funil. Se for um americano, não perguntam, á conta do sotaque. Australiano idem. da outra coisa lá perto também não. Quanto ao resto, se não soa a british, só há uma solução – calar-se ou …. Palavra de angolano que o não pode ser devido a não passar despercebido.

  2. Não se percebe onde está o racismo. Se a Sistah Space, por definição, se dedica a apoiar mulheres com herança africana ou caribenha, por que diabo não será perfeitamente aceitável perguntar à sua representante qual é a sua origem?

    • E a resposta foi: Inglesa! Onde é que está a dificuldade? Questionar sobre “o seu povo” é uma atitude obviamente xenófoba, especialmente depois da resposta ter sido dada, para além de não ter nada que ver com isso. Foi mais um(a) idiota a tentar passar xenofobia por “curiosidade”! A curiosidade matou o gato….ou melhor, abateu-o! Que peninha…..

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.