Embalados pela ajuda económica dos EUA, responsáveis ucranianos recusam cenário de cessar-fogo

32

EPA

Volodymyr Zelenskyy, Ucrânia

Volodymyr Zelenskyy, presidente da Ucrânia

Plano sugerido e apoiado por alguns países europeus propõe cessar-fogo antes da retirada das tropas russas do território ucraniano, premissa que os representantes ucranianos não estão dispostos a aceitar. 

Ao longo dos últimos dias, sucederam-se os apelos de alguns líderes europeus para que os responsáveis ucranianos considerem participar em negociações de paz, tendo em vista o fim do conflito no seu território. No entanto, as condições em que o diálogo iria decorrer parece afastar Volodymyr Zelenskyy e os seus mais próximos de tal cenário.

Segundo avançou o jornal La Repubblica, o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano partilhou com António Guterres, secretário-geral da ONU, um esboço de um plano de paz que está em linha com as posições alemãs e francesas no que respeita ao fim da guerra. De acordo com o jornal Público, estes são mesmo os principais países dispostos a apoiar a solução, enquanto que Polónia, Reino Unido e Estados Unidos parecem apostados em apoiar os esforços ucranianos no terreno.

Contudo, a reação do lado ucraniano não foi positiva, com os altos responsáveis a acusarem os parceiros europeus de elaborarem um plano para “salvar a face” de Vladimir Putin, do qual fariam também concessões a nível territorial. “Queremos que o Exército russo saia da nossa terra. Nós não estamos em solo russo. Não pagaremos com o nosso território qualquer ajuda para salvar a face de Putin. Isso seria injusto.”

No plano proposto pelo principal diplomata italiano, o primeiro passo seria o cessar-fogo e a desmilitarização de ambas as forças, uma hipótese recusada pelo lado ucraniano, que tem vindo a reconquistar território ocupado pelas forças russas e se prepara para receber um avultado apoio financeiro dos Estados Unidos da América, na ordem dos 38 mil milhões de euros.

Este apoio segue-se a outras ajudas dos EUA, que já somam 47 mil milhões de euros. Trata-se de um valor superior ao orçamento anual de Defesa da Austrália, e numa ordem de grandeza semelhante ao montante anual anunciado pela Rússia, 62 mil milhões de euros. Embalados por este incentivo, os ucranianos querem continuar a defender o seu território, sendo improvável que concordem com um cessar-fogo.

Simultaneamente, existe também a sensação entre os decisores ucranianos que concordar em negociações de paz com Vladimir Putin não seria uma manobra entendida pela sua população, sobretudo depois do que o mundo testemunhou em Bucha e Irpin, onde se estima que o terror russo tenha atingido maiores proporções.

Ainda assim, dos Estados Unidos podem estar prestes a chegar más notícias. A contestação dos Republicanos aos apoios económicos e militares decididos pela Administração Biden é cada vez maior, não sendo expectável que os senadores do Partido Republicano permitam que a torneira se mantenha aberta durante muito mais tempo.

  ZAP //

32 Comments

  1. Depois da forma como foi tratada pela NATO, desde 1992, a Rússia só aceitará a paz nas suas condições. Que hoje em dia são a divisão da Ucrânia em duas partes, com o sudeste a constituir uma república independente, a Nova Rússia, e o resto desmilitarizado e fora da NATO. Quem não gostar desta solução que se atreva a fazer face à Rússia, militarmente. Já passou o tempo em que os EUA podiam impôr a sua vontade ao resto do mundo.

    • No entanto ainda bem que não vives na Rússia e tens a liberdade para dizer tanta parvoíce em qualquer consequência.

    • Não.
      A Rússia tem comportamento de criança birrenta e mal-criada. E a maneira de tratar dum miúdo birrento e mal-criado não é fazer-lhe as vontadinhas.
      Portanto ela pode fazer berreiro e dar os pontapés que quiser. Vai ter que aprender que não é assim. E um dia, quando crescer, vai agradecer.

    • Também já passou o tempo em que a Rússia podia fazer o que lhe aprouvesse nos territórios vizinhos! todos os impérios caiem um dia, mais tarde ou mais cedo…

    • Os russos são uns taditos, não é ? Principalmente quando andam a matar crianças e mulheres. Enquanto que a NATO, desde que apareceu, nunca matou russo algum.

    • Os americanos tomaram conta da Ucrânia desde o golpe de estado violento e anti democrático (também apoiado pela UE !!!!!!, dita democrática) que eles financiaram com muitos milhões de dólares e que teve lugar em 2014. A partir daí a Rússia defendeu-se e para proteger a importante base naval de Sevastopol no mar de Azov anexou a Crimeia, de outro modo a passagem dos navios do mar de Azov para o Mar Negro ficava comprometida pela Ucrânia, e eles não toleraram isso.

  2. Assim se vê quem quer que a guerra continue!
    Estes nazis ucranianos são mesmo radicais perigosos. Querem arrastar o mundo para uma guerra que pode acabar com a humanidade.
    O pior é que os americanos apoiam os nazis……..

    • Quem vai pagar as favas de mais uma aventura bélica americana (por procuração) vai ser a Europa e como tal nós também. Os americanos fizeram tudo o que puderam para que esta guerra acontecesse, tudo. E conseguiram. Desde o golpe de estado de 2014 consequência do financiamento de grupos extremistas com cerca de 5 mil milhões de dólares a todos os crimes inerentes. Até ao controlo da Ucrânia que posteriormente se tornou uma verdadeira colónia americana. Até à guerra xenofoba contra os ucranianos de origem russa onde foram chacinados muitos milhares de russo descendentes, numa clara provocação à Rússia. Ás ameaças de desenvolverem armas núcleares e ingresso na NATO tudo em hostilização seu vizinho. Fui um convite dos americanos para a guerra… Agora não se importam que os ucranianos morram eu seu benefício, como de costume…

        • Pago pelo Putin, com realização do Putin e com milhares de fãs espalhados pelo mundo mas que nenhum se atreve a ir viver para a Russia… lá é que estavam todos bem! Via o comunismo! lol

  3. Se dúvidas houvesse, confirma-se assim que há vontade de prolongar a guerra ( por procuração) em vez de procurar possibilidades ( mínimas ) para fazer a paz. E nós a pagar esta guerra estúpida, a uns com aumentos brutais nos combustíveis e a outros com a sua persistência em continuara guerra em vez de procurar a paz. Que pouca sorte/azar o nosso.

    • Quando lhe assaltarem a casa, violarem a sua mulher e matarem seu filhos e pais, saia de casa e aperte a mão aos assaltantes! assim, o assunto fica logo por ai e não haverá represálias.

  4. Que tal perguntar ao povo ucraniano, em referendo, o que está disposto a aceitar para acabar com uma guerra que muito dificilmente terá um vencedor?
    Não estou a ver o Putin e a sua clique a desistir da conquista do Donbass, nem os ucranianos a expulsarem completamente os ruzzos do seu território, mesmo com toda a ajuda ocidental. o que estou a ver é que o nacionalismo ucraniano cresceu e a NATO está a estender-se ainda mais para a fronteira russa – 2 coisas que o Putinho queria combater e tramou-se!

    • Isto é uma guerra entre os EUA e a Rússia. Os ucranianos são carne para canhão e os civis as vítimas inocentes. A UE politicamnte não existe e quando tira a cabeça do buraco é para apoiar os EUA e a sua NATO.

      • Então a guerra é entre os EUA e a Rússia e o cobarde do Putin anda a matar inocentes desarmados no Ucrânia, em vez de enfrentar os EUA??
        Que grande cobardolas!…

        • Sabe quem é cobardolas?
          Quem espalha guerras pelo mundo e depois, quando a coisa começa a aquecer, foge com o rabo entre as pernas e abandona os ‘amigos’ (ver Vietname, Afeganistão, etc.). Quem manda bombas atómicas para poupar os seus soldados (ver Hiroshima, Nagasáki).
          O mundo observa: na Síria, os russos arriscam a própria vida para apoiar os seus aliados; no Afeganistao, os americanos fogem que nem ratos e abandonam os seus próprios colaboradores à porta do aeroporto.
          Agora provocaram o Putin e estão felizes da vida: conseguiram uma guerra com a Rússia, mas quem dá o corpo às balas são os ucranianos.
          Para além de cobardes são o cúmulo da hipocrasia: dizem-se defensores da democracia, mas não hesitam (tal como no passado) em apoiar os mais nojentos criminosos desde que sirvam os seus interesses (que normalmente se resumem a negociatas – até vendem a própria alma se necessário). Agora, com a Ucrânia, até já apoiam regimes nazis.

  5. Os portugueses não são nem particularmente estúpidos nem ignorantes, e no entanto engolem a propaganda da NATO com uma tal facilidade que os leva a emitir opiniões que nada têm a ver com a realidade do mundo em que vivem. Por muito que desejem que a Rússia seja derrotada na Ucrânia, tal não vai acontecer. Utilizando apenas cerca de 15% do seu potencial militar, a Rússia destruiu a quase totalidade dos aviões, helicópteros, blindados, infraestruturas militares da Ucrânia, deixando-a incapaz de actuar militarmente fora das áreas urbanas. O combustível quase que acabou, as munições estão a faltar, e o equipamento enviado pelos países da NATO é em grande parter destruído antes de chegar às mãos dos soldados ucranianos. As principais vias de comunicação com o exterior, por onde poderia passar a ajuda militar, estão inutilizáveis. A derrota total da UCrânia é apenas uma questão de tempo. E se dura mais tempo do que muitos achavam que era necessário, é porque os russos tentam minimizar as perdas civis. Se actuassem na Ucrânia como os americanos actuaram no Iraque e na Síria, e já não haveria ucranianos para combater. Mas estou a perder o meu latim. Contra a máquina da propaganda, nada posso fazer. Resta-me a esperança de que os meus compatriotas acordem finalmente…

    • Certeiro comentário.

      Inicialmente pensei que o Putin estava delirante na justificação que apresentou para a operação falhada de liquidação do gnomo de Kiev e da sua clique, mas agora está à vista de quem tiver olhos para ver e cabeça para pensar que é urgente desnazificar e desmilitarizar. E não é só na Ucrânia.

    • Quem está a comandar a guerra do lado Ucraniano são os americanos. Os ucranianos são só carne para canhão ao serviço do império. A UE é um aborto político, paus mandados ao serviço da NATO, que permite que os americanos mandem e façam a guerra no nosso continente.

    • O Nuno C da Silva parece muito bem informado. Onde será que vai buscar essa informação toda, ao amigos de Moscovo? Cheira-me a saudades do império soviético, aquele que também fez operações militares especiais na Checoslováquia, na Hungria, no Afeganistão…

      • Ninguém no seu perfeito juízo defende uma guerra, onde tanta gente inocente morre ou sofre sem razão. Mas esta guerra até foi anunciada com muitos anos de antecedência. E nenhum país ocidental fez nada para a evitar, em especial os EUA. Parece até que seguiram todos os passos para a fomentar, era mesmo óbvio. Diria mesmo que foi provocada e a hipocrisia política e a mentira mediática fez o trabalho sujo de nos atirar areia para os olhos.. Estava tudo planeado? Se não estava pareceu mesmo…

    • Os teus compatriotas são os russos fanáticos que, embora vivam num país miserável, acham que são os donos do mundo e, com a brutal propaganda do Kremlin, não vai ser fácil acordarem!…
      Só mesmo quando ficarem ainda mais atrasados e a viver ainda pior…

  6. Não percebo se os apoiantes do cessar fogo são so comunistas apoiantes do Putin ou os fascistas apoiantes do Putin: hoje não há diferenças, ao contrário do tempo do 25 de abril…

    Qual cessar fogo, [email protected]@lho? Não chegam os acordos de Minsk e a invasão da Crimeia para perceberem que só com a derrota total da Rússia e do Putin haverá segurança na Europa?
    Ai a gasolina está cara e não sei o quê: os Ucranianos estão a morrer defendendo o País deles e a liberdade da Europa e queixam-se de incómodos!
    Até parece que foi a NATO que invadiu a Rússia: contem antes as “operações especiais” da Rússia desde que Putin está no poder e culpem a NATO, broncos da [email protected] E são “operações especiais” porque de acordo com a legislação Russa declarar guerra (não defensiva) dá direito a cadeia!
    Acodai, homens que dormis…

  7. O azeiteiro do putin ainda não ganhou isto porque não quis. Não sei qual a jogada dele, mas se ele quissesse atacava logo Kiev e ganhava a guerra. O putin deve ter alguma na manga. Por muita ajuda que seja prestada à Ucrânia, isto só vai arrastar a guerra e a russia vai sempre destruir o que bem lhe apetece. Se calhar o putin quer enfraquecer a Europa e outros países que apoiam a Ucrânia.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.