Diplomata iraniano condenado a 20 anos por ataque contra grupo de oposição exilado em França

Um diplomata iraniano foi julgado e condenado a 20 anos de prisão por planear um ataque terrorista contra um grupo de oposição exilado na França, após as autoridades terem encontrado uma bomba escondida num veículo.

Assadollah Assadi, que trabalhava na embaixada austríaca do Irão, teve a sua imunidade diplomática negada, visto estar de férias na Alemanha quando foi detido, avançou na quinta-feira a Sky News.

Os advogados do grupo de oposição, conhecido como MEK, alegaram que Assadi planeou o ataque a pedido das mais altas autoridades do Irão, embora Teerão tenha negado o envolvimento no caso.

Mais de meio quilo do explosivo TATP e um detonador foram encontrados na mala de um Mercedes, mandado parar pela polícia belga a 30 de junho de 2018. As autoridades tinham sido avisadas ​​pelos serviços de inteligência sobre um possível ataque à reunião anual do MEK, realizada naquele dia em Villepinte, no norte de Paris.

Especialistas informaram que o dispositivo era profissional e poderia ter causado uma explosão significativa no evento, onde se reuniram cerca de 25.000 pessoas. Entre os presentes estava o advogado de Donald Trump, Rudy Giuliani, o ex-presidente conservador da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos (EUA), Newt Gingrich, e a ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt.

Assadi foi detido na Alemanha um dia após a descoberta da bomba e transferido para a Bélgica. Como estava de férias quando foi preso, não teve direito à imunidade diplomática.

O diplomata transportou os explosivos do Irão para a Áustria através de um voo comercial. Assadi deixou a bomba numa pizzaria, onde o casal Amir Saadouni e Nasimeh Naami a recolheu. Após a recolha, colocaram o dispositivo na mala do veículo, que foi parado pela polícia. Foram condenados a 15 e 18 anos de prisão, respetivamente. Um quarto réu, Mehrdad Arefani, foi condenado a 17 anos.

O MEK (Mujahedeen-e-Khalq) costumava ser uma organização armada. Atualmente, opera como um grupo de oposição, tendo sido retirado das listas de terroristas dos EUA e da União Europeia após denunciar a violência e estabelecer ligações com políticos ocidentais, apoiando as sanções norte-americanas contra o Irão.

Assadi se recusou a testemunhar no julgamento e não compareceu à sentença de quinta-feira, que decorreu na cidade de Antuérpia, na Bélgica.

Taísa Pagno Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Autarcas e bombeiros exigem que Governo mantenha SIRESP a funcionar

As declarações do presidente da Altice Portugal de que o SIRESP ia "acabar a 30 de junho" fizeram soar os alarmes. Autarcas e bombeiros querem que o Governo mantenha a rede de emergência. Na quarta-feira, em …

Carlos Carreiras anuncia "vacina portuguesa" e causa mal-estar no Governo

O presidente da Câmara de Cascais afirmou que, "em completa articulação com o Governo", garantiu a compra e inclusive a cedência da patente de uma vacina para produzir na Área Metropolitana de Lisboa. Esta quarta-feira, num …

Pela primeira vez, Japão admite cancelar Jogos Olímpicos

O Japão admitiu pela primeira vez esta quinta-feira que o cancelamento dos Jogos Olímpicos, adiados desde o verão passado e com arranque marcado para 23 de julho, continua a ser uma hipótese em cima da …

Ataque de Sócrates ao PS é uma "tremenda injustiça". Costa não é um "traidor", diz Ana Catarina Mendes

A líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, criticou as declarações de José Sócrates que, em resposta a Fernando Medina, atacou a direção do partido. Em entrevista à TVI, na noite desta quarta-feira, José Sócrates respondeu …

Guardiola iguala recorde de Mourinho na Liga dos Campeões

Pep Guardiola igualou o recorde de presenças nas meias-finais da Liga dos Campeões. O espanhol tem agora as mesmas oito presenças de José Mourinho. Há muito tempo que Pep Guardiola enfrentava dificuldades nos quartos de final …

Responsável pela acusação da Operação Marquês fica fora da lista de promoções do MP

O procurador Rosário Teixeira, responsável pela acusação da Operação Marquês, não figura entre os candidatos da lista de promoções do Ministério Público — e já recorreu da decisão. O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) aprovou …

Investigação a ligações entre PJ e Doyen só ouviu 2 testemunhas antes de ser arquivada

A investigação a alegadas ligações entre um inspetor da PJ e representantes da Doyen, foi arquivada após apenas terem sido ouvidas duas testemunhas. A denúncia sobre estas alegadas ligações chegou da então eurodeputada Ana Gomes. Foi …

Depois de Benfica e Sporting, Beto também interessa ao FC Porto

Depois do interesse de Benfica e Sporting, o FC Porto também está atento a Beto, o avançado do Portimonense que tem dado cartas esta temporada. Se pensava que esta ia ser uma corrida de dois cavalos …

Depois de uma emergência a contragosto, decidem-se as medidas para a 3.ª fase do desconfinamento

Esta quinta-feira, o Conselho de Ministros decide se o desconfinamento avança na próxima segunda-feira. Em causa está o avanço da terceira fase como previsto, a estagnação dos concelhos de maior risco na segunda fase ou …

"O culpado sou eu". Abel Ferreira perde Supertaça sul-americana nos penáltis

O Palmeiras, de Abel Ferreira, falhou na quarta-feira a conquista da Supertaça sul-americana de futebol, ao perder com o Defensa y Justicia no desempate por grandes penalidades (3-4), depois do desaire por 2-1 nos 120 …