Desenterrada cápsula do tempo da Guerra Civil Americana com 135 anos

Uma “cápsula do tempo”, de 135 anos, com artefactos da Guerra Civil Americana foi desenterrada. Tinha três livros, um envelope e uma moeda.

A Guerra Civil Americana durou entre 1861 e 1865, tendo sido travada entra a União e os Confederados. A sua principal causa foi a longo controvérsia relativamente à escravização dos negros.

A guerra conheceu o seu fim no dia 9 de abril quando o general confederado Robert E. Lee se rendeu ao general Ulysses S. Grant, na Batalha de Appomattox Court House. A Confederação entrou em colapso, a escravidão foi abolida e mais de quatro milhões de escravos foram libertados.

Foi precisamente debaixo do sítio de onde costumava estar uma estátua de Robert E. Lee que conservadores norte-americanos desenterraram uma cápsula do tempo.

A caixa em questão esteve lá enterrada durante cerca de 135 anos e, segundo o Gizmodo, foram necessárias várias horas para conseguir abri-la em segurança, sem danificar o seu conteúdo.

O meticuloso trabalho dos investigadores do estado norte-americano da Virgínia resultou no achado de três livros, um envelope e uma moeda. Uma deceção, se tivermos em conta que se esperava que a cápsula do tempo tivesse 60 artefactos.

A caixa é feita quase inteiramente de chumbo e coberta com argamassa, o que fez de abrir a caixa um teste de precisão, paciência e força.

Para tristeza dos investigadores, os documentos encontrados dentro da caixa estavam altamente danificados por água e humidade. A situação piorou quando, ao abrir a caixa, os documentos foram ao expostos ao oxigénio. Os especialistas estão a tentar descobrir detalhes dos documentos.

A caixa foi descoberta quando a estátua de Robert E. Lee foi removida no início deste ano. A estátua em questão gerou polémica e um grande debate na altura, com ativistas a falarem numa glorificação dos Confederados.

Centenas de pessoas concentraram-se à distância para assistir à remoção da estátua. Algumas ergueram o punho, outras lançaram piadas ou emitiram gritos quando a imponente peça de bronze, de 12 toneladas e da altura de um edifício de seis andares, obra do artista francês Antonin Mercié, foi arrancada do seu pedestal.

Por sua vez, ao retirar o pedestal, os trabalhadores tropeçaram na cápsula do tempo. Os historiadores acreditam que a caixa remonta a 27 de outubro de 1887.

De acordo com o USA Today, um artigo de jornal de 1887 sugeria que a cápsula conteria artefactos da Guerra Civil e uma “fotografia de Abraham Lincoln deitado no seu caixão”.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE