Está provado: os Hobbits eram uma espécie à parte

Peter Brown / Universidade de New England

-

Os dentes de um fóssil conhecido como “hobbit” sugerem que este pertencia a uma espécie única, e não a um humano com um distúrbio de crescimento. A nova pesquisa sugere também que estes hobbit pode partilhar um ancestral direto com os humanos modernos.

Um fóssil de humano antigo, com apenas 90 centímetros, e cuja pequena estatura lhe granjeou o apelido de “hobbit“, tem intrigado os cientistas evolucionistas desde que os seus pequenos ossos foram descobertos na ilha indonésia de Flores.

Os fósseis com 18 mil anos foram descobertos em 2003, e desde então os cientistas têm sugerido que o hobbit, que tinha um cérebro do tamanho de uma toranja, era um ramo da linhagem humana, a Homo floresiensis.

No entanto, outros investigadores argumentavam que este “hobbit” era na verdade um humano moderno com microcefalia, uma doença que motiva uma cabeça anormalmente pequena, um corpo pequeno e um certo atraso mental.

Para saber mais sobre este hobbit, os cientistas realizaram a primeira análise profunda dos dentes deste (aparente) humano antigo. Os investigadores compararam os 40 dentes conhecidos do hobbit com os de 490 humanos modernos da Ásia, Oceânia, África e Europa, assim como de uma variedade de hominídeos extintos, como o Homo habilis – que se considera estar entre os primeiros fabricantes de ferramentas de pedra.

Os investigadores descobriram que os dentes de hobbit eram tão pequenos como os dos humanos modernos baixinhos, mas outras características destes dentes pareciam completamente diferentes dos humanos modernos.

De acordo com os investigadores, os dentes de hobbit mostravam um mosaico único de traços vistos em hominídeos primitivos misturados com traços mais avançados visto em hominídeos posteriores. Por exemplo, os dentes caninos e pré-molares pareciam primitivos, enquanto os dentes molares pareciam mais avançados, ou como se tivessem surgido mais tarde na evolução do Homo sapiens.

Estes resultados, publicados na PLoS ONE, contradizem as afirmações anteriores de que os hobbits possuíam dentes semelhantes aos dos humanos modernos, e sugerem também que os hobbits não eram apenas seres humanos modernos com anomalias graves.

Os investigadores descobriram que características dentárias primitivas do hobbit são mais semelhantes a espécimens do Homo erectus – o mais antigo ancestral dos humanos modernos – da ilha indonésia de Java. Contudo o Homo erectus era tão alto quanto os humanos modernos.

Os cientistas sugerem que em ilhas isoladas, os antepassados do hobbit sofreram um nanismo dramático, com os seus corpos a encolherem de cerca de 1,65 para 1,1 metros, e cérebros a minguar de cerca de 860 cm3 para 426 cm3.

“Este trabalho pode virar a maré no que toca à questão da origem evolutiva do Homo floresiensis“, afirma ao Live Science o principal autor do estudo, Yousuke Kaifu, paleoantropólogo no Museu Nacional de Natureza e Ciência de Tóquio.

Enquanto a linhagem humana no geral evoluiu ao longo do tempo para corpos e cérebros maiores, este “hobbit” sugere que o isolamento nas ilhas poderia reverter substancialmente esta tendência evolutiva, pondera Kaifu.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …

Braga vence FC Porto e conquista Taça da Liga. Sérgio coloca lugar à disposição

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham …

Rara moeda de ouro com a cara de Eduardo VIII vendida por preço recorde

Uma rara moeda de ouro com o perfil do rei britânico Edward VIII foi vendida a um comprador particular pelo valor recorde de 1,3 milhões de dólares. A informação é avançada pela Royal British Mint, a …

Depois dos incêndios, Austrália está prestes a experimentar uma "bonança" de aranhas mortais

Depois dos incêndios florestais que assolaram o país, os australianos começaram a implorar por chuva. O bónus de aranhas mortais não estava incluído no pedido, mas os especialistas do Australian Reptile Park acreditam que é …

Governo admite retirar cidadãos nacionais de Wuhan

As autoridades portuguesas estão a cooperar com outros países europeus para reforçar o apoio aos cidadãos nacionais que se encontram em Wuhan, onde ocorreram os primeiros casos do novo coronavírus, admitindo a possibilidade de retirá-los …

Os cogumelos podem ser muito mais antigos do que pensávamos

Os cogumelos podem ser mais antigos do que pensávamos, concluíram cientistas que dataram vestígios de micélio (constituinte dos cogumelos) com 800 milhões de anos, divulgou esta quarta-feira a Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. Estudos anteriores …

Comer iogurte natural pode ajudar a reduzir o risco de cancro da mama

Uma das causas mais apontadas para o cancro da mama é a inflamação causada por bactérias nocivas. Esta tese ainda não foi provada, mas é apoiada pelas evidências até agora disponíveis de que a inflamação …

Primeiro caso suspeito de infeção por coronavírus detetado em Portugal

Foi detetado o primeiro caso suspeito de infeção infeção pelo novo coronavírus , em Portugal, anunciou este sábado a Direção-Geral de Saúde. “Este doente, regressado hoje [este sábado] da China, onde esteve na cidade de Wuhan …

Slava Semeniuta transforma chuva em atmosfera néon

O artista e fotógrafo russo Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, mistura elementos naturais e faz mágica com eles. Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, retoca fotografias de poças de água para criar composições …

Empresa quer vender dispositivos que extraiem água potável do ar

A empresa israelita Watergen está a planear começar a vender uma versão para o consumidor do seu aparelho que extrai água potável do ar ainda este ano. A tecnologia do gerador atmosférico da empresa está em …