Criptomoeda do Facebook pode “limitar capacidade” do BCE na política monetária

A criptomoeda do Facebook, a Libra, poderá “limitar a capacidade” do Banco Central Europeu para estabelecer a sua política monetária, alertou o membro da Comissão Executiva, Yves Mersch.

A criptomoeda do Facebook – Libra – poderá “limitar a capacidade” do Banco Central Europeu (BCE) para estabelecer a sua política monetária, advertiu esta segunda-feira o membro da Comissão Executiva do supervisor do sistema financeiro europeu, Yves Mersch.

Numa conferência em Frankfurt, na Alemanha, Yves Mersch avisou que a criptomoeda do Facebook ao limitar a capacidade do BCE “converter-se-ia num risco potencial” para os Estados-membros da União Europeia.

O grupo tecnológico Facebook e 27 outras entidades que formam a Associação Libra (entre elas Visa, Mastercard, Uber, Lyft, PayPal, eBay, Vodafone e Spotify) anunciaram a criação desta criptomoeda em 2020, podendo ser usada no WhatsApp e no Messenger.

“Dependendo do nível de aceitação da Libra e do papel do euro no cabaz de moedas de reserva, poderia reduzir o controlo do BCE sobre o euro“, avisou Mersch, citado pela Bloomberg. E prosseguiu: “Espero sinceramente que a população da Europa não seja tentada a deixar para trás a segurança e solidez das soluções de pagamentos estabelecidas”, lembrando que se trata de uma “cativante, mas traiçoeira promessa”.

Como explicou o Facebook aquando da apresentação da libra, no início de junho, a diferença para outras criptomoedas, como a bitcoin, teria a ver com o facto de a Libra estar apoiada num cabaz de ativos (subjacentes), nomeadamente noutras moedas e ter, além disso, uma reserva constituída por depósitos bancários e dívida de vários países, que estabeleceriam o seu valor.

Mersch alertou ainda para o risco que existiria no caso de ocorrer uma “redução da procura” da Libra, pois, advertiu, poderia afetar “a liquidez do sistema financeiro” da zona euro e do papel internacional da moeda comunitária”.

O membro da Comissão Executiva do BCE considerou também que “as moedas privadas têm poucas ou nenhumas perspetivas de tornarem-se alternativas viáveis às moedas emitidas pelos bancos centrais”.

“Espero sinceramente que a população da Europa não se sinta tentada a abandonar a segurança e a solidez das soluções e canais de pagamento estabelecidos a favor das promessas sedutoras, mas traiçoeiras, dos cantos de sereia do Facebook”, lembrou.

Mersch afirmou ainda que “o dinheiro somente pode cumprir a sua função se estiver apoiado por um Estado“, ou seja, “pelo setor público”, lembrando também que o ecossistema da Libra “é não só complexo, como é parecida a um cartel”, uma vez que, esclareceu, “os conglomerados de entidades empresariais só prestam contas aos seus acionistas e membros”, o que os diferencia dos bancos centrais.

Em 10 de julho, o presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Jerome Powell, disse no Congresso que o projeto de criptomoeda do Facebook suscitava “grandes preocupações” relativas a proteção de dados e estabilidade financeira.

Poucos dias depois, o grupo tecnológico Facebook assegurou que não lançaria a sua criptomoeda Libra até serem esclarecidas todas as “preocupações regulatórias e ter recebido as aprovações necessárias”, o que seria “um longo” caminho.

Os ministros das Finanças do G7, em 17 de julho deste ano, chegaram a um consenso sobre “a necessidade de agir rapidamente” quanto ao projeto de criação desta criptomoeda.

Aquando da apresentação pelo Facebook da Libra, o grupo tecnológico disse que a criptomoeda iria ser gerida pelo consórcio de empresas agrupadas sob a direção da Associação Libra, com sede em Genebra, Suíça.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Desmantelada rede criminosa ligada à imigração ilegal para a Europa

A polícia italiana deteve hoje 19 pessoas de uma rede criminosa dedicada ao tráfico e transporte ilegal de migrantes do Afeganistão, Irão, Iraque e Paquistão para a Itália e, posteriormente, para o norte da Europa, …

Nasceu o SeeArch, uma espécie de colete salva-vidas para resgates em mar aberto

Se uma pessoa se separar da sua embarcação em mar aberto, permanecer à tona não é o único desafio. Ser visto pelos salvadores é uma missão importante que o novo SeeArch, usável e insuflável, vai …

Há 127 concelhos que vão manter os limites no fim de semana. Saiba quais

Os concelhos que mantém risco muito elevado e extremamente elevado terão de manter até dia 23 deste mês as atuais restrições, incluindo de limitação de circulação ao fim de semana. Houve 27 concelhos que saíram …

Piscina mais profunda do mundo inaugurada na Polónia

Com 45 metros de profundidade, a piscina Deepspot foi recentemente inaugurada na Polónia. Vai servir de zona de treino para mergulhadores, bombeiros e forças armadas. A piscina mais profunda do mundo foi inaugurada esta semana em …

Mais 6087 novos casos de covid-19 em Portugal. Este é o maior número da semana

Portugal registou este sábado 6087 novos casos e 73 mortes por covid-19. No total, mais de 318 mil pessoas já foram infetadas com o novo coronavírus e 4876 morreram. Nas últimas 24 horas, mais 6165 …

Sedada e com um capuz sobre os olhos, a girafa Asiwa foi resgatada de uma ilha no Quénia

Conservacionistas, autoridades do Governo e membros da comunidade local uniram-se para resgatar oito girafas numa ilha no Quénia. A população de girafas em África tem diminuído nas últimas décadas devido à perda de habitat e à …

Governo mantém restrições. Exceções no Natal, mas no Ano Novo volta a ser proibida a circulação entre concelhos

António Costa falou hoje ao país para anunciar as novas medidas para a quadra festiva. O primeiro-ministro revelou que no Natal as medidas serão aliviadas, como já se esperava, porém voltam a apertar no Ano …

Joe Biden está a planear uma tomada de posse em versão reduzida. Trump pode não marcar presença

A pouco mais de um mês de tomar posse como Presidente dos EUA, Joe Biden anunciou que está a planear reduzir a dimensão da cerimónia para garantir a segurança devido à pandemia. Segundo o Público, Joe …

O Peru enfrenta o maior desafio político desde a ditadura de Fujimori. A responsabilidade está nas mãos de Sagasti

O novo presidente do Peru assumiu o cargo em 17 de novembro em circunstâncias nada desejáveis. O país, que até ao ano passado vinha a ser apontado como um exemplo na área económica, enfrenta agora …

Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira. As descobertas sobre os …