Correntes oceânicas estão a neutralizar os efeitos do aquecimento global na Antárctica

Correntes oceânicas frias e profundas do Atlântico Norte estão a neutralizar o efeito do aquecimento global na Antártica e a retardar o aumento do nível dos mares, revela um novo estudo, publicado esta segunda-feira. 

Segundo o estudo, publicado esta segunda-feira na revista britânica Nature Geoscience, este isolamento gelado do continente, que está coberto com uma camada de gelo de até quatro quilómetros de espessura, pode durar séculos.

As conclusões do estudo são uma boa notícia para centenas de milhões de pessoas: as que vivem em regiões baixas e estão ameaçadas pela subida iminente de até um metro no nível dos mares, que deve acontecer até o final do século, de acordo com o último relatório do Painel de Ciência do Clima da ONU.

Estudos mais recentes sugerem que o nível da água dos mares pode aumentar ainda mais, impulsionado pela água da superfície, que se expande à medida que aquece, e pelo escoamento das geleiras e de duas grandes camadas de gelo.

Uma dessas camadas de gelo cobre a Gronelândia, e a outra fica na Antárctica Ocidental – a zona do continente que está a aquecer mais rapidamente.

Se a Antárctica Oriental estivesse a fundir ao mesmo ritmo, o impacto sobre as povoações humanas ao longo das costas em todo o mundo seria catastrófico.

Os cientistas já sabem há muito tempo que as mudanças climáticas têm afectado o Oceano Antártico mais lentamente do que os outros oceanos nos últimos 50 anos.

A resistência do Antárctico ao aquecimento global é devido à vastidão da camada de gelo do continente, e aos ventos e às correntes oceânicas, que funcionam como uma zona de protecção.

Mas o estudo agora publicado atribui o motivo fundamental dessa resistência a um cinturão de correntes oceânicas profundas, que transporta água gelada a uma temperatura de cerca de 1ºC.

“O principal motivo do atraso no aquecimento do Oceano Antártico é a circulação oceânica de fundo”, afirma a equipa de cientistas, liderada pelo biólogo Kyle Armour, investigador da Universidade de Washington em Seattle.

Para os investigadores, os gases causadores de efeito estufa, que estão a provocar secas, tempestades e instabilidade climática no resto do planeta, vão demorar “muitos séculos” a ter um impacto significativo no Oceano Antártico.

Essa conclusão não anula, porém, o facto de que, mesmo em menor escala, o aquecimento global pode causar danos.

De acordo com um outro estudo, publicado na semana passada, uma calote polar do tamanho da França na Antárctica Oriental está a perder água rapidamente.

E essa perda, por si só, pode elevar o nível dos oceanos em cerca de dois metros em poucos séculos.

EcoD

PARTILHAR

RESPONDER

Foi um asteróide (e nada mais do que um asteróide) que dizimou os dinossauros

Uma equipa internacional de cientistas acaba de reafirmar que foi um asteróide - e nada mais do que este corpo rochoso - que dizimou os dinossauros da face da Terra há cerca de 66 milhões …

Descoberta classe de objetos bizarros perto do enorme buraco negro da Via Láctea

Astrónomos da Iniciativa Órbitas do Centro Galáctico da UCLA (Universidade da Califórnia) descobriram uma nova classe de objetos bizarros no centro da Via Láctea, não muito longe do buraco negro supermassivo chamado Sagitário A*. "Estes objetos …

David Lynch lança curta-metragem no Netflix em dia de aniversário

O realizador norte-americano lançou no Netflix, esta segunda-feira, uma curta-metragem de 17 minutos. David Lynch lançou, esta segunda-feira, no dia do seu 74.º aniversário, uma curta-metragem de 17 minutos no Netflix, escreve o jornal Público. "What Did …

Dois homens confessam ter roubado (e depois devolvido) quadro de Klimt

A dupla de assaltantes disse que tinha roubado a pintura, em fevereiro de 1997, e que a devolveu "como um presente para a cidade". Dois homens confessaram ter roubado, e logo depois devolvido, a pintura de …

Ozzy Osbourne revela que tem Parkinson

O músico britânico, de 71 anos, revelou, esta terça-feira, que foi diagnosticado com a doença de Parkinson. De acordo com o The Guardian, Ozzy Osbourne fez esta revelação durante uma entrevista no programa Good Morning America, …

Jorja Smith regressa ao NOS Alive em 2020

A cantora britânica é a mais recente confirmação do NOS Alive 2020. O Passeio Marítimo de Algés volta assim a receber Jorja Smith pelo segundo ano consecutivo. “A artista que fez história com um dos concertos …

Confirmada a autenticidade de um raro auto-retrato de Van Gogh

Os principais especialistas holandeses da obra de Van Gogh concluíram que um auto-retrato de 1889 foi realmente pintado pelo artista. A notícia é avançada pelo jornal local holandês Dutch News, que recorda que a autenticidade desta …

Serviço de streaming Disney+ chega a Portugal no verão

O serviço de streaming da Disney chega à Europa a 24 de março. Reino Unido, Irlanda, França, Alemanha, Itália, Espanha, Áustria e Suíça serão os primeiros países a receber o Disney+. Em Portugal, a plataforma …

Tal como os cães, lobos bebés também brincam ao "busca" (e surpreendem os cientistas)

Brincar ao "busca" com o seu cão não é tão fácil como parece. É uma habilidade tão avançada que muitos cientistas acreditam que só terá aparecido após milhares de anos de domesticação. No entanto, isto pode …

Corpo de Paulo Gonçalves chega a Portugal na quinta-feira

O corpo do piloto português chega a Portugal, esta quinta-feira, ao final da manhã, disse à agência Lusa fonte da Secretaria de Estado das Comunidades. O corpo de Paulo Gonçalves, que morreu na sequência de queda na sétima …