/

Cientistas podem ter encontrado um pedaço do planeta Theia dentro da Lua

31

Há 4,5 mil milhões de anos, um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia, colidiu com a Terra primitiva. Acredita-se que este objeto se fundiu com a Terra e formou a Lua. Agora, pela primeira vez, os cientistas acreditam que encontraram vestígios de Theia na Lua.

Os modelos prediziam que entre 70% e 90% da Lua seria composta pela Theia. Porém, os isótopos de oxigénio nas amostras lunares colhidas pelos astronautas da Apollo eram muito semelhantes aos isótopos de oxigénio terrestres – e muito diferentes dos isótopos de oxigénio noutros objetos do Sistema Solar.

Uma explicação possível é que a Terra e Theia tinham composições semelhantes. Outra é que tudo ficou misturado durante o impacto, o que, de acordo com as simulações, não é muito provável.

As hipóteses de Theia ter uma composição semelhante à Terra são extremamente pequenas, o que significa que, se a Lua é principalmente feita de Theia, os seus isótopos de oxigénio devem ser diferentes dos isótopos de oxigénio da Terra.

Essa estreita semelhança tem intrigado os cientistas nos últimos anos. Foi aí que a ideia de que Theia se fundiu com a Terra se originou. Enquanto uns cientistas sugeriram que o impacto criou uma nuvem de poeira que se tornou Terra e Lua, outros sugeriram que Theia e a Terra se formaram muito próximo uma da outra.

No entanto, o cientista planetário Erick Cano e os seus colegas seguiram uma rota diferente e decidiram analisar as amostras lunares. Os investigadores adquiriram uma variedade de amostras de diferentes tipos de rochas da Lua e, para a análise, modificaram uma técnica de análise de isótopos padrão para produzir medições de isótopos de oxigénio de alta precisão.

Esta análise fez com que a equipa descobrisse algo novo: a composição isotópica do oxigénio variava dependendo do tipo de rocha testada. Quanto mais profundas a origem da amostra de rocha, mais pesados os isótopos de oxigénio, em comparação com os da Terra.

Esta diferença poderia ser explicada se apenas a superfície externa da Lua fosse pulverizada e misturada durante o impacto, resultando na semelhança com a Terra. Porém, no fundo da Lua, permaneceu um pedaço de Theia relativamente intacto – e os seus isótopos de oxigénio mantiveram-se perto do seu estado original.

O estudo, que foi publicado este mês na revista científica Nature Geoscience, afirma que esta é uma evidência bastante clara de que Theia pode ter-se formado mais longe no Sistema Solar e movido-se para dentro antes da colisão.

“Este resultado elimina a necessidade de modelos de impacto gigante incluírem um mecanismo para homogeneização completa de isótopos de oxigénio entre os dois corpos e fornecem uma base para modelagem futura do impacto e da formação lunar”, escreveram os cientistas.

Os seres humanos não põem os pés na Lua desde 1972, por isso as rochas da Lua disponíveis para análise são escassas e replicar os resultados pode ser complicado por enquanto. No entanto, nos próximos anos, poderemos ver missões tripuladas a regressar à superfície lunar para continuar a estudar o nosso satélite natural.

ZAP //

31 Comments

  1. Penso da seguinte maneira: Vem ano e passa ano, os cientistas publicam uma nova teoria de alguma coisa, e depois outros cientistas cancelam a teoria anterior e inserem uma nova! O ovo fazia mal e agora faz bem, o mesmo aconteceu com o café! Até ontem existia um tipo de matéria escura, agora já é outra! A Terra está aquecendo, outros dizem que está esfriando! Então eu pergunto: A ciência está a serviço de quem?

    • Amigo, a Astronomia, mais que qualquer outra ciência, lida com assuntos muito novos e complexos. Além do mais a verdade científica não é verdade definitiva, ela pode ser contestada a qualquer momento. E certos assuntos nem deviam estar abertos à discussão laica.

    • Nada como os brasileiros alienados das teorias da conspiração para nos fazer ri…
      Tu, coitado, ainda nem sequer conseguiste perceber o que é a ciência, quanto mais…

      • O eu patrão que te paga o RSI disse-te para espalhares teorias da conspiração e tu assim papagueias. Coitadinho de ti até metes dó de tanta palermice.

    • A única verdade é que o homem cria suas próprias teorias , e se confunde no seu próprio conhecimento.
      A inconstância do ser humano , deixá-o sem norte, mas o homem que busca a Deus nosso Senhor, tem uma admirável sabedoria.

    • Diz o ditado que só os burros é que não aprendem. Os cientistas mudam de ideias porque vão aprendendo, porque não param no tempo, como tu.

    • Caro leitor,
      Obrigado pelo seu reparo.
      Em português de Portugal, bilhões são bilhas muito grandes.
      Existem, sim, biliões — mas antes deles, estão os tais milhares de milhões que o desorientaram.

      • Liga não. Brasileiro é o ser mais tapado do mundo, haja vista os demais comentários acima, e se acha o dotado de toda inteligência e razão.

        • Concordo. Pelo menos em grande parte, já que 57 milhões de brasileiros são realmente tapados, porém somos 230 milhões de brasileiros, portanto os imbecis não são maioria. Mas tem alguns portugueses duros de aguentar também meu camarada.

          • 57 milhões de brasileiros são tapados??? Bom, menos mal né, pior se fossem ladrões, como são os que vc defende, e pra mim, quem defende ladrão, ladrão é, vc tbm. Então melhor tapados, que lutam.por um país melhor; do que um canalha traidor e sabotador do país como vc e os demais ptralhas. É nem responde cara; cala tua boca. Eu tenho nojo de vagabundos quadrúpedes como vc. Cala a tua boca(ânus).

            • Fiquei realmente impressionado com sua capacidade argumentativa. Mostra com clareza que meu comentário foi assertivo. Cada um responde como pode. Quem defende energúmeno, ignorante, queiroz, miliciano, assassino, é o que?

  2. Minha opinião é de que em vez de ficar em ir e descobrir o longínquo seria focar em descobrir melhor o que nosso vizinho A LUA, tem a nos oferecer e dar um passo de cada vez, quando colonizarmos e montarmos bases científicas pra poder testar e estudar tudo, ficaremos somente no achismo.

  3. Na minha teoria a lua choco-se com a terra no lugar onde é as fossas das Marianas, mas não penetrou e rolando pela superfície da terra quebrou e afundou as placas tectônicas, enfiando debaixo das outras levantando as Américas que depois quebraram e fizeram a África e outros!
    Támbem determinou a rotação da terra e a posição em relação ao sol e planetas!
    Já pesquisei: se encontra conchinhas nas partes mais altas dos altipanos da Bolívia e agora resíduos da terra na lua!
    Pelo Google hearth dá bem para observar essa teoria!
    O local do impacto e os rastros no fundo do mar e as consequências!

    • Também me divirto vendo os comentários. A imaginação das pessoas vai longe. Tem umas explicações muito interessantes, e outras provocam boas risadas. Ver comentários acaba sendo uma terapia, a não ser quando o nível baixa muito aí não é legal. Salve bendito povo brasileiro, além da imaginação. Fé na vida, sempre. Obrigada pelas supostas descobertas sobre origem da Lua, Terra, etc.

  4. A meu ver, acho que terra e lua foram criadas juntas, como vemos estrelas duplas, mas nesse tempo, eram massas voláteis quentes, e foram esfriando, e nesse processo de resfriamento a parte liquida foi se formando, e metais , e a química desses metais criou a atmosfera e com o tempo , após uma grande fase de vulcanismo, pois a parte líquida , que era muito grande, foi assim dando espaço aos continentes e moldando no processo as camadas protetoras dos raios UV , abrindo para o surgimento das bactérias e o planeta começa a ter vida, Água, fogo, terra e ar. Os metais mais pesados formaram o núcleo e assim o motor gerador da energia eletromagnética forma o escudo prospetos que garante , até os dias atuais, o paceio da terra na atmosfera da estrela Sol, onde as tempestades são terríveis emitindo forças que poderiam impedir o surgimento de vida.Mas , de certa forma, são muitos os acasos que permitiram que o planeta obrigasse vida. É isso , para mim, só existe prova maior de que um Criador a fez.
    – Na Real somos pó mesmo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.