Cientistas ligam cesariana a aumento do risco de obesidade

Uma grande investigação, realizada nos EUA, sugere que crianças que nasceram de cesariana têm um maior risco de vir a desenvolver obesidade, principalmente quando comparadas a irmãos nascidos de parto normal.

Os investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, sugerem que as crianças nascidas de cesariana apresentam maiores riscos de vir a desenvolver obesidade, escreve a BBC.

A equipa afirma que isto pode ocorrer porque os bebés nascidos de parto normal são expostos a bactérias saudáveis, presentes no corpo da progenitora, que têm um papel importante para regular a sua dieta.

No entanto, outros especialistas declaram que pode haver outros fatores que influenciam a saúde da criança no futuro.

Entre estes fatores podem estar, por exemplo, a própria dieta da mãe, se esta teve ou tem diabetes e se o bebé foi amamentado.

Bebés que nascem de cesariana têm menos hipóteses de vir a ser amamentados e já foi provado que a falta de leite materno no início de vida pode aumentar o risco de obesidade.

O estudo, agora publicado na revista especializada Jama Pediatrics, acompanhou 22 mil bebés até à idade adulta.

Os investigadores americanos descobriram que os bebés que nasceram de cesariana tinham 15% mais hipóteses de vir a desenvolver obesidade.

Em famílias nas quais os filhos nasceram por métodos diferentes, os que nasceram por cesariana tinham 64% mais possibilidades de ser obesos, comparando com os irmãos nascidos através do parto normal.

Optar por uma cesariana

Porém, de acordo com Simon Cork, investigador associado do Departamento de Medicina Investigativa do Imperial College de Londres, no Reino Unido, existem muitos outros fatores que devem ser considerados quando se trata do risco de obesidade e não apenas o tipo de parto.

“No geral, a bibliografia sobre esta área sugere que pode haver uma ligação entre a cesariana e a obesidade. Mas esta ligação não está totalmente comprovada nem compreendida”, declara.

“Os partos por cesariana são, frequentemente, resultado de uma necessidade médica e, por isso, este risco supera qualquer preocupação da mãe com a possibilidade de, no futuro, as crianças terem problemas ligados ao peso”, explicou.

Neena Modi, presidente do Royal College of Paediatrics and Child Health, afirmou que ainda são necessárias mais pesquisas para comprovar se a cesariana aumenta mesmo a possibilidade de obesidade.

“A cesariana pode salvar as vidas de mulheres e dos seus filhos. Mas, nos dias de hoje, muitas mulheres estão a considerar a possibilidade de uma cesariana quando não é uma indicação do médico”.

“É importante que estas mulheres sejam informadas sobre a possibilidade do aumento do risco de obesidade nos filhos para ajudá-las a fazer uma escolha mais esclarecida“, alertou.

“Também é importante que os pais se concentrem em fatores que podem influenciar e que, definitivamente, têm um impacto na saúde da criança. Isto inclui manter um peso saudável na época da concepção e também durante a gravidez”, acrescentou.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …