Cientistas criam sistema capaz de traduzir sinais cerebrais em discurso

Neuroengenheiros e neurocientistas criaram, com base na inteligência artificial, um sistema que dizem ser capaz de traduzir sinais cerebrais em discurso inteligível e que poderá ser promissor para pessoas com deficiência ou incapacidade na fala.

Ao monitorizar a atividade cerebral de uma pessoa, a tecnologia “consegue reconstruir, com uma clareza sem precedentes, as palavras que a pessoa ouve“, refere em comunicado o Instituto Zuckerman da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, que participou no trabalho.

Os resultados foram publicados hoje Scientific Reports e, segundo a equipa de neuroengenheiros e neurocientistas envolvida no trabalho, podem abrir caminho para novas formas de comunicação direta entre os computadores e o cérebro e ajudar pessoas que não podem falar – tais como as que têm esclerose lateral amiotrófica ou sofreram um acidente vascular cerebral – a recuperarem a capacidade de comunicação.

Para conduzirem a sua tarefa, os cientistas usaram um sintetizador de voz humana , semelhante ao usado pelo astrofísico Stephen Hawking, em que um algoritmo num computador é capaz de sintetizar a fala depois de ter sido treinado com registos de conversação de pessoas.

O sintetizador foi ‘ensinado’ a interpretar a atividade cerebral de doentes epiléticos que ouviram frases ditas por várias pessoas. Aos doentes foi pedido que ouvissem também pessoas a enumerarem dígitos de 0 a 9 enquanto os sinais cerebrais por eles emitidos durante esta tarefa eram registados.

O som produzido pelo sintetizador em resposta a estes sinais foi depois analisado e ‘limpo’ por redes de inteligência artificial que mimetizam a estrutura dos neurónios no cérebro. O resultado obtido foi uma voz robótica a recitar uma sequência de números.

Para testar a fiabilidade da gravação, a mesma equipa científica pediu aos doentes para que ouvissem o registo e relatassem o que tinham ouvido.

“O sintetizador e as redes neuronais de inteligência artificial interpretavam com uma exatidão impressionante os sons que os doentes tinham inicialmente ouvido”, defendeu o professor Nima Mesgarani, autor principal do estudo e investigador no Instituto Zuckerman da Universidade Columbia.

Num próximo passo, o seu grupo de trabalho pretende testar o sistema com palavras e frases mais complexas e pô-lo a traduzir para discurso verbal sintetizado sinais cerebrais emitidos quando uma pessoa está a pensar.

ZAP // Lusa / New Scientist

PARTILHAR

RESPONDER

Um ano após o confinamento de Wuhan o mundo continua em crise devido à covid-19

Quase um ano depois da imposição do confinamento na cidade de Wuhan para travar o vírus SARS-CoV-2, que se assinala este sábado, o mundo continua em luta contra a pandemia, apesar do aparecimento de vacinas. A …

Pessoas com certas características podem ser mais suscetíveis a "ouvir" os mortos

Uma equipa de cientistas identificou certas características que podem tornar as pessoas mais suscetíveis a alegar que “ouvem” os mortos. Um novo estudo sugere que as pessoas que se descrevem como "clariaudientes" - em oposição a …

Sporting 1 - 0 SC Braga | Leões conquistam Taça da Liga com golo de Porro (e algum sofrimento)

O Sporting reconquistou hoje a Taça da Liga de futebol, ao vencer na final o Sporting de Braga, por 1-0, em Leiria, com um golo de Pedro Porro e enorme resistência durante a segunda parte. O …

Estados Unidos querem rever o acordo com rebeldes talibãs no Afeganistão

Os Estados Unidos indicaram hoje às autoridades afegãs o seu desejo de rever o acordo entre o Governo norte-americano e os talibãs, assinado em fevereiro de 2020, particularmente para "avaliar" o respeito dos rebeldes pelos …

"Excedeu todas as expetativas". Implante de córnea artificial devolve visão a homem cego

Um homem de 78 anos que estava cego dos dois olhos há 10 anos recuperou a visão após receber o primeiro implante de uma córnea artificial desenvolvida pela startup israelita CorNeat Vision. O implante CorNeat KPro …

Tenista João Sousa falha Open da Austrália após ter estado infetado

João Sousa vai falhar o Open da Austrália depois de ter estado infetado com o novo coronavírus, por determinação das autoridades australianas, anunciou hoje o tenista português. "É com muita tristeza que vos dou a conhecer …

Cientistas criam nova forma de produzir carne em laboratório (e prometem manter o sabor e a textura)

Uma equipa da McMaster desenvolveu uma nova forma de carne cultivada, através do uso de um método que promete manter o sabor e a textura mais naturais do que as outras alternativas à carne tradicional. Os …

Papa pede "jornalismo corajoso" e controlo de notícias falsas na Internet

O papa Francisco pediu hoje um "jornalismo corajoso" que venha ao encontro das pessoas e histórias, propondo ainda o controlo das notícias falsas na Internet, especialmente neste período de pandemia da covid-19. “Opiniões atentas lamentam, há …

A cidade mais antiga das Américas está sob ameaça de invasão (e a culpa é da pandemia)

Tendo sobrevivido durante cinco mil anos, o sítio arqueológico mais antigo das Américas está sob a ameaça de invasores que afirmam que a pandemia de covid-19 os deixou sem outra opção a não ser ocupar …

Suspeito do homicídio de Bruno Candé nega ter agido impulsionado por racismo

Evaristo Marinho disparou vários insultos racistas contra Bruno Candé: “Vai para a tua terra, preto, tens a família toda na sanzala e também devias lá estar”, foi um deles. Três dias depois acabou por matá-lo, …