Síndrome da Bela Adormecida: Britânica dorme 22 horas por dia e continua a sentir-se cansada

Rhoda Rodriguez-Diaz, uma jovem da cidade de Leicester, sofre de uma doença neurológica grave que a obriga a dormir cerca de 22 horas diárias. Apesar do seu distúrbio do sono, a britânica continua a sentir-se cansada.

Em entrevista ao Daily Mail, Rhoda confessou que a patologia rara que sofre teve grande impacto na sua vida, interferindo direta e drasticamente na sua vida académica e social.

Segundo contou ao diário britânico, a estudante de Psicologia, de 21 anos, foi diagnosticada em criança com hipersonia, uma condição neurológica caraterizada por período recorrentes de sonolência diurna e fadiga extrema.

Rhoda adormecia com frequência na escola e era incapaz de praticar quaisquer desportos, uma vez que se sentia “constantemente cansada”.

No primeiro semestre do ano letivo passado, a estudante não compareceu a vários exames na faculdade e perdeu algumas aulas porque estava a dormir. Em setembro, e após uma série de novos exames, os médicos descobriram que Rhoda sofria da síndrome de Kleine-Levin, também conhecida como Síndrome da Bela Adormecida. Esta condição afeta também o sono, mas de forma mais severa do que a hipersonia.

Este transtorno traduz-se em episódios de sono que podem durar até três semanas, com pequenas pausas, nas quais a jovem aproveita para se alimentar e ir à casa de banho. “É realmente irritante quando as pessoas me chamam preguiçosa, luto diariamente contra os efeitos [desta doença]”, disse a jovem ao diário britânico.

Tal como explicou Rhoda, é possível estar vários meses seguidos sem sentir quaisquer sintomas associados à doença contudo, quando estes aparecem, têm um impacto muito forte na sua rotina diária. Os seus amigos contam que quando a jovem sofre um destes episódios, o seu humor muda. “Fico com raiva e o meu comportamento muda drasticamente”, enfatiza a jovem britânica.

“A vida continua enquanto estou a dormir, quando acordo a realidade atinge-me e percebo que perdi uma semana da minha vida“, acrescenta.

A sua doença, que a obrigava a faltar frequentemente à universidade, acabou por levar à sua expulsão do estabelecimento de ensino. Posteriormente, o seu diagnóstico foi analisado e a universidade considerou-a um “caso excecional”, permitindo-lhe voltar às aulas.

Os portadores da síndrome de Kleine-Levin conseguem, eventualmente, superar a sua condição. A última vez que Rhoda teve um episódio foi há três meses, quando a jovem dormiu mais de 60 horas em três dias. Apesar de tudo, a estudante diz ter aprendido a controlar os seus sintomas, evitando que estes interfiram na sua vida adulta.

“Estou mais ciente disso agora, sei quando vou ter um episódio (…) Esta é apenas uma dificuldade que eu estou à espera que desapareça. Quero que [as pessoas] me levem a sério na vida e [a doença] não ajuda”, conclui.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Estivadores do Porto de Lisboa iniciam greve de três semanas

Os estivadores do Porto de Lisboa iniciam, esta quarta-feira, uma greve de três semanas em protesto contra os salários em atraso e incumprimento dos acordos celebrados por parte da Associação de Empresas de Trabalho Portuário …

Michael Vang. Passou despercebido por Portugal, mas carrega os sonhos de toda uma etnia

Michael Vang é dos pouquíssimos jogadores de origem Hmong a jogar futebol profissionalmente. Agora nos Estados Unidos, o jovem teve uma passagem apagada por Portugal. Os Hmong são um grupo étnico asiático originário das regiões montanhosas …

Há pessoas sem a parte olfativa do cérebro que conseguem cheirar (e cientistas não sabem porquê)

Cientistas encontraram casos em que as pessoas não tinham bulbo olfativo, a parte do cérebro responsável pelo olfato, mas mesmo assim conseguiam cheirar. Anosmia consiste na perda total ou parcial do olfato e esta é uma …

Cientistas detetam estranhos movimentos de gás na Via Láctea (em redor de algo "invisível")

Os astrónomos detetaram movimentos de nuvens de gás incomuns perto do centro da Via Láctea, que podem sugerir a presença de um desconhecido buraco negro de classe intermediária. Os investigadores que rastrearam os gases no centro …

Hackers podem facilmente piratear satélites (e transformá-los em armas)

Piratear satélites pode não ser assim tão complicado quanto pensamos. Os hackers podem simplesmente desligá-los ou até mesmo usá-los como armas. No mês passado, a SpaceX tornou-se a operadora da maior constelação de satélites ativos do …

Gelo a cair num buraco faz barulhos estranhos (e parece uma batalha de lasers)

Alguma vez pensou o que se ouve quando deixamos cair gelo num buraco gelado profundo? Já não precisamos de pensar mais - e já podemos ouvir. O vídeo do pedaço de gelo a cair num buraco …

Tribunal recusa exumar corpo. Rosa Grilo conhece sentença a 3 de março

A leitura do acórdão no processo do homicídio do triatleta ficou agendada, esta terça-feira, para o dia 3 de março. De acordo com o Diário de Notícias, a defesa de Rosa Grilo pediu a exumação do …

Revelados documentos que provam a investigação de OVNIs por parte do Pentágono

Documentos recentemente divulgados mostram que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (EUA) financiou estudos sobre Objetos Voadores Não Identificados (OVNI's), contradizendo declarações recentes do Pentágono. Em 2017, o New York Times revelou a existência de …

"Nem sei onde é Alcochete". Pinto da Costa ouvido como testemunha de Bruno de Carvalho

O presidente do FC Porto foi ouvido, esta terça-feira, como uma das testemunhas do ex-dirigente leonino no julgamento da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, que está a decorrer no tribunal de Monsanto, em …

A nova obra de Banksy só durou dois dias

A nova obra do artista britânico Banksy, que apareceu na véspera do Dia dos Namorados em Bristol, foi coberta por um grafite cor-de-rosa dois dias depois. A imagem de uma menina a atirar flores vermelhas com uma …