/

Comissão Europeia deixa aviso ao WhatsApp

Comissão e rede europeia de consumidores insistem: quem utiliza a plataforma tem de saber como serão utilizados os seus dados pessoais.

O WhatsApp deveria explicar de forma mais clara o que as pessoas estão a aceitar nos seus termos e serviços e como serão utilizados os dados pessoais dos utilizadores.

A Comissão Europeia e a Rede de Cooperação no domínio da Defesa do Consumidor escreveram (nova) carta à plataforma, indica o portal MaisTecnologia.

As entidades consideram que o WhatsApp deve ser mais esclarecedor em relação às políticas de dados e às actualizações dos seus termos de serviço.

A empresa deve “agir no sentido de responder às preocupações que subsistem quanto aos seus termos de serviço e política de privacidade”.

A carta continua: o WhatsApp deve demonstrar “como tenciona comunicar quaisquer futuras actualizações aos seus termos de serviço e que o faça de uma forma que permita aos consumidores compreender facilmente as implicações dessas atualizações e decidir livremente se desejam continuar a utilizar o serviço após as mesmas”.

De acordo com Bruxelas, com as explicações actuais, não se percebe ao certo se estão em causa receitas das políticas comerciais relacionadas com os dados dos utilizadores.

“Os utilizadores do WhatsApp devem compreender o que estão a aceitar e como os seus dados pessoais estão a ser utilizados para fins comerciais”, avisa Didier Reynders, comissário europeu da Justiça.

Esta acaba por ser uma repetição do aviso lançado pela Comissão Europeia no início deste ano, também sobre os dados pessoais dos utilizadores, após as alterações feitas aos termos de serviço e de privacidade.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.