Atividade sísmica em São Jorge continua “acima do normal”. Centenas de abalos sentidos pela população

1

António Araújo / Lusa

Freguesia de Santo Amaro, na ilha açoriana de São Jorge, uma das mais afetadas pela crise sísmica

A atividade sísmica na ilha de São Jorge continua “acima do normal” e já foram registados 197 sismos sentidos pela população, segundo um comunicado divulgado hoje pelo Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

De acordo com o CIVISA, “até ao momento foram identificados cerca de 197 sismos sentidos pela população”, seis dos quais entre as 22:00 de sábado e as 10:00 de hoje.

A atividade sísmica que se tem vindo a registar desde 19 de março na parte central da ilha de São Jorge, mais concretamente ao longo de uma faixa com direção WNW-ESE, num setor compreendido entre Velas e Fajã do Ouvidor, “continua acima do normal”, segundo o CIVISA.

O sismo mais energético ocorreu a 19 de março, às 18:41 e teve magnitude 3,3 na escala de Richter.

Entretanto, na sequência do mau tempo que se faz sentir em São Jorge, uma derrocada bloqueou o acesso à Fajã de Santo Cristo, isolando 10 pessoas.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal da Calheta, Décio Pereira, as pessoas já foram contactadas e, como não têm urgência em abandonar o local, na segunda-feira o acesso deverá ser desobstruído em função de uma avaliação dos bombeiros e da Proteção Civil no local.

A ilha está com o nível de alerta vulcânico V4 (ameaça de erupção) de um total de sete, em que V0 significa “estado de repouso” e V6 “erupção em curso”.

Mais de 1.500 pessoas já abandonaram São Jorge, por via marítima e aérea, desde o início da crise sísmica, de acordo com os dados mais recentes das autoridades.

Marcelo quer transmitir mensagem de “tranquilidade”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este domingo que pretende transmitir uma mensagem de “tranquilidade” durante a visita que fará à ilha de São Jorge, nos Açores, na sequência da crise sismovulcânica.

“As pessoas têm que ultrapassar inibições e perceber que está tudo a ser feito e que é uma situação de tranquilidade”, disse o chefe de Estado a jornalistas, em Vila Viçosa, no distrito de Évora.

Marcelo salientou que o presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, “tem garantido a tranquilidade“, assinalando que o responsável esteve em S. Jorge duas vezes na última semana e tem pernoitado na ilha.

O Presidente da República disse também que espera encontrar na visita à ilha de São Jorge, prevista para a tarde de hoje, “uma estrutura bem organizada e bem preparada”.

“Irei, a pedido do Governo, com a secretária de Estado da Proteção Civil, que tem estado a apoiar aquilo que, porventura, seja necessário fazer. Até agora, não tem sido necessário fazer nada, porque a situação está sob controlo”, disse.

No sábado à noite em Vila Viçosa Marcelo Rebelo de Sousa indicou que vai “a Beja apanhar um avião para seguir para o Pico e, depois, de helicóptero, para São Jorge”.

  // Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.