Pela primeira vez, astrónomos observaram o núcleo de um cometa a morrer. E encontraram pó de talco

Kyoto Sangyo University

As primeiras observações terrestres do núcleo de um cometa a aproximar-se do fim da sua vida ativa revelaram que o núcleo tem um diâmetro de 800 metros e está coberto por grandes grãos de filossilicato.

Os núcleos dos cometas são difíceis de observar porque, quando entram no Sistema Solar interno, onde são fáceis de observar da Terra, aquecem e libertam gás e poeira que formam uma coma, que circunda e obscurece os núcleos.

Quando o cometa P / 2016 BA14 (PANSTARRS) foi descoberto em janeiro de 2016, foi inicialmente confundido com um asteróide, mas observações subsequentes revelaram uma fraca atividade cometária. Acredita-se que, após muitas viagens no Sistema Solar interno, este cometa queimou quase todo o seu gelo e se está a aproximar do fim da sua vida.

Em 22 de março de 2016, este cometa passou a 3,6 milhões de quilómetros da Terra, apenas nove vezes mais longe do que a Lua.

Uma equipa de astrónomos do Observatório Astronómico Nacional do Japão (NAOJ) e do Observatório Astronómico Koyama da Universidade Kyoto Sangyo aproveitou esta oportunidade para observar o cometa com o Telescópio Subaru, cerca de 30 horas antes da sua abordagem mais próxima da Terra.

Os astrónomos observaram com sucesso o núcleo com interferência mínima de grãos de poeira na coma. Anteriormente, a composição da superfície de um núcleo cometário só foi observada por algumas observações in-situ por missões espaciais.

Ao observar radiação infravermelha térmica, a equipa encontrou evidências de que o núcleo tem 800 metros de diâmetro e está coberto por moléculas orgânicas e grandes grãos de filossilicato.

Esta é a primeira vez que minerais de silicato hidratado, que na Terra estão normalmente disponíveis como pó de talco, são encontrados num cometa.

A comparação com medições de laboratório de vários minerais revelou que os minerais de silicato hidratado na superfície de P/2016 BA14 foram aquecidos a mais de cerca de 330ºC no passado. Uma vez que a temperatura da superfície de P/2016 BA14 não pode atingir mais do que cerca de 130ºC na sua órbita atual, o cometa pode ter estado numa órbita mais próxima do Sol no passado.

Esta descoberta fornece pistas para juntar as peças da história de como este cometa evoluiu até ao seu atual estado de extinção.

A próxima questão que surge é se os cometas estão cobertos com pó de talco desde o início ou se se desenvolve ao longo do tempo, à medida que queimam.

“Este resultado fornece uma pista preciosa para estudar a evolução dos cometas”, disse o autor principal do estudo Takafumi Ootsubo, em comunicado. “Acreditamos que outras observações dos núcleos do cometa permitir-nos-ão aprender mais sobre a evolução dos cometas.”

Este estudo foi publicado em março na revista científica Icarus.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …