/

Arma hipersónica chinesa “impossível” lançou um míssil (e deixou o Pentágono confuso)

2

Em julho, a China disparou um míssil a partir de uma arma hipersónica, que permite lançar o projétil a uma velocidade cinco vezes superior à velocidade do som.

Ainda nenhum outro país tinha conseguido esta façanha, que era considerada “impossível”.

Nos Estados Unidos, cientistas do Pentágono foram apanhados de surpresa pelo avanço tecnológico chinês, avança o Financial Times.

A Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA), uma divisão do Pentágono, permanece incerta sobre como é que a China conseguiu disparar um míssil num veículo a viajar a velocidades hipersónicas.

Fontes com conhecimento da arma explicaram que a aeronave consegue carregar uma ogiva nuclear e disparar um míssil separado em pleno voo. O míssil foi disparado no mar do sul da China.

Estes testes de disparos de mísseis a partir de armas supersónicas  parecem sugerir que a estratégia militar do presidente Xi Jinping passa por adquirir a capacidade de atingir os Estados Unidos a partir de voos orbitais, como forma de contrariar os recentes avanços norte-americanos em armas de defesa anti-míssil.

Especialista militares do Pentágono citados pela Bloomberg estão agora a reunir informações sobre a tecnologia para tentar perceber como é que a China conseguiu atingir este marco.

Enquanto alguns peritos acreditam que se trata de um míssil ar-ar — um projétil disparado de uma aeronave com o propósito de destruir outra aeronave —, outros acham que é uma contramedida para destruir os sistemas de defesa antimísseis para que não pudessem derrubar a arma hipersónica durante a guerra.

“Este desenvolvimento preocupa-nos, assim como deveria preocupar todos os que procuram a paz e a estabilidade na região e fora dela”, disse um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional norte-americano. “Isto também aumenta a nossa preocupação com muitas capacidades militares que a República Popular da China continua a perseguir”.

  Daniel Costa, ZAP //

2 Comments

  1. A Europa abriu as portas à China (ao comércio livre sem impostos alfandegários) e o mundo nunca mais foi o mesmo. Esta (estes) polui o planeta, esgota recursos terrestres e marítimos, cria fortunas mega bilionárias, acumula ouro e metais preciosos, dólares americanos e bitcoins. Cria armas bélicas, armas biológicas e armas cibernéticas. Vigia as pessoas, prende, condena a liberdade de expressão, restringe o acesso e marginaliza quem não quer estar dentro do sistema estatal. E qualquer dia o dragão vermelho está pronto para a guerra e anexar mais uns quantos territórios. E tu não dizes nada?

  2. Talvez os americanos comecem agora a perceber que constantemente provocar a China, impor-lhe sanções e intrometer-se nos assuntos internos da China pode não ser uma boa ideia. Um destes dias a China reage e os americanos vão levar a tareia que há décadas merecem. Só demonstra que abandonar os processos diplomáticos e o diálogo para resolver diferendos, substituindo-os pela fanfarronada arrogante pode levar ao desastre. Já não seria sem tempo.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE