Afinal, sorrir pode não ser um sinónimo de alegria universal

SXC

-

Um estudo realizado na Papua Nova Guiné sugere que as expressões faciais das emoções podem não ser universais.

Uma equipa de investigadores da Universidade Autónoma de Madrid, em Espanha, descobriu que há um povo da Papua Nova Guiné que não associa um sorriso à sensação de alegria.

Segundo o El País, a comunidade das ilhas Trobriand sempre foi muito associada à promiscuidade e à liberdade sexual mas os cientistas espanhóis podem ter descoberto algo bem mais importante.

Em algumas das aldeias, um sorriso é “interpretado como um convite social, como a magia da atração”, explica o psicólogo José Miguel Fernández Dols, líder da investigação.

Esta pode vir a ser uma descoberta maior do que o seu tempo, como explica o diário espanhol, uma vez que a comunidade científica sempre acreditou que as expressões faciais associadas às emoções não eram determinadas pela cultura em que se vive mas sim pela origem biológica e são universais.

O pai desta “Teoria da Universalidade” é o psicólogo norte-americano Paul Ekman, que defende que as cinco emoções – alegria, tristeza, raiva, medo e nojo – podem ser reconhecidas pelos 7.400 milhões de habitantes do planeta Terra.

Para comprovar esta nova possibilidade, a equipa de Dols estudou os rostos de dezenas de pessoas em várias situações como, por exemplo, atletas olímpicos a receber a medalha de ouro, pessoas a ter um orgasmo, lutadores de judo a ganhar as suas provas, adeptos de futebol a festejar e até de toureiros em plena arena.

As conclusões a que chegaram, agora publicadas na revista científica JEP, é que as expressões faciais, tal como o sorriso, são muito mais ferramentas de interação social do que uma simples representação de uma emoção básica interna.

“As expressões faciais são estratégias interativas. Por exemplo, as crianças, quando caem, só choram quando veem a sua mãe”, explica o psicólogo.

O psicólogo Carlos Crivelli, que também esteve envolvido na pesquisa, e o antropólogo Sergio Jarillo, do Museu de História Natural de Nova Iorque, foram então tentar provar a nova teoria.

Juntos mostraram a 68 crianças e adolescentes das ilhas Trobriand seis fotografias com expressões típicas de alegria , tristeza, raiva, medo e nojo, assim como um rosto neutro. De seguida, fizeram o mesmo a 113 jovens residentes em Madrid.

Em Trobriand, apenas 58% dos participantes associaram o sorriso à alegria, enquanto 46% ligou à tristeza, 31% com o medo, 25% no nojo e 7% na raiva.

Em Matemo, uma ilha perdida em Moçambique, os investigadores obtiveram resultados semelhantes. Na capital espanhola, a maioria dos participantes agruparam as emoções básicas com as suas supostas expressões faciais universais.

“O conceito de emoção básica é popular mas não é necessariamente científico”, declara Dols ao jornal espanhol.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …