Afinal, havia outro terço gigante (mas Joana Vasconcelos diz que é “pequenérrimo”)

Paulo Cunha / Lusa

-

O terço gigante de Joana Vasconcelos que foi inaugurado na terça-feira, no Santuário de Fátima, está a gerar polémica. Isto porque há um outro terço de grandes dimensões, no Brasil, e há quem acuse a artista plástica portuguesa de plágio.

Intitulada “A Suspensão”, a obra de Joana Vasconcelos foi inaugurada à entrada da Igreja da Santíssima Trindade, no Santuário de Fátima, para assinalar as comemorações do Centenário das Aparições.

O terço gigante, feito de contas brancas, tem 26 metros, cerca de 500 quilos e será iluminado, pela primeira vez, no próximo dia 12 de Maio quando o Papa Francisco chegar ao recinto do Santuário.

Mas a obra está a ser notícia também, pela sua semelhança com um outro terço gigante que existe no Brasil e que foi exibido, pela primeira vez, em 1998, em Vila Velha, no estado de Espírito Santo.

Joana Vasconcelos recusa quaisquer comparações, notando ao Observador que “desconhecia” o terço brasileiro e que os dois exemplares “não têm nada a ver um com o outro”.

“Aquilo é um terço pequenérrimo feito de esferovite“, salienta a artista plástica, frisando que é como dizer que “o coração de Viana é uma cópia”.

“Eu, por exemplo, já fiz uma obra que é um sapato, mas já vários outros artistas representaram o sapato. Ou, por exemplo, um carro, que é uma figura já interpretada por vários artistas. Neste caso, é um terço e há vários artistas a representar terços”, destaca a artista.

Apesar das explicações da artista, as redes sociais ainda não pararam de falar da obra de Joana Vasconcelos e não necessariamente, pelos melhores motivos.

Para Joana Vasconcelos, é evidente que o seu terço é especial e único, devido à “integração no espaço” e porque “ilumina à noite, com uma luz fluorescente, que é típica das estátuas da Nossa Senhora em Portugal”, explica ao Observador.

Já em declarações ao Público, a artista plástica nota que a sua obra “não é uma coisa pendurada entre duas palmeiras”, numa alusão ao terço gigante brasileiro que fica suspenso entre duas árvores destas, junto ao Convento da Penha.

O terço brasileiro é feito de raiz todos os anos, sendo colocado naquele local aquando da Festa de Nossa Senhora da Penha, conforme nota o jornal Globo.

O objecto virou uma tradição na localidade brasileira desde 1998, quando o médico Osmar Sales teve a ideia de o fabricar pela primeira vez. Todos os anos, este médico e um grupo de voluntários fazem o terço e também financiam o projecto, contando ainda com doações.

Em 2017, o terço foi erguido ao lado do Convento da Penha a 15 de Abril passado, sendo confeccionado por bolas de isopor recicladas, flores de EVA, seis mil pérolas e arames de ferro, com um peso de cerca de 30 quilos.

A obra de Joana Vasconcelos tem mais de 500 quilos e deverá ficar em Fátima a título permanente, tendo sido construída com resina de polietileno e iluminação LED.

SV, ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. De facto, as redes sociais podem funcionar como uma mente global própria perigosa, e por graça ridicularizarem, tudo e todos, e quando se fala no plagio de um terço, o que significa isso afinal ? Qual a forma de poder fazer uma obra de arte para a igreja que seja um terço sem que se pareça com outro terço já existente ????? E a haver plágio de quem copiou um terço quem teria sido o primeiro a plagiar ????
    Está instalada a confusão entre plagio e liberdade artística, até porque um terço é um símbolo utilizado pela igreja e não uma qualquer obra com direitos de autor, de tal forma que se mais alguém se lembrar de fazer um outro terço gigante num outro lado qualquer não poderá ser acusado de plágio, nem pela Joana Vasconcelos, nem pela Igreja, nem pelas redes sociais.

  2. Preferia a estátua da Nossa Senhora feita pela Vista Alegre, mas em tamanho gigante no meio do santuário. É mais artística e poderiam mesmo oferecer alguns exemplares mais pequenos ao membros do nosso clero.

  3. A arte sempre foi criticada, comentada e noticiada muitas vezes com incompreensão e bastas vezes com recurso ao humor, sempre em tom jocoso, sarcástico ou irónico. De Modigliani a Yves Klein, Picasso, Dali, Miró ou Matisse, são inúmeros os autores grandes ou pequenos que tiveram reações às suas obras desde simples graçolas até às tentativas de destruição ou agressão. Em Portugal não é diferente, ainda para mais tratando-se de um país tradicionalista e (ainda) muito conservador, em que muitos dos seus habitantes cultivam um talento especial para a maledicência tentando disfarçar uma inveja latente. Goste-se ou não, Joana Vasconcelos ousa, faz e acontece. Tem obras melhores, outras piores – como todos. Para mim, é um orgulho que seja Portuguesa, irreverente, reconhecida – cada vez mais – e um nome cada vez mais forte da atualidade artística internacional. Creio que tem uma trajetória coerente, um estilo reconhecível, ousadia quanto baste e muito mérito. O nome dela será lembrado. O dos que gozam com a sua obra, não. Foi e será sempre assim.

  4. Além do mau gosto do terço “gigantérrimo”, adultera uma obra de Arquitectura de grande qualidade sobre a qual foi ‘imposta’.
    Será que o Arquitecto Tombazis, autor do projecto da basílica, foi consultado e autorizou tal facto ? Existem direitos de autor que devem ser respeitados não deturpando as suas obras.
    A modernidade que a Igreja necessita não deveria passar por patrocinar intervenções deste nível.
    Quem já não criticou frequentemente os párocos que nas igrejas de diversas aldeias e vilas colocaram a torre iluminada a néons coloridos e outros adereços similares.
    Estamos num mesmo nível de parolada completamente dispensável.
    Esperemos que seja algo de efémero e que se restabeleça a ante “gigantérrima” paisagem.

RESPONDER

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …

“Máfia do Sangue”. Ministério Público deixa Octapharma fora da acusação

O Ministério Público (MP) deixou a farmacêutica Octapharma fora da acusação da operação "O Negativo" por considerar que o ex-administrador Lalanda e Castro montou um esquema de corrupção para a venda de plasma ao Serviço …