Afastada ligação terrorista de afegãos detidos no Porto

Tiago Petinga / Lusa

-

Dois homens de origem afegã tinham pedido asilo político, numa esquadra, mas por terem fotos de armas, explosivos e combates na Síria levantaram suspeitas às autoridades, na quinta-feira. Afinal, os dois cidadãos estiveram na Síria mas a combater contra o Estado Islâmico.

Os dois cidadãos afegãos detidos no Porto na quinta-feira no Porto não têm, afinal, ligações a organizações terroristas, uma suspeita admitida pelas autoridades portuguesas. Os dois homens de nacionalidade afegã tinham pedido asilo na PSP e acabaram em tribunal e à guarda do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

De acordo com informação recolhida na investigação em curso, os afegãos, de 20 e 25 anos, saíram do seu país muito jovens em direção ao Irão. São xiitas e juntaram-se depois, como milhares de outros xiitas, às tropas que combatem o Estado Islâmico na Síria.

Integraram o “Islamic Revolucionary Guard Corp” – Guardas da Revolução -, um corpo militar criado para defender as fronteiras iranianas e que enquadra os voluntários xiitas. Essa foi a explicação dada para terem numa pen fotografias de combates no território sírio e que levantaram suspeitas às autoridades portuguesas.

As fotografias seriam de armamento, explosivos e combatentes com armas da guerra na Síria, o que levantou suspeitas de ligações a movimentos terroristas. Sendo xiitas fica afastada essa hipótese, uma vez que, quer o Estado Islâmico, quer a Al Qaeda integram apenas muçulmanos sunitas.

Quando os jovens estrangeiros se dirigiram a uma esquadra da PSP para pedir asilo, a polícia chamou o SEF por não entender a língua que falavam. Este serviço de segurança chamou tradutores em língua persa e farsi e entendeu detê-los, por “permanência irregular em território português”.

Nas declarações que os cidadãos prestaram referiram ter viajado, durante dois anos, por diferentes países europeus tendo chegado a Portugal de comboio.

De acordo com o SEF, após revista de segurança, “não foi encontrado qualquer documento de identificação, bilhetes ou outro documento que atestasse a factualidade por eles descrita. Tinham na sua posse cerca de mil euros, uma pen – onde estavam as fotografias – e ainda dois telemóveis”.

Foram presentes a tribunal, na quarta-feira de manhã, e o juiz validou a detenção e aplicou a medida de coação de instalação em Centro de Instalação Temporária no Porto, sob custódia do SEF, tendo sido apreendidos, por ordem do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), os pertences referidos.

Os afegãos tinham anteriormente pedido asilo – que foi recusado – à Finlândia. Como, de acordo com a Convenção de Dublin que regulamenta os procedimentos com os refugiados no espaço europeu, o país que recebe o primeiro pedido de asilo, mesmo que não o aceite, assume responsabilidade pelos requerentes, o SEF requereu às autoridades finlandesas a chamada “retoma a cargo”. A Finlândia disponibilizou-se de imediato para receber de volta os dois cidadãos afegãos, segundo o Diário de Notícias.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Menos de metade dos médicos do SNS trabalha em regime de exclusividade

Menos de metade (42,9%) dos médicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) trabalha em regime de exclusividade, avança o Jornal de Notícias, citando números da Administração Central dos Serviços de Saúde.  Segundo dados apresentados esta quinta-feira …

Grávidas e crianças até aos 10 anos não devem comer peixe-espada e atum, recomenda Espanha

A Agência Espanhola de Segurança Alimentar e Nutrição publicou novas recomendações no final de outubro para o consumo de determinados tipos de pescado, nomeadamente o atum e o peixe-espada, tubarão ou cação e Lúcio. Em causa …

Deputado Lobo d'Ávila abre portas ao futuro no CDS. "Não digo não" ao partido

O ex-deputado Filipe Lobo d'Ávila afirmou que não afasta a possibilidade de se candidatar à liderança do CDS. O potencial candidato à sucessão de Assunção Cristas indicou que a estratégia do partido, nos últimos anos, …

Só o Governo prevê uma aceleração em 2020. OCDE também está pouco otimista (e deixa um conselho a Centeno)

A economia portuguesa vai abrandar nos próximos anos, segundo antecipa a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE). No Economic Outlook publicado esta quinta-feira, as previsões para a economia nacional aponta para um crescimento …

Trump exige que se pare "a caça às bruxas" em reação a testemunho de embaixador

"Esta caça às bruxas deve parar agora. Tão prejudicial para o nosso país!", escreveu Donald Trump no Twitter, em reação ao testemunho do seu embaixador da União Europeia. O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, manifestou …

Seis embaixadores portugueses mudam de países

Há seis embaixadores portugueses que vão mudar de cidade. O Presidente da República já assinou o decreto que rege a nomeação de novas chefias para tutelar as embaixadas de Portugal em Berlim, Madrid, Praga e …

Rúben Dias pede dois milhões por ano. Vieira não está disposto a pagar tanto

A negociação de contrato entre Rúben Dias e o SL Benfica atingiu um impasse. O jogador não se contenta com um salário inferior a dois milhões de euros líquidos por ano, mas Vieira não está …

Secretarias de Estado instaladas em "casa" dos governantes

As três secretarias de Estado que ficarão fora de Lisboa serão instaladas nas terras natal dos seus respetivos governantes. Esta medida do Governo faz parte de um esforço de descentralização. O Governo decidiu avançar nesta legislatura …

Governo quer bolsas do Ensino Superior automáticas para alunos de ação social escolar

O Governo quer que os alunos do secundário com direito à ação social escolar tenham direito, de forma automática, a bolsas do ensino superior, algo que pode acontecer já no próximo ano letivo. Segundo noticiou o …

Modelo económico do Google e Facebook "ameaça" direitos humanos, diz Amnistia Internacional

A Amnistia Internacional criticou esta quinta-feira o modelo económico "baseado na vigilância" dos gigantes da internet Google e Facebook, considerando que é uma "ameaça sistémica aos direitos humanos". Num relatório, a organização não-governamental argumentou que, ao …