Viver perto de áreas verdes aumenta a sensação de bem-estar

SXC

-

Um estudo de cientistas britânicos sugere que viver numa área urbana com espaços verdes tem um impacto positivo no bem-estar mental dos habitantes de cidades.

Os investigadores da Universidade de Exeter constataram que morar num local com áreas verdes gera um efeito positivo duradouro, enquanto aumentos de salários ou promoções no trabalho, por exemplo, fornecem apenas efeitos positivos a curto prazo.

Para os autores do estudo, os resultados mostram que o acesso a parques urbanos traz benefícios à saúde pública.

Mathew White, do Centro Europeu para o Desenvolvimento e Saúde Humana da Universidade de Exeter, explicou que o estudo, do qual é um dos autores, se baseia nas descobertas de um outro levantamento que mostrou que as pessoas que viviam em áreas urbanas mais verdes tinham menos sinais de depressão e ansiedade.

Ele diz que isso ocorre por várias razões. “As pessoas fazem todo o tipo de coisas para ficarem mais felizes: elas lutam por uma promoção no trabalho, por aumento de salário, e até se casam“, descreve, explicando que “o problema é que, depois de seis meses a um ano, elas voltam aos níveis originais de bem-estar. Assim, estas coisas não são sustentáveis, não nos fazem felizes no longo prazo”, afirmou.

“Descobrimos que num grupo de vencedores da lotaria que tinham ganho mais de 500 mil libras [cerca de 600 mil euros] o efeito positivo de facto estava lá, mas entre seis meses a um ano depois eles tinham voltado aos níveis normais.”

As descobertas foram publicadas na revista especializada Environmental Science and Technology.

Dados

A equipa de investigadores usou dados do Mapeamento das Residências Britânicas (que mudou o nome para  inquérito Compreendendo a Sociedade) e que começou a ser feita na Grã-Bretanha em 1991 pela Universidade de Essex.

“É uma amostra enorme e representativa da população britânica (atualmente cerca de 40 mil residências fornecem dados por ano), em que são respondidas várias perguntas sobre renda, estado civil, etc”, disse White.

“Mas também inclui algo chamado Questionário Geral de Saúde, que é usado por médicos para diagnosticar depressão e ansiedade.”

“O que se vê é que, mesmo depois de três anos, a saúde mental ainda é melhor para quem vive perto de áreas verdes, o que é improvável com as muitas outras coisas que achamos que nos farão felizes”, disse.

Mais estudos

O investigador acrescentou que a equipa quer fazer mais estudos para examinar uma possível ligação entre qualidade de relacionamentos conjugais e a vida em áreas verdes.

“Há provas de que as pessoas dentro de uma área com espaços verdes sejam menos stressadas, e quando se é menos stressado, toma-se decisões mais razoáveis e comunica-se melhor”, afirmou White.

“Não vou dizer que é uma fórmula mágica que cura todos os problemas do casamento – claro que não é -, mas pode ser que [o fator do cenário] ajude a pender a balança no sentido das decisões mais razoáveis e diálogos mais maduros.”

Com as crescentes provas de ligação entre espaços verdes nas cidades e o impacto na saúde pública, há também o crescente interesse das autoridades e governos pelo assunto, segundo White. “Há muitas pessoas interessadas, mas o que realmente precisamos no nível de políticas, é decidir de onde virá o dinheiro para apoiar áreas verdes locais de qualidade”, acrescentou.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Morreu Rogério "Pipi", histórico jogador do Benfica

O ex-futebolista internacional português, que se evidenciou ao serviço do Benfica nas décadas de 40 e 50 do século passado, morreu este domingo, um dia depois de completar 97 anos. "Foi com profunda tristeza e pesar …

Milhares de manifestantes voltam às ruas de Hong Kong

A polícia de Hong Kong deteve, este domingo, onze pessoas e apreendeu várias armas, incluindo uma pistola, pouco antes do início de uma manifestação convocada para a cidade, para a qual se espera uma forte …

Irão e Estados Unidos trocam prisioneiros

Irão e Estados Unidos realizaram, este sábado, uma troca de prisioneiros que envolveu a troca de um investigador sino-americano por um cientista iraniano detido pelos EUA, num avanço diplomático que surge após meses de tensão …

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …