Veneno de molusco marinho surge como solução no controlo da dor crónica

World Bank / Flickr

-

Um composto extraído do veneno de um molusco marinho da família dos cones atua como supressor da dor, podendo ser alternativa aos medicamentos da classe dos opióides, anunciaram esta segunda-feira cientistas da Universidade de Utah, nos Estados Unidos.

A descoberta, publicada na edição online da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, abre caminho ao desenvolvimento de medicamentos de combate à dor crónica que evitem os opióides, medicamentos sintéticos poderosos, mas extremamente viciantes.

“A natureza deu origem à evolução de moléculas muito sofisticadas, com efeitos surpreendentes e que permitem descobrir os diferentes caminhos de atuação das substâncias no sistema nervoso”, disse Baldomero Olivera, professor de biologia na Universidade de Utah que liderou o estudo.

Os moluscos da família dos cones utilizam dardos microscópicos para injetarem o veneno com que paralisam as presas. O veneno de algumas espécies, especialmente do ‘conus textile’, é mortal para os humanos.

O composto extraído do veneno do ‘Conus regius’ que combate a dor foi designado ‘Rg1A’ e os investigadores concluíram que os mecanismos através dos quais atua sobre os centros nervosos da dor são totalmente diferentes dos verificados com os opióides.

Conus regius é um molusco gastrópode da família Conidae

Conus regius é um molusco gastrópode da família Conidae

Baldomero Olivera salienta que uma das novidades do ‘Rg1A’, testado em ratos, é a de os efeitos de supressão permanecerem muito tempo depois de o composto ser eliminado pelo organismo, ao fim de quatro horas.

Outro dos investigadores que realizaram o estudo, Michael McIntosh, adiantou que “que os efeitos do composto mantiveram-se, continuando a suprimir a dor 72 horas depois de ter sido injetado”.

“Estes resultados são particularmente promissores porque abrem possibilidades de prevenção. Uma vez instalada, a dor crónica é muito difícil de tratar e este composto oferece um potencial novo caminho para prevenir o processo de instalação da dor crónica e nova esperança de tratamento para pacientes que esgotaram quase todas as opções disponíveis”, referiu Michael McIntosh.

As propriedades de supressão da dor do ‘Rg1A’ foram testadas com a administração do composto a ratos que tinham sido expostos a quimioterapia que provoca extrema sensibilidade o frio e dor forte.

Os ratos injetados com o novo composto não sofreram dor, ao contrário dos ratos sujeitos à quimioterapia sem terem sido injetados com o ‘Rg1A’

O próximo passo na investigação será, segundo os autores do estudo, iniciar “testes pré-clínicos” para avaliar a segurança e comprovar a eficácia do novo tratamento.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Setenta anos depois, teste de ADN reúne mãe e filha pela primeira vez

Genevieve achava que a sua bebé recém-nascida tinha morrido no parto. Mas não: foi adotada por uma família da Califórnia que lhe mentiu sobre as origens. Agora conheceram-se graças a um teste de ADN. Quase 70 …

Arcebispos de Barcelona ajudaram padre acusado de abusos a fugir à polícia

O padre Senabre, acusado de ter abusado de um menor de 13 anos, esteve desaparecido por mais de 25 anos. Foi agora encontrado no Equador e o seu caso está a ser investigado pelo Vaticano …

Problemas de direitos humanos persistem em Portugal apesar dos progressos

O mais recente relatório da Amnistia Internacional sobre direitos humanos indica que em Portugal “ainda persistem” desigualdades no acesso a habitação condigna, e diferentes formas de discriminação de pessoas e comunidades mais vulneráveis. O documento divulgado …

Theresa May adia votação do Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, confirmou, esta segunda-feira à tarde, perante o parlamento britânico, que será adiada a votação do acordo do Brexit agendada para esta terça-feira, dia 11. A decisão da primeira-ministra britânica procura evitar …

"Lobisomem da Sibéria". Maior assassino em série da Rússia era polícia e matou 78 mulheres

Um ex-polícia russo, já condenado a prisão perpétua pela morte de 22 mulheres, foi sentenciado esta segunda-feira na Sibéria por mais 56 homicídios, o que o torna no maior assassino em série da história recente …

Mais de 20 comboios vão ser suprimidos no Natal e Ano Novo

Mais de duas dezenas de ligações ferroviárias, entre Intercidades e Alfa-Pendulares, serão suprimidas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro de 2019, à semelhança de anos anteriores, devido à fraca …

Catalães devem seguir a via eslovena e estar "dispostos a tudo" para alcançar independência

Quim Torra disse este sábado que os catalães devem seguir o exemplo do processo de independência da Eslovénia e estar "dispostos a tudo". O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, disse este sábado que …

"Injustiça fiscal." Governo rejeita alterar IRS para salários de anos anteriores

O Governo recusou aceitar uma recomendação da Provedora de Justiça que pedia ao Executivo para atualizar o regime de IRS para rendimentos relativos a anos anteriores. No início de outubro, a Provedora da Justiça escreveu a …

Oito anos depois, pensionistas recebem subsídio de Natal por inteiro

Oito anos depois, os pensionistas recebem esta segunda-feira o subsídio de Natal por inteiro, sem cortes e no mês de dezembro. A maioria dos pensionistas da Segurança Social começa esta segunda-feira a receber a pensão de …

Carlos Ghosn, ex-presidente da Renault-Nissan, acusado por ocultar rendimentos

O Ministério Público japonês acusou oficialmente o ex-presidente da Nissan de ocultar rendimentos da empresa durante um período de cinco anos. De acordo com a agência Kyodo e o canal público NHK, o Ministério Público responsabiliza …