Último Nobel da Física rejeita teoria do Big Bang. “Não temos provas sólidas”

James Peebles, vencedor do Prémio Nobel da Física em 2019, rejeita a teoria do Big Bang, considerando que não há provas sólidas que sustentem que foi um grande explosão que levou à criação do Universo. 

O cientista de 84 anos, reconhecido pelo seu trabalho no campo da Cosmologia e pelas investigações que levou a cabo sobre a radiação cósmica de fundo, rejeita o termo “Big Bang”, considerando “bastante inapropriado”.

“A primeira coisa que é preciso entender sobre o meu campo é que o seu nome – a teoria do Big Bang – é bastante inadequado“, disse James Peebles, que falava num evento de homenagem aos vencedores do Prémio Nobel, que decorreu a semana passa na embaixada sueca de Washington, nos Estados Unidos.

“Tem um significado sobre a noção de um evento e uma teoria que está completamente errada”, continuou, citado pelo jornal ABC, dando ainda conta que, na verdade, não existem provas de quem uma explosão gigante realmente aconteceu.

O Nobel da Física frisou, em entrevista à agência noticiosa AFP, que não se sabe ainda de forma concreta o que aconteceu no início do Universo. “É uma pena que se pense na origem [do Universo], quando, na verdade, não temos uma boa teoria de algo assim”.

“O que temos é uma teoria comprovada da evolução de um estado inicial para o atual, começando desde os primeiros segundos de expansão”, sustentou Peebles.

Estes primeiros momentos, continuou, são testados graças a assinaturas cosmológicas chamadas “fósseis”, baseadas em hélio e outras partículas resultantes do momento em que o Universo era ainda muito quente e denso. Estes momentos foram bem discutidos e avaliados por diferente testes, mas a fase inicial, reiterou, continua a ser um mistério.

Não temos provas sólidas do que aconteceu antes disso. Temos teorias, mas nenhuma delas está comprovada”, disse o professor emérito da Universidade de Princetown.

“Simplesmente não temos evidências experimentais do que realmente aconteceu”, insistiu o Nobel da Física, dando conta que a Humanidade encontra várias teorias ao compará-las com procedimentos experimentais.

Questionado sobre que nome deveria ser utilizado para descrever o momento de origem, Peebles revelou que acabou por se render ao termo comummente aceite.

Rendi-me, uso [o termo] Big Bang. Mas não gosto (…) Durante anos, alguns de nós tentamos, sem sucesso, convencer a comunidade científica a encontrar um termo melhor. Por isso, Big Bang é o melhor que temos. É lamentável, mas toda a gente conhece esse nome. Assim me rendo”, rematou o cientista canadiano.

Em outubro passado, James Peebles recebeu o Prémio Nobel da Física por descobertas no campo da Cosmologia, que vem a desenvolver desde da década de 1960, especialmente o o arcabouço teórico para explicar o jovem Universo.

ZAP //

PARTILHAR

15 COMENTÁRIOS

    • Uma coisa fica provada: tu não sabes escrever em francês mas, mesmo não sabendo, tentas. O mesmo se passa em relação àquilo a que te referes com uma certeza que o Tu muito bem explica.

Mais 665 casos e nove mortes por covid-19 em Portugal

Portugal regista, este domingo, mais 665 novos casos positivos e nove mortes por covid-19, segundo boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Assim, desde o início da pandemia, Portugal conta com 73.604 infetados e 1.953 …

De guerreiros a anciões. Grupo étnico no Quénia faz cerimónia única de "transformação"

Milhares de homens Maasai vestidos com xales vermelhos e roxos e com as suas cabeças revestidas de ocre vermelho reuniram-se esta semana para uma cerimónia que os transforma de Moran (guerreiros) em Mzee (anciãos). De acordo …

Há 60 anos, Richard Nixon tricou uma sanduíche (e este homem guardou-a desde então)

Há 60 anos, o então vice-Presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, trincou uma sanduíche - e Steve Jenne, um homem que vive em Illinois, guardou-a os restos desde então. De acordo com o The New York …

Coreia do Norte adverte Sul para não procurar nas suas águas oficial assassinado

A Coreia do Norte pediu hoje à Marinha sul-coreana que deixe de entrar nas suas águas territoriais, numa altura em que Seul procura recuperar o corpo de um oficial sul-coreano morto a tiro no mar …

"Um abandonar dos utentes". Centros de saúde atiram pacientes para farmácias e privados

Sem resposta nos centros de saúde, vários utentes vêm-se obrigados a recorrer ao setor privado e a farmácias. A Entidade Reguladora de Saúde já recebeu várias reclamações. Face à pandemia de covid-19, os centros de saúde …

Polícia treinou uma cadela para farejar provas eletrónicas

No Minnesota, Estados Unidos, a polícia treinou uma cadela para farejar dispositivos eletrónicos. Sota já ajudou a encontrar provas em dez crimes. A polícia estatal do Minnesota treinou uma cadela labrador britânica para farejar dispositivos eletrónicos, …

Trabalhistas lideram primeira sondagem desde que Boris chegou ao poder

O partido do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, situa-se hoje, pela primeira vez desde que chegou ao poder, atrás da oposição trabalhista nas intensões de voto, o que estará relacionado com a gestão da crise pandémica, …

Sporting vagueia mercado à procura de um avançado

Šporar, Luiz Phellype e Tiago Tomás não satisfazem as necessidades de Rúben Amorim, que quer trazer mais um avançado para o plantel antes do fecho do mercado de transferências. A janela de transferências está prestes a …

Transportes públicos são "ponto nevrálgico" da transmissão da covid-19

O infeciologista Jaime Nina defendeu hoje que é necessário quadruplicar a oferta dos transportes públicos para permitir a distância necessária entre os passageiros, considerando que são um “pontos nevrálgico” da transmissão da covid-19. "Os transportes públicos …

Estão a chegar os aviões movidos a hidrogénio. A Airbus é pioneira (e já está a trabalhar em três aeronaves)

Na passada segunda-feira, a Airbus apresentou três conceitos de aviões movidos a hidrogénio. A empresa quer estar na linha da frente no que toca às mudanças na indústria da aviação, e tem como objetivo pôr …