Tubarão pré-histórico escondia os maiores dentes já alguma vez encontrados na espécie

Os primeiros tubarões viveram há cerca de 400 milhões de anos, mas tinham uma caraterística muito especial: é que eles não baixavam apenas as suas mandíbulas, mas também as giravam para fora ao abrirem a boca. Os dentes maiores e mais afiados permitiam-lhes ter mais facilidade em capturar as suas presas.

Muitos dos tubarões que se conhecem atualmente têm inúmeros ​​dentes afiados que crescem constantemente e que podem ser facilmente vistos se as suas bocas estiverem apenas ligeiramente abertas. Contudo, nem sempre foi assim.

Os dentes dos ancestrais dos peixes cartilaginosos (chondrichthyan), que incluem tubarões, raias e quimeras, foram substituídos lentamente. Com a boca fechada, os dentes mais velhos, menores e gastos dos tubarões ficavam em pé na mandíbula, enquanto os dentes mais jovens e maiores apontavam para a língua e eram invisíveis quando a boca estava fechada.

Os paleontólogos da Universidade de Zurique, da Universidade de Chicago e do Centro de Biodiversidade Naturalis em Leiden (na Holanda) examinaram a estrutura e a função dessa construção de mandíbula baseada num chondrichthyan de 370 milhões de anos que supostamente habitou em Marrocos.

Como avança o Phys, através do uso de tomografia computorizada, os investigadores foram capazes, não apenas de reconstruir a mandíbula, mas também de imprimi-la como um modelo 3D. Isso permitiu que a equipa simulasse e testasse a mecânica da mandíbula.

Os investigadores descobriram que, ao contrário dos humanos, os dois lados da mandíbula inferior não estavam fundidos no meio. Esta condição permitia que os animais não deixassem apenas cair as metades da mandíbula para baixo, como ao mesmo tempo as giravam para fora automaticamente.

“Com esta rotação, os dentes mais jovens, maiores e mais afiados, que geralmente apontavam para o interior da boca, eram colocados numa posição vertical, o que tornava mais fácil caçar as presas”, explica a autora principal do estudo, Linda Frey.

A especialista acrescenta ainda que “devido à rotação ser feita para dentro, os dentes acabavam assim por empurrar a presa para um lugar mais fundo do espaço bucal quando as mandíbulas se fechavam”.

Esse mecanismo não garantiu apenas que os dentes maiores, que estavam virados para dentro, fossem usados, como também permitiu que os animais se adaptassem no que é conhecido como alimentação por sucção.

“Em combinação com o movimento para fora, a abertura das mandíbulas faz com que a água do mar entre na cavidade oral, enquanto fechá-las resulta num puxão mecânico que aprisiona e imobiliza a presa”, refere Frey.

Como os esqueletos cartilaginosos são dificilmente mineralizados e geralmente não são tão bem preservados enquanto fósseis, esta construção da mandíbula não tinha sido ainda realizada por outros investigadores.

A equipa de paleontólogos acredita que o tipo descrito de articulação da mandíbula desempenhou um papel importante na Era Paleozóica.

O estudo foi publicado no mês de novembro na revista Nature.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Afluência às urnas é menor (mas há mais votantes). Abstenção deverá ficar entre os 56 e 60%

A afluência às urnas às 16:00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 35,4%, é a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral. Esta …

Reino Unido já vacinou quase 6 milhões. Alemanha aumenta controlo nas fronteiras

O Reino Unido já administrou a primeira das duas doses da vacina contra o novo coronavírus em cerca de seis milhões de pessoas, quando o número de mortes no país devido à pandemia está perto …

Polícia desmantela rede de tráfico internacional de armas (e descobre santuário dedicado a Hitler)

Em dezembro, as autoridades espanholas conseguiram desmantelar uma rede ilegal de armas que operava em toda a Europa, e acabou por capturar os traficantes. O que a polícia não esperava era encontrar um armazém cheio …

Diminuição da esperança média de vida é "consequência inevitável" da pandemia

A esperança média de vida em Portugal vai necessariamente diminuir em consequência da pandemia de covid-19, defendeu um especialista, explicando que isso decorre do efeito combinado da morte de idosos, mas também de jovens em …

Novo estudo explica a importância de esterilizar os gatos antes da adolescência

Um novo estudo sugere que a idade de esterilização dos gatos deve ser antecipada de seis para quatro meses, com o objetivo de prevenir ninhadas indesejadas de gatinhos, que muitas das vezes acabam por ser …

Publicidade do Pingo Doce a promoções viola a lei do confinamento

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica está a avaliar incumprimento que visa aumentar clientes em loja durante o fim de semana. Os supermercados da Jerónimo Martins estão a publicitar promoções numa altura em que …

A tomada de posse de Joe Biden deixou os apoiantes do QAnon sem rumo

Com a tomada de posse de Joe Biden como 46.º Presidente dos Estados Unidos, esta quarta-feira, a frustração começou a infiltrar-se entre os apoiantes do QAnon. O QAnon é um movimento nascido, em 2017, no seio …

Pela quarta vez em quase 50 anos, gelo cobriu o deserto do Saara

Na terça-feira passada, um dos lugares mais secos do mundo acordou com uma geada sobrenatural. Foi apenas a quarta vez em quase 50 anos. No deserto do Saara, no noroeste da Argélia, nos arredores da cidade …

Novo máximo de mortes. São mais 275 óbitos e 11 721 novos casos

Portugal registou mais 275 mortos e 11 721 novos casos de infeção por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo. É o novo máximo de mortes …

Longas filas para votar em segurança. Candidatos a Belém apelam ao voto

As mesas de voto para as eleições presidenciais abriram hoje às 08h00, e as longas filas são uma realidade em todo o país. Todos os candidatos já votaram. De acordo com o porta-voz da Comissão Nacional …