Três penáltis para o Levante e quem venceu foi o Barcelona

Quique Garcia / EPA

O treinador do FC Barcelona, Xavi Hernández.

O treinador do FC Barcelona, Xavi Hernández.

Golo aos 91 minutos fechou um jogo memorável no terreno do Levante. Mesmo assim, Real Madrid está a 12 pontos de distância.

Os adeptos do Barcelona não se vão esquecer, pelo menos nos próximos tempos, do jogo deste domingo frente ao Levante: vitória por 3-2 no terreno do adversário, com contornos pouco comuns.

No 11 inicial dos catalães não estavam, nem Piqué (lesionado), nem Pedri ou Gavi, que desta vez começaram o jogo no banco de suplentes – ambos entraram na fase inicial da segunda parte.

Aos 20 segundos, o Levante quase marcava. José Luis Morales, o capitão, foi a maior “dor de cabeça” ao longo da primeira parte, estando perto do golo nessa e noutras ocasiões. Mas não houve golos até ao intervalo.

No segundo tempo foram marcados cinco golos. O primeiro precisamente por Morales, numa grande penalidade, logo no arranque da segunda parte.

Apenas seis minutos depois dessa grande penalidade para o Levante, nova grande penalidade para o Levante. Dessa vez Ter Steven impediu o golo de Roger Martí.

Pouco depois, e num espaço de somente quatro minutos, Aubameyang e Pedri deram a volta ao marcador, colocando o Barcelona em vantagem.

A nove minutos do fim, terceira grande penalidade a favor do Levante (as três faltas parecem ter sido bem assinaladas) e terceiro jogador a tentar marcar: 2-2, conseguido por Gonzalo Melero.

Já aos 91 minutos, Luuk de Jong, que entrou logo após esse golo de Melero, marcou de cabeça e fez “explodir” Xavi, no banco.

O Barcelona já acumula 15 jornadas consecutivas sem perder mas, mesmo assim, tem menos 12 pontos do que o líder Real Madrid – embora o Real tenha mais um jogo realizado.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.