Revista científica publica estudo inventado por jornalistas

Uma revista científica pouco conhecida publicou um falso estudo sobre cancro, feito por jornalistas, no contexto de uma investigação sobre publicações pouco escrupulosas.

O inquérito visa demonstrar que qualquer pessoa, desde que pague, pode fazer passar “falsa ciência” por verdadeira, noticia esta sexta-feira o Le Monde.

Os jornalistas de dois meios alemães, o diário Süddeutsche Zeitung e a rádio pública NDR, transmitiram à revista Journal of Integrative Oncology “os resultados de um estudo clínico” que apontavam para “o extrato de própolis ser mais eficaz no caso do cancro colorretal que as quimioterapias convencionais”.

A própolis é uma substância resinosa obtida das árvores e transformada pelas abelhas para construírem os alvéolos das colmeias.

“O estudo era falso, os dados fabricados e os autores, filiados num instituto de investigação fictício, também não existiam. Porém, a publicação foi aceite em menos de dez dias e publicada em 24 de abril”, detalhou o jornal francês.

O site do Le Monde disponibilizava de uma ligação na Internet para uma versão do estudo, que, entretanto, foi retirado, depois de os responsáveis da revista terem sido avisados.

Aí se lia que os investigadores tinham comparado a eficácia da quimioterapia com cápsulas de própolis. Na conclusão do falso artigo científico, aludia-se ainda a um tema sem qualquer relação com o assunto, no caso, o efeito das massagens sobre as doenças trombo embólicas.

A ministra alemã da Investigação Científica, Anja Karliczek, declarou-se favorável a um inquérito para determinar como é que este estudo falso pôde ser publicado. “É no próprio interesse da ciência”, declarou, citada pela agência noticiosa alemã, a DPA.

Para a ministra, tudo deve ser feito “para que a credibilidade e a confiança na ciência não sejam afetadas (…). Tais erros devem ser expostos, porque só assim se pode mudar o que está mal”.

A revista em questão é publicada por um editor indiano, Omics. Mas, segundo o Le Monde, existem “dezenas de editoras pouco escrupulosas”, que “criaram centenas de revistas em aceso livre com nome ressonante, com todas as características de verdadeiras revistas eruditas”, e estão presentes em várias disciplinas científicas.

Sem qualquer controlo sobre a qualidade dos trabalhos apresentados, reclamam aos autores “centenas de euros” por artigo para o publicarem, segundo o Le Monde e a NDR.

Nas revistas mais prestigiadas, onde publicar necessita uma apreciação do texto por cientistas conhecedores do domínio em causa, a designada avaliação por pares, e onde o processo de validação requer geralmente vários meses, os autores não pagam.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Várias notas:

    1 – Quem é sério e sabe o que faz não submete artigos para este tipo de revistas “científicas”. Quem é sério e sabe o que faz só considera artigos de fontes fiáveis na parte de revisão de literatura e comparação de resultados. Em caso de dúvida, basta pesquisar nos vários índices científicos (por exemplo, Scimago) ou até no Google, a credibilidade de dada revista.
    2 – Ter artigos deste género vale zero, e até pode ser prejudicial, a carreira científica dos investigadores nos países desenvolvidos.
    3 – Existem revistas prestigiadas onde os autores pagam para publicar, ou podem optar por pagar se pretenderem que o artigo tenha acesso aberto. Mas esta é outra guerra.

RESPONDER

CGTP ameaça Costa: “Ou dá resposta às reivindicações ou conta com contestação” nas ruas

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, defendeu a alteração das leis laborais e o aumento do salários na próxima legislatura, avisando que caso estas reivindicações não sejam atendida, o Governo terá forte contestação nas ruas. Arménio …

Das eleições resultou um "Governo instável" e Marcelo foi "o grande ganhador sem ter participado"

Para Luís Marques Mendes, o PS teve mais votos, mas tem piores condições para governar. Além disso, na opinião do comentador político, foi Marcelo quem ganhou estas eleições, por não ter havido maioria absoluta. O Partido …

"Querem que pique a bolha?" Conselheiros do Banco de Portugal compararam Montepio ao caso BES

Numa "discussão acesa" no Banco de Portugal, conselheiros da entidade de supervisão compararam a situação do Banco Montepio ao caso BES, com referências a um "esquema de Ponzi", em pirâmide, e a ideia de que …

CGD e Novo Banco vão atrás da fortuna de Paulo Maló

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco vão tentar executar o património pessoal de Paulo Maló, médico e empresário que fundou a Malo Clinic, empresa especializada em medicina dentária, escreve o Jornal …

Comandante que desviou dinheiro da Proteção Civil recebe avença do Estado

Gil Martins foi condenado de desviar mais de cem mil euros da Proteção Civil. Ainda assim, o antigo comandante recebe uma avença de mil euros brutos por mês. O ex-comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência …

New York Times divulga provas de que a Rússia bombardeou deliberadamente hospitais na Síria

O The New York Times publicou este domingo, segundo avança o próprio jornal norte-americano, provas de que a Rússia bombardeou repetidamente e deliberadamente hospitais na Síria, onde intervém em apoio do regime sírio do Presidente …

Simone Biles torna-se na ginasta mais medalhada de sempre em Mundiais

Esta foi a quarta medalha de ouro para Biles em Estugarda, depois de ter vencido a prova por equipas, o concurso geral individual e a prova de salto. A norte-americana Simone Biles tornou-se hoje a ginasta …

Há um Reino muito pouco Unido na corda bamba. Rainha inicia semana decisiva para o Brexit

Depois do discurso real desta segunda-feira, as conversações entre Londres e Bruxelas deverão continuar e avançar pela cimeira da UE de quinta e sexta-feira. No sábado, o Parlamento britânico reúne-se excecionalmente para votar o que …

Esther Duflo, Abhijit Banerjee e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

O prémio Nobel da Economia de 2019 foi esta segunda-feira atribuído à francesa Esther Duflo, ao indiano Abhijit Banerjee e ao norte-americano Michael Kremer, anunciou a Real Academia das Ciências sueca. O Prémio de Ciências Económicas …

Tufão Hagibis faz pelo menos 42 mortos e 200 feridos no Japão

Pelo menos 42 pessoas morreram e 200 ficaram feridas no Japão, após passagem do tufão Hagibis, enquanto mais de 110.000 membros de equipas de socorro continuam as operações de busca e resgate, noticiou a emissora …