Real Madrid 0-4 Barcelona. Adeptos do Real aplaudiram falta dura sobre adversário

(dr) FC Barcelona

Aubameyang celebra no Real Madrid-Barcelona

Resultado surpreendente no Santiago Bernabéu. Mas equipa de Madrid ainda tem 12 pontos de vantagem sobre o rival.

O Barcelona venceu o Real Madrid, no estádio do rival, por 4-0. Um resultado surpreendente, no grande “clássico” realizado neste domingo, mas que não retirou a margem confortável dos líderes do campeonato espanhol.

O Real, que não contou com Benzema, ainda tinha tentado chegar ao golo no primeiro quarto de hora mas, a partir daí, o Barcelona foi superior até ao intervalo.

Um dos duelos que já entrou nas melhores memórias dos adeptos catalães teve um protagonista: Pierre Aubameyang. O reforço de Inverno confirmou que é mesmo reforço para Xavi e inaugurou o marcador perto da meia hora, nove minutos antes de Ronald Araújo dobrar a vantagem.

Ao intervalo ouvia-se na rádio Cadena SER: “O Real Madrid não precisa de mudar jogadores. Precisa de mudar o seu treinador, há aqui coisas que não se compreendem!” – Carlo Ancelotti retirou do relvado Carvajal e Kroos, colocando no jogo Camavinga e Díaz.

O Barcelona agradeceu o desequilíbrio criado, sobretudo a nível defensivo. Logo no segundo minuto da segunda parte, Ferrán Torres marcou e, aos 52 minutos, Aubameyang bisou e fechou uma goleada inesperada (que ainda poderia ter sido mais desnivelada).

Esta vitória confirma a boa fase do Barcelona, que não perde no campeonato desde Dezembro e que venceu nas últimas cinco jornadas.

Perder em casa por 0-4 já é mau para o Real Madrid, em qualquer contexto. Perder em casa por 0-4 contra o Barcelona é humilhante para o Real Madrid. Talvez por isso, perto do final, e já sob um ambiente de frustração ou irritação total, tenha sido perceptível os aplausos provenientes das bancadas: os adeptos do Real praticamente celebraram uma falta dura, feia, de Camavinga sobre Busquets.

Apesar do desfecho surpreendente, o líder Real Madrid ainda tem mais 12 pontos (e mais um jogo realizado) do que o Barcelona, terceiro classificado. Pelo meio está o Sevilha, com mais três pontos do que os catalães.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.