Fotógrafo português captou um cometa, uma nebulosa, um meteoro e Plêiades numa só imagem

JPL-Caltech / UCLA / NASA

Esta imagem mostra o enxame estelar das Plêiades através dos olhos do WISE da NASA.

O português Miguel Claro, fotógrafo profissional especializado em retratar fenómenos astronómicos no céu noturno, conseguiu captar um cometa, um meteoro, uma nebulosa e o enxame de estrelas das Plêiades numa só imagem panorâmica – e é incrível.

De acordo com o portal Space.com, a “épica” cena cósmica é composta por três fotografias captadas no passado 15 de dezembro pelo fotógrafo português a partir do Observatório da Cumeada, na reserva Dark Sky Alqueva, no Alentejo, classificado pela UNESCO como Starlight Tourism Destination.

Nesse mesmo dia, o pequeno cometa 46P / Wirtanen – que na imagem aparece como um ponto azul esverdeado perto da margem esquerda – fez uma abordagem histórica ao nosso planeta, aproximando-se a apenas 11,5 milhões de quilómetros de distância.

“Isto será o mais próximo que o Cometa Wirtanen já se aproximou da Terra em séculos, e tão perto quanto estará nos próximos séculos”, disse Paul Chodas, gerente do Centro para o Estudo de Objetos da Terra Próximos da Terra da NASA.

Mais perto do centro da imagem, é possível ver um aglomerado estelar de jovens estrelas quentes conhecidas como as Plêiades ou As Sete Irmãs em tons de azul; no lado direto, foi registado em tons avermelhados a nebulosa NGC 1499, que devido à sua forma é também conhecida como a nebulosa da Califórnia.

Em simultâneo, um meteoro dos Geminids – uma chuva de estrelas visíveis a olho nu em todo mês de dezembro – cruzava o céu deixando um rasto de fumaça que não passou despercebido nas lentes de Miguel Claro.

O português já nos tem habituado a incríveis fotografias dos céus noturnos. Também no passado dezembro, o portal norte-americano elegeu as 100 melhores fotografias de 2018. Entre as 100 fotografias, o português assinou dez, oito das quais junto da albufeira de Alqueva. O Dark Sky é o primeiro destino turístico do mundo para ver as estrelas a obter a certificação, integrando os municípios de Alandroal, Barrancos, Moura e Mourão, Portel e Reguengos de Monsaraz.

Em 2016, Miguel Claro capturou um airglow (luminescência hipnotizante causada por reações químicas que chegam até ao topo da atmosfera terrestre) na montanha do Pico, no arquipélago dos Açores – uma espécie de arco-íris cósmico.

(dr) Miguel Claro

Airglow capturado em 2016

Miguel Claro, que é astrofotógrafo oficial da reserva Dark Sky Alqueva, tem-se dedicado nos últimos anos à promoção da astronomia, através de palestras públicas, sessões guiadas de observação do céu noturno e também em artigos e exposições. Nos últimos dez anos especializou-se em astrofotografia de paisagem.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

34 anos depois, dados da Voyager 2 revelam mais um segredo de Urano

Mais de 30 anos depois, os dados da Voyager 2, que sobrevoou o planeta em 1986, permitiram aos cientistas da NASA desvendar mais um segredo de Urano. Em janeiro de 1986, a Voyager 2 sobrevoou Urano. …

Está a nevar em Plutão

Em julho de 2015, a sonda New Horizons da NASA concluiu uma longa e árdua jornada pelo Sistema Solar, viajando a 36.000 mph durante nove anos e meio. Toda a missão focava-se em mapear a …

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …