Portugal está em sexto na lista dos passaportes mais poderosos de 2021

Portugal ocupa, tal como em 2020, a sexta posição na lista dos passaportes mais poderosos do mundo, ao lado de outros países europeus como Suécia, França, Países Baixos e Irlanda.

Graças à pandemia da covid-19, os dias em que chegávamos ao aeroporto com borboletas na barriga, com a ânsia de conhecer um novo país, parecem, para já, memórias de uma vida passada.

No entanto, isso não impediu o Henley Passport Index de fazer o seu habitual relatório anual sobre os passaportes mais poderosos do mundo. Segundo a cadeia televisiva CNN, o Japão está no topo da lista, mas Portugal também não foi esquecido.

Os cidadãos nipónicos continuam a ter o passaporte mais poderoso à escala global, oferecendo-lhes acesso a um país sem visto ou com visto à chegada em 191 destinos. Singapura está em segundo lugar (com 190) e a Coreia do Sul divide com a Alemanha o terceiro lugar da tabela (com 189).

Itália, Finlândia, Espanha e Luxemburgo aparecem na quarta posição (188), seguidos no quinto lugar pela Dinamarca e a Áustria (187). É na sexta posição que aparece o nosso “jardim à beira-mar plantado”, ao lado de outros países europeus como Suécia, França, Países Baixos e Irlanda (186).

Pelo contrário, o relatório aponta como piores passaportes de 2021 os documentos de países como a Coreia do Norte (39), Líbia e Nepal (38), Palestina (37), Somália e Iémen (33 destinos), Paquistão (32), Síria (29), Iraque (28) e Afeganistão (26).

“Há um ano, todas as indicações apontavam que as taxas de mobilidade global iriam continuar a aumentar, que a liberdade de viagens iria aumentar e que os portadores de passaportes poderosos iriam ter mais acesso do que nunca”, disse à CNN Christian H. Kaelin, presidente da Henley & Partners e inventor deste índice anual.

“O confinamento global negou essas excelentes projeções e, à medida que as restrições começaram a aumentar, os resultados do último índice são um lembrete do que o poder do passaporte realmente significa num mundo dominado pela pandemia”, apontou.

Em 2020, Portugal já ocupava o sexto lugar do ranking, tendo subido uma posição.

Os melhores passaportes em 2021:

1. Japão (191 destinos);
2. Singapura (190 destinos);
3. Coreia do Sul, Alemanha (189 destinos);
4. Itália, Finlândia, Espanha, Luxemburgo (188 destinos);
5. Dinamarca, Áustria (187 destinos);
6. Suécia, França, Portugal, Países Baixos, Irlanda (186 destinos);
7. Suíça, EUA, Reino Unido, Noruega, Bélgica, Nova Zelândia (185 destinos);
8. Grécia, Malta, República Checa, Austrália (184 destinos);
9. Canadá (183 destinos);
10. Hungria (181 destinos).

Os piores passaportes em 2021:

103. Coreia do Norte (39 destinos);
104. Líbia, Nepal (38 destinos);
105. Palestina (37 destinos);
106. Somália, Iémen (33 destinos);
107. Paquistão (32 destinos);
108. Síria (29 destinos);
109. Iraque (28 destinos);
110. Afeganistão (26 destinos).

  Filipa Mesquita, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.