Pode existir vida numa das luas de Saturno

sjrankin / Flickr

Encelado, uma das luas de Saturno, captada pela sonda Cassini, da NASA

Encelado, uma das luas de Saturno, captada pela sonda Cassini, da NASA

A NASA anunciou, esta quinta-feira, que os mesmos tipos de reacções químicas que sustentam a vida perto de fontes hidrotermais de profundidade na Terra podem estar a ocorrer no oceano subterrâneo de Encélado.

Essas reações dependem da presença de hidrogénio molecular (H2), que, segundo o novo estudo, publicado na “Science”, provavelmente está a ser produzido continuamente devido a reacções entre água quente e rocha no fundo do mar de Encélado.

“A abundância de H2, juntamente com as espécies de carbonato previamente observadas, sugere um estado de desequilíbrio químico no oceano Encélado que representa uma fonte de energia química capaz de sustentar a vida”, escreveu Jeffrey Seewald, do Departamento de Química e Geoquímica Marinha do Instituto Oceanográfico de Woods Hole em Massachusetts, nos Estados Unidos, que não estava envolvido no estudo.

Com apenas 314 quilómetros de largura, Encélado é só a sexta maior lua de Saturno, mas tem se destacado na astrobiologia desde 2005. Naquele ano, a nave espacial Cassini, que está a terminar a sua missão na órbita de Saturno, encontrou pela primeira vez géiseres de água gelada a sair das fissuras perto do pólo sul de Encélado.

Os cientistas acreditam que estes géiseres estão a expelir material de um oceano de tamanho considerável enterrado sob a crosta de gelo do satélite. Este oceano permanece líquido porque o imenso puxão gravitacional de Saturno movimenta a lua, gerando calor interno de “maré”.

Portanto, Encélado tem água líquida, um dos ingredientes-chave necessários para a vida como a conhecemos. E o novo estudo sugere que o satélite possui outro ingrediente chave: uma fonte de energia.

Uma equipa de cientistas liderada por Hunter Waite, do Southwest Research Institute, nos Estados Unidos, analisou as observações feitas em outubro de 2015 pela Cassini durante um mergulho através dos géiseres de Encélado.

Este mergulho foi especial de várias maneiras. A sonda chegou a uma distância de apenas 49 quilómetros da superfície de Encélado e o instrumento de espectrometria de massa de ião e neutro (INMS) da Cassini alternou entre os modos “fonte aberta” e “fonte fechada” durante o encontro, em vez de ficar apenas com a fonte fechada (o modo que normalmente usa).

O INMS é apenas 0,25% tão sensível no modo fonte aberta como no modo de fonte fechada. Mas a fonte aberta tem uma vantagem chave: minimiza factores que complicaram as tentativas anteriores de medir os níveis de H2 nas plumas/colunas de matéria de Encélado.

Com este obstáculo analítico removido, Waite e a sua equipa foram capazes de calcular que H2 constitui entre 0,4% e 1,4% do volume da pluma dos géiseres de Encélado. Outros cálculos revelaram que o dióxido de carbono (CO2) compõe 0,3% a 0,8% do volume da pluma.

O hidrogénio molecular provavelmente está a ser produzido por reações entre água quente e rocha dentro do núcleo de Encélado. A equipa considerou outras possíveis explicações e descobriram que não eram suficientes. Por exemplo, nem o oceano de Encélado nem a sua concha de gelo são reservatórios viáveis a longo prazo para o volátil H2 e os processos que separam o H2 do gelo de água na crosta não parecem ser capazes de gerar o volume medido na pluma.

A explicação baseada nas fontes hidrotermais também é consistente com um estudo de 2016 realizado por outro grupo de cientistas, que concluiu que minúsculos grãos de sílica detectados pela Cassini só poderiam ter sido produzidos em água quente em profundidades significativas.

“A história parece estar a encaixar-se”, disse Chris Glein, da SwRI, co-autor do estudo publicado na “Science”.

Reações químicas em profundidade

Na Terra, as aberturas hidrotermais do fundo do mar sustentam comunidades ricas em vida e são ecossistemas alimentados por energia química em vez de luz solar.

“Algumas das vias metabólicas mais primitivas utilizadas pelos micróbios nesses ambientes envolvem a redução do dióxido de carbono (CO2) com H2 para formar metano (CH4), num processo conhecido como metanogénese”, escreveu Seewald.

As indicações da presença de H2 e CO2 no oceano de Encélado sugere, portanto, que podem estar a ocorrer reações semelhantes abaixo do solo gelado da lua. Os níveis de H2 observados indicam que uma grande quantidade de energia química está potencialmente disponível no oceano, explicou Glein.

Glein sublinhou, no entanto, que ninguém sabe se tais reações estão realmente a ocorrer em Encélado.

“Isto não é uma detecção de vida. Isto aumenta a habitabilidade, mas eu nunca iria sugerir que isto faz com que Encélado seja mais ou menos provável de hospedar vida”, afirmou Glein.

ZAP ZAP // Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

De seis para 18 meses. Governo e Altice chegam a "consenso" para renovar SIRESP

A Altice Portugal vai enviar esta sexta-feira a proposta técnico operacional para a prorrogação por 18 meses do serviço da rede de comunicações de emergência SIRESP, disse esta quinta-feira fonte oficial da empresa à Lusa. Na …

Governo admite chamar Catarina Martins para negociar (mas acredita que BE e PSD têm uma aliança tácita)

A antiga geringonça já não volta a ser o que era, depois de o Bloco de Esquerda ter votado contra a proposta do Governo no último Orçamento do Estado. Ainda assim, António Costa vai voltar …

Nova técnica pode ajudar a prever erupções vulcânicas com anos de antecedência

Uma equipa de cientistas desenvolveu uma nova técnica de alerta precoce, baseada em dados de satélite, que poderia ser usada para prever erupções vulcânicas com anos de antecedência. Com a ajuda de dados de satélite, cientistas …

Governo quer aumentar salário mínimo em 40 euros em 2022

No próximo ano, o salário mínimo nacional deverá subir cerca de 40 euros - um aumento de 6% face aos atuais 665 euros. Este aumento elevaria o montante para 705 euros por mês. De acordo com …

Três mísseis atingem aeroporto de Bagdad onde estão tropas dos Estados Unidos. Não há feridos

Três mísseis atingiram esta quinta-feira o aeroporto de Bagdad, onde se situa uma base militar onde estão estacionados soldados norte-americanos, tendo provocado um ferido iraquiano, revelaram fontes da segurança citadas pela AFP. Os projéteis atingiram a …

História no Planeta Vermelho. Perseverance conseguiu transformar dióxido de carbono em oxigénio

O rover Perseverance, da NASA, conseguiu converter dióxido de carbono em oxigénio. Este grande passo abre caminho à exploração humana do Planeta Vermelho. O MOXIE (Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment), um instrumento a bordo do …

Radiotelescópio encontrou a sua primeira estrela morta giratória. É um "farol cósmico gigante"

Com a ajuda de um radiotelescópio de baixa frequência na Austrália, uma equipa de astrónomos descobriu um pulsar - uma estrela de neutrões densa que gira rapidamente, enviando ondas de rádio para o cosmos. Pela primeira, …

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …