Afinal, os neandertais foram os primeiros artistas do mundo

C.D Standish, A.W.G. Pike and D.L. Hoffmann

Arte Neandertal

Pinturas Neandertais em Espanha

Tradicionalmente vistos como brutos e selvagens, os neandertais foram, na verdade, os primeiros artistas do mundo, criando pinturas em cavernas cerca de 20 mil anos antes da chegada da nossa espécie humana à Europa.

A conclusão é de um estudo publicado no periódico científico Science que sugere que estes hominídeos fizeram pinturas em cavernas espanholas há cerca de 66 mil anos, ou seja, 20 mil anos antes da chegada do Homo sapiens à Europa.

Os neandertais serão, assim, responsáveis pelas pinturas mais antigas do mundo em cavernas, o que muda a percepção que tínhamos até agora destes hominídeos.

Acreditava-se, até este achado, que a produção artística era um comportamento único da espécie humana (a Homo sapiens) e que estava muito distante das habilidades dos nossos “primos” na linha evolutiva.

“Esta é uma incrível e excitante descoberta que sugere que os neandertais eram muito mais sofisticados do que popularmente se acreditava”, refere o autor que liderou o estudo, Chris Standish, arqueólogo da Universidade de Southampton, no Reino Unido, em declarações divulgadas pelo Science Daily.

Mãos, padrões geométricos e círculos

Estas pinturas foram descobertas em três áreas arqueológicas, em diferentes partes de Espanha, em La Pasiega, Maltravieso e Ardales, localidades situadas até 700 quilómetros de distância entre si. Incluem impressões de mãos, padrões geométricos e círculos vermelhos.

A equipa de investigadores de Reino Unido, Alemanha, Espanha e França que as analisou usou uma técnica de medição chamada urânio-tório, que é utilizada para identificar com precisão a data de itens arqueológicos. Baseia-se na medição da degradação radioactiva do urânio que é incorporado nas camadas minerais que cobrem as pinturas, explica a BBC.

Os resultados obtidos indicam que estas pinturas datam de há 65 mil anos, sendo que os humanos modernos só chegaram à Europa há cerca de 45 mil anos.

Deste modo, os investigadores concluem que esta arte em cavernas só pode ter sido feita pelos neandertais, uma espécie “irmã” da Homo sapiens – e os únicos habitantes humanos da Europa naquela época.

As descobertas são sustentadas pela datação de conchas marinhas que foram perfuradas e pintadas com pigmentos para serem usadas como colares.

Dois de quatro exemplares analisados datam de há cerca de 115 mil anos – mais uma vez, muito antes de haver presença confirmada de humanos modernos na região.

Mudança de percepção

“Logo após a descoberta do primeiro dos seus fósseis, no Século XIX, os neandertais passaram a ser retratados como brutos e sem cultura, incapazes de reproduzirem arte ou comportamentos simbólicos, e algumas dessas percepções persistem até hoje”, diz o Alistair Pike, investigador da Universidade de Southampton envolvido no estudo.

Pike nota que esta nova descoberta acrescenta dados novos à “questão de quão semelhantes aos humanos (modernos) os neandertais eram”.

Artefactos simbólicos datados de há 70 mil anos já tinham sido encontrados em África, mas são associados a humanos modernos.

O investigador Paul Pettitt, co-autor do estudo que representa a Universidade de Durham, no Reino Unido, destaca que esta nova descoberta permite concluir que “os neandertais criaram símbolos significativos em locais significativos”. “A arte não foi algo acidental que ocorreu uma só vez”, salienta.

“Temos exemplos em três cavernas distantes 700 quilómetros entre si e evidências de que se tratava de uma tradição antiga”, acrescenta Pettitt que acredita que será possível encontrar arte rupestre semelhante noutras cavernas da Europa, “com origem neandertal”.

ZAP // BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …