DNA Barcoding: o código de barras da vida

DNA Art Online

-

De modo semelhante ao código de barras de um produto no supermercado, a partir do qual é possível identificá-lo e obter informações, uma iniciativa que abrange cientistas de todo o mundo visa padronizar a identificação de espécies utilizando o chamado DNA Barcoding.

DNA Barcoding é um método em que uma espécie de código de barras é criado a partir de um pequeno trecho de DNA, extraído de uma região padronizada do gene.

A ideia de um dos proponentes desta técnica, o cientista Paul Hebert, é tornar o processo de identificação das espécies mais rápido e formar uma base de dados de toda a biodiversidade mundial, disponível para consulta por qualquer pessoa.

“O uso de sequências de DNA na taxonomia não é novo, mas a ideia do barcoding é o sequenciamento do mesmo trecho de DNA.  Até agora cada grupo utilizava uma região diferente do genoma, o que tornava difícil fazer comparações”, conta Mariana Cabral de Oliveira, professora do Departamento de Botânica da Universidade de São Paulo e uma das investigadoras participantes do International Barcode of Life (iBOL).

O consórcio internacional já é uma realidade e mobiliza investigadores de diversos países. A base de dados do projeto reúne, atualmente, quase três milhões de sequências.

A submissão dessas sequências segue um padrão de qualidade e acompanha também outros dados, como descrições morfológicas, fotografias, e o museu ou herbário onde a amostra foi depositada.

Mariana Oliveira explica que toda sequência registada no banco de dados precisa de estar associada a uma amostra física. “Eventualmente, se alguém não concordar com a identificação feita, é possível, por exemplo, solicitar a amostra e reanalisar o material”.

Além da identificação

“A aplicação do DNA Barcoding é muito mais ampla do que simplesmente descrever a biodiversidade”, conta a professora.

Uma das principais aplicações do uso do banco de dados com as sequências genéticas é facilitar a identificação de novas espécies: caso um investigador se encontre diante de uma espécie que não sabe identificar,  pode extrair o seu DNA e compará-lo, na base de dados, com outras sequências.

O cientista fica assim a saber se a espécie já foi identificada por outro investigador e, caso não encontre a sequência correspondente, poderá investigar se a espécie apenas não foi registada ou se está perante uma nova espécie.

Outra aplicação importante do DNA Barcoding é a possibilidade de avaliar se um alimento que está a ser vendido corresponde ao publicitado.

No caso dos peixes, por exemplo, após o corte em postas ou processamento, é difícil identificar de que peixe se trata.

O mesmo acontece com as madeiras: utilizando o Barcoding, pode-se verificar se determinada madeira pertence a uma espécie de árvore cuja extração seja proibida.

Em suma, com o DNA Barcoding, vai ser mais fácil perceber que a lebre é gato.

ZAP / USP

PARTILHAR

RESPONDER

Astrónomos treinam IA para encontrar antigas colisões de galáxias

Há luzes brilhantes em todo o Universo que representam as colisões de galáxias. Os astrónomos encontraram agora uma nova forma de as encontrar. Há luzes brilhantes em todo o Universo que representam as colisões de galáxias. …

Inteligência Artificial está a reviver jogos de tabuleiro ancestrais

A Inteligência Artificial consegue descobrir, com um grande grau de precisão, o conjunto de regras de vários jogos de tabuleiro ancestrais. Jogos de tabuleiro com centenas de anos são, por vezes, encontrados em escavações arqueológicas. Sem …

Panteras da Flórida estão a agir como se tivessem sido envenenadas (e os cientistas não sabem porquê)

Algumas panteras da Flórida, nos Estados Unidos, estão a ter um comportamento estranho ao andar, quase como se tivessem sido envenenadas. Os cientistas ainda não conseguiram perceber porquê. De acordo com o Washington Post, pelo menos …

SL Benfica 0-2 FC Porto | "Dragão" astuto arranca triunfo na Luz

O FC Porto foi ao Estádio da Luz vencer o “clássico” por 2-0 e recuperar a desvantagem de três pontos que tinha no campeonato. Com uma estratégia muito bem montada, baseada numa grande pressão sobre o …

Câmaras de Inteligência Artificial podem ser a solução para evitar tiroteios

Câmaras de videovigilância com Inteligência Artificial podem ser a solução para pôr um fim aos tiroteios. Esta tecnologia é capaz de detetar armas de fogo e avisar logo de seguida as autoridades. Com as dificuldades em …

Violência policial é uma das principais causas de morte de jovens negros nos EUA

A violência policial é uma das principais causas de morte entre jovens nos Estados Unidos, com os negros a terem 2,5 vezes mais hipóteses de serem mortos do que os homens brancos. O estudo, publicado este …

A Volocopter apresenta o seu táxi voador mais potente (e já andou no ar)

https://vimeo.com/355573555 Desde 2013 a Volocopter tem vindo a aprimorar o seu projeto de táxi voador. Desta vez, o design é mais redondo, mais simples e mais potente. O Volocopter é uma aeronave 100% elétrica que os criadores …

Israel desenvolve terapia à base de ecstasy para tratar stress pós-traumático

O Ministério da Saúde israelita desenvolveu uma terapia à base de MDMA - o componente ativo da metanfetamina popularmente conhecida como 'ecstasy' - para tratar pessoas que sofrem de stress pós-traumático resistente. Num entrevista sobre a …

Quaresma de saída do Besiktas. "Presidente não me quer na equipa"

Revelação feita pelo jogador, no Instagram: "Acabei de ser informado pelo presidente do clube que ele não quer que eu continue a jogar na equipa. Estou a tentar encontrar solução para o meu futuro". O internacional …

O Dr. House português diz que 90% do que os médicos fazem é "fantochada"

É conhecido como o Dr. House português, numa referência à série televisiva norte-americana, pela forma como faz diagnósticos certeiros. E Vítor Brotas que trabalha no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, admite que é "um médico …