DNA Barcoding: o código de barras da vida

DNA Art Online

-

De modo semelhante ao código de barras de um produto no supermercado, a partir do qual é possível identificá-lo e obter informações, uma iniciativa que abrange cientistas de todo o mundo visa padronizar a identificação de espécies utilizando o chamado DNA Barcoding.

DNA Barcoding é um método em que uma espécie de código de barras é criado a partir de um pequeno trecho de DNA, extraído de uma região padronizada do gene.

A ideia de um dos proponentes desta técnica, o cientista Paul Hebert, é tornar o processo de identificação das espécies mais rápido e formar uma base de dados de toda a biodiversidade mundial, disponível para consulta por qualquer pessoa.

“O uso de sequências de DNA na taxonomia não é novo, mas a ideia do barcoding é o sequenciamento do mesmo trecho de DNA.  Até agora cada grupo utilizava uma região diferente do genoma, o que tornava difícil fazer comparações”, conta Mariana Cabral de Oliveira, professora do Departamento de Botânica da Universidade de São Paulo e uma das investigadoras participantes do International Barcode of Life (iBOL).

O consórcio internacional já é uma realidade e mobiliza investigadores de diversos países. A base de dados do projeto reúne, atualmente, quase três milhões de sequências.

A submissão dessas sequências segue um padrão de qualidade e acompanha também outros dados, como descrições morfológicas, fotografias, e o museu ou herbário onde a amostra foi depositada.

Mariana Oliveira explica que toda sequência registada no banco de dados precisa de estar associada a uma amostra física. “Eventualmente, se alguém não concordar com a identificação feita, é possível, por exemplo, solicitar a amostra e reanalisar o material”.

Além da identificação

“A aplicação do DNA Barcoding é muito mais ampla do que simplesmente descrever a biodiversidade”, conta a professora.

Uma das principais aplicações do uso do banco de dados com as sequências genéticas é facilitar a identificação de novas espécies: caso um investigador se encontre diante de uma espécie que não sabe identificar,  pode extrair o seu DNA e compará-lo, na base de dados, com outras sequências.

O cientista fica assim a saber se a espécie já foi identificada por outro investigador e, caso não encontre a sequência correspondente, poderá investigar se a espécie apenas não foi registada ou se está perante uma nova espécie.

Outra aplicação importante do DNA Barcoding é a possibilidade de avaliar se um alimento que está a ser vendido corresponde ao publicitado.

No caso dos peixes, por exemplo, após o corte em postas ou processamento, é difícil identificar de que peixe se trata.

O mesmo acontece com as madeiras: utilizando o Barcoding, pode-se verificar se determinada madeira pertence a uma espécie de árvore cuja extração seja proibida.

Em suma, com o DNA Barcoding, vai ser mais fácil perceber que a lebre é gato.

ZAP / USP

PARTILHAR

RESPONDER

Depois da polémica, Hank Azaria deixa de dar voz a Apu dos "Simpsons"

O ator que dá voz à personagem indiana Apu Nahasapeemapetilon, da série "Os Simpsons", anunciou que vai deixar de o fazer, depois de vários anos de polémica. Segundo a BBC, Hank Azaria anunciou, este fim-de-semana, que …

"Parasite" vence prémio principal do Sindicato dos Atores dos EUA

O filme do realizador sul-coreano Bong Joon-ho venceu, no domingo, o prémio mais importante do Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG), tornando-se o primeiro filme em língua estrangeira a receber tal distinção. A comédia negra …

Cientistas criam método inovador para tratamento de lesões agudas da pele

Investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) de Coimbra desenvolveram um método “inovador e sensível à luz”, que poderá ser útil no tratamento de lesões agudas da pele. Um grupo de investigadores do CNC …

Elon Musk quer enviar 10 mil pessoas a Marte até 2050

O CEO da Space X, Elon Musk, quer construir cem naves por ano e levar pelo menos dez mil pessoas a Marte até 2050, embora os protótipos das naves espaciais Starship ainda estejam sujeitos a …

Como será um iPhone daqui a um milhão de anos? Artista mostra o impacto de lixo eletrónico

https://vimeo.com/386000590 A exposição The World After Us: Imaging techno-aestethic futures tem instalações onde se pode ver a natureza a tomar conta de telemóveis, computadores, tablets e outros dispositivos, mostrando que dificilmente se desintegrarão nos próximos anos. Os …

Marca japonesa acusada de apropriação cultural por perucas de modelos

A marca japonesa Comme Des Garçons foi acusada de apropriação cultural devido às perucas usadas pelos seus modelos caucasianos num desfile na Paris Fashion Week, em França. De acordo com a BBC, as perucas com tranças …

Índia suspende a construção da primeira linha do comboio ultra-rápido Hyperloop

As autoridades estatais do estado indiano de Maharashtra decidiram suspender a construção da primeira linha do comboio ultra-rápido Hyperloop, que iria ligar as movimentadas cidades de Bombaim e Pune. O Governo local decidiu não avançar para …

Regina Duarte inicia "período de testes" na Secretaria da Cultura do Brasil

A atriz brasileira afirmou, esta segunda-feira, que iniciou um "período de testes" na Secretaria Especial da Cultura, pasta que foi convidada a liderar após a exoneração de um governante que parafraseou um discurso nazi. "Nós vamos …

Malásia devolve 150 contentores ilegais de lixo a países desenvolvidos

As autoridades da Malásia anunciaram, esta segunda-feira, que devolveram 150 contentores ilegais de lixo para os seus países de origem e afirmaram que não se querem tornar num "aterro sanitário" dos países desenvolvidos. Os países da …

Vietname contorna Huawei ao desenvolver tecnologia própria para o 5G

O maior grupo de telecomunicações do Vietname vai implementar este ano o 5G com recurso à sua própria tecnologia, contornando os chineses da Huawei, num sinal das implicações geopolíticas da rede de quinta geração. A empresa …