Centeno prevê das maiores quedas de desemprego da zona euro até 2019

Entre 2017 e 2019, a taxa de desemprego nacional deverá cair de 8,9% da população ativa para 6,3%, uma descida que será apenas superada por Chipre, Espanha e Grécia.

Portugal vai conseguir fazê-lo de forma peculiar, explica o DN: com a economia a abrandar até 2,2% em 2019 e com a maior travagem no ritmo de criação de emprego entre os 19 países da zona euro.

De acordo com o levantamento feito pelo Dinheiro Vivo junto dos 19 projetos orçamentais, a economia portuguesa deverá criar apenas mais 0,9% de empregos em termos líquidos em 2019, uma redução de 2,4 pontos percentuais face a 2017.

Por causa disto, Portugal volta a ter a quinta dinâmica mais fraca de criação de postos de trabalho na área do euro, ficando acima de apenas quatro países: Lituânia, Letónia, França e Estónia.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou dados oficiais do inquérito ao emprego do terceiro trimestre, devendo confirmar isso mesmo: a taxa de desemprego deverá ter caído para menos de 6,7%, mantendo-se assim abaixo da média anual estimada pelo Governo na proposta de OE2019 para este ano (6,9% em 2018).

Menos desemprego de longa duração

A queda rápida do desemprego, com a criação de emprego a fraquejar e a economia a perder força, pode significar que essa melhoria do mercado laboral está muito assente no regresso de desempregados ao trabalho.

No final do segundo trimestre, a economia tinha, oficialmente, cerca de 350 mil pessoas sem trabalho. Embora esteja a diminuir, o grupo dos desempregados de longa duração ainda hoje representa mais de metade do desemprego total. São cerca de 180 mil pessoas nessa situação.

Segundo o Executivo, há várias medidas que sustentam esta evolução. Em 2019, o Governo vai lançar o Contrato Geração, medida “direcionada para a contratação simultânea e sem termo de jovens e desempregados de longa duração”.

A melhoria em alguns serviços do IEFP e a renovação do site também aparece como uma “aposta numa melhor articulação entre o serviço público de emprego e as entidades empregadoras para identificar e promover oportunidades de emprego e para promover, ao mesmo tempo, uma maior eficácia na ativação dos desempregados de longa duração”.

Mais jovens a trabalhar

A criação de emprego, sobretudo nas camadas mais jovens que têm sido as mais excluídas da retoma, é outra das dinâmicas que ajuda a fazer baixar a incidência do desemprego. Evita que mais jovens fiquem sem trabalho e ajuda a engrossar a população ativa caso estes tenham de optar entre continuar inativos (a estudar ou não) e entrar no mercado de trabalho.

Além dos referidos apoios às empresas que contratem para os quadros, o Governo vai investir no ensino profissional, nomeadamente na “expansão desta via de ensino através da realização de ações de divulgação do ensino profissional dirigidas aos jovens, famílias e potenciais empregadores”.

Os “jovens agricultores” e os “jovens empreendedores” ligados ao mundo digital também não são esquecidos no OE.

Contribuições para a redução do défice

A retoma mais frágil, rica em menos desemprego, mas mais pobre em crescimento do emprego, acabará por contribuir de forma decisiva para a redução do défice em 2019, constata o Executivo na proposta orçamental.

Por um lado, “é expectável, com base na informação mais recente, que entre 2018 e 2019 a receita com contribuições cresça 5,8%“. O aumento do emprego também se reflete tendencialmente em mais consumo e em mais impostos pagos.

Por outro, “no que diz respeito às prestações de desemprego e de apoio ao emprego, prevê-se uma despesa de 1.208 milhões de euros em 2019″, o que dá uma redução de 4,3% face à execução prevista para 2018 (menos 54 milhões de euros), “designadamente em função da continuação da redução da taxa de desemprego prevista e do aumento esperado ao nível do emprego”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sá Fernandes ponderou sair do Livre (e apoia eventual candidatura de Ana Gomes a Belém)

Na sua primeira grande entrevista após o caso Joacine, Ricardo Sá Fernandes, dirigente do Livre, revelou ao Observador que ponderou sair do partido e admitiu apoiar uma possível candidatura da ex-eurodeputada socialista Ana Gomes às …

Medina diz desconhecer caso do alegado falso engenheiro

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse esta quarta-feira que não ter informação sobre o alegado falso engenheiro da empresa Tanagra, com quem a autarquia celebrou vários contratos para obras públicas. A TVI noticiou …

Parlamento debate fim das comissões bancárias no MB Way e nas prestações da casa

O Parlamento debate esta quinta-feira projetos do BE, do PCP, do PS, do PAN e do PSD sobre limitação e proibição de comissões bancárias, tendo os bloquistas, que agendaram esta discussão, expectativa de que os …

Castração química. Bloco de Esquerda é contra veto a projeto de lei do Chega (e explica porquê)

A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias considerou que o projeto de lei do Chega "não preenche os requisitos do ponto de vista constitucional". O Bloco de Esquerda votou contra e explicou …

Estado pode deixar de ganhar dinheiro com empréstimo ao Novo Banco

Atualmente, o Fundo de Resolução paga juros de 2% e 1,38% pelos empréstimos contraídos junto do Estado para financiar as medidas de resolução do BES e do Banif, respetivamente. Porém, esse valor pode descer para …

Equipa de campanha de Trump processa The New York Times por difamação

A equipa de campanha de Donald Trump processou o The New York Times. Em causa está um artigo publicado em março do ano passado. A equipa de campanha de Donald Trump alega que o jornal publicou, …

Enfermeiros que deixem de ser chefes regressam ao início da carreira

Há enfermeiros que regressaram ao início de carreira depois de terem abandonado as suas funções de chefia, revela o jornal Público. Tal como escreve o matutino, que avança a notícia esta quinta-feira, para que estes …

"Ronaldo foi abandonado pela equipa". Imprensa italiana arrasa Juve e elogia CR7

O Lyon tirou partido do fator casa e surpreendeu a octocampeã italiana, Juventus, em França, e ganhou esta quarta-feira uma vantagem importante - embora ténue - na eliminatória com os bianconeri para a Liga dos …

Costa desaconselha viagens de finalistas. Associação de pais diz que "não vale o risco"

O primeiro-ministro, António Costa, admitiu esta quinta-feira que Portugal acabará por ter casos de coronavírus "mais cedo ou mais tarde". No entender líder do Executivo, que falava aos jornalistas em Bragança à margem da primeira …

Esquerda está contra, PSD não dá a mão. Montijo está em risco (mas "não há drama")

O ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, vai respeitar a decisão da maioria do Parlamento. "Acataremos, não há drama". Esta quarta-feira, Pedro Nuno Santos respondeu às críticas da esquerda acerca da vontade do Governo …