Dirigente do Benfica suspeito de receber benefícios para esconder desvios de Vieira

1

(dr) SLBenfica

dministrador executivo da Benfica SAD e CEO do Grupo Benfica, Domingos Soares de Oliveira

As despesas do casamento da filha, da ama e do colégio do filho de Domingos Soares de Oliveira, CEO do Grupo Benfica, terão sido pagas pelo clube. O gestor também terá beneficiado de férias pagas no que seriam contrapartidas para “fechar os olhos” aos alegados desvios de Luís Filipe Vieira.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Estas suspeitas estarão a ser investigadas pelo Ministério Público (MP) no âmbito do processo Cartão Vermelho, como adianta o Correio da Manhã (CM). O jornal refere que Domingos Soares de Oliveira pode ser constituído arguido nos próximos dias.

A publicação reporta que “o Benfica pagava tudo” ao CEO do Grupo do Benfica, desde “o casamento da filha” à “ama” e ao “colégio” do filho. Mas também “pagou as prendas de aniversário da mulher do actual administrador” do Benfica, “mini-férias” no Alentejo e outros “luxos”.

Estes pagamentos de despesas de Domingos Soares de Oliveira seriam uma forma de o levar a “fechar os olhos” aos alegados esquemas de Vieira, como refere o CM.

O jornal também admite que Rui Costa possa vir a ser constituído arguido, pois o MP entende que “era difícil haver quem não soubesse do esquema criminoso” de Vieira no seio da cúpula directiva do Benfica.

O MP está a investigar 55 transferências de jogadores, suspeitando-se que Vieira desviou milhões em comissões.

“Pago tudo com o cartão do Benfica”

As escutas telefónicas realizadas a Vieira detectaram o ex-presidente do Benfica a dizer que usava o dinheiro do clube para as suas despesas pessoais, segundo reporta o Record.

Pago tudo com o cartão do Benfica. Almoços, jantares, gasolina e tudo… é com aquele cartão”. Terá dito Vieira numa conversa com o antigo vice-presidente do clube, João Braz Frade, em Junho de 2021, conforme cita o desportivo.

Além disso, Vieira também terá manifestado o orgulho por ter enganado os deputados na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) às perdas do Novo Banco.

“O problemas deles é saber se há muito ou se há pouco. Não vão saber, pois eu nem na CPI disse! Disse que não tinha nada, tinha a reforma [rindo] diz que são doidos”, destacou Vieira nessa conversa, segundo refere o Record.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.