Bebés prematuros correm maior risco de problemas cardíacos ao longo da vida

aarongilson / Flickr

Pessoas que tenham nascido prematuramente correm um maior risco de problemas cardíacos ao longo da vida em comparação com aqueles que nasceram no durante o período normal de gestação.

As semanas e meses após o nascimento são um momento crítico para o crescimento do coração de bebés prematuros. Isto acontece principalmente porque eles enfrentam grandes mudanças no fluxo sanguíneo e aumento da demanda de oxigénio à medida que passam para o ambiente externo durante um período em que normalmente se desenvolviam dentro da mãe.

Muitos estudos identificaram o nascimento prematuro (antes das 37 semanas de gestação) como um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardíacas precoces, incluindo insuficiência cardíaca. A insuficiência cardíaca é quando o coração não consegue bombear o sangue pelo corpo da maneira mais eficaz que deveria.

Outros estudos mostraram que o nascimento prematuro está associado a anormalidades na estrutura e função do coração, mas a extensão e evolução dessas mudanças ao longo do desenvolvimento, do nascimento à idade adulta, não estão bem definidas. No entanto, é importante que elas sejam bem definidas, já que uma em cada dez pessoas em todo o mundo nasce prematuramente.

Num estudo recentemente publicado na revista científica Pediatrics, uma equipa de investigadores realizou uma metanálise de dados que comparam a estrutura e a função do coração usando ecocardiografia ou ressonância magnética cardiovascular para pessoas nascidas prematuras versus nascidos no período normal de gestação.

Os resultados mostraram que as câmaras de bombeamento esquerda e direita do coração, conhecidas como ventrículos, são menores em todos os estágios de desenvolvimento em pessoas nascidas prematuramente. Além disso, a função da bomba contrátil-propulsora do ventrículo direito é prejudicada em todos os estágios de desenvolvimento.

Embora a capacidade do ventrículo esquerdo de relaxar e encher-se de sangue seja menor nos recém-nascidos prematuros, isso parece piorar com a idade. Além disso, o nível de espessamento da parede muscular do ventrículo esquerdo da infância à idade adulta é acelerado em pessoas nascidas prematuramente. Muitas dessas mudanças mostraram-se piores nas pessoas nascidas prematuramente.

Estas mudanças no coração das pessoas nascidas prematuramente têm sido associadas ao desenvolvimento de doenças cardíacas mais tarde na vida, mas também podem colocá-las em risco mais imediato de doenças cardíacas do que os seus pares nascidos no período normal de gestação. Estudos mostram que essas mudanças físicas no coração tornam as pessoas nascidas prematuramente menos capazes de lidar com as exigências de stresse fisiológico, como o exercício físico.

O motivo destas mudanças ainda não é conhecido. Trabalhos de diferentes modelos animais de parto prematuro mostraram que uma provável razão é a transição precoce do útero. Acredita-se que o coração sofra alterações de fluxo e pressão durante o nascimento, além de grandes mudanças nos níveis de oxigénio, causando alterações nas células e na forma do coração.

Por fim, isso faz com que as células musculares do coração, conhecidas como cardiomiócitos, cresçam de maneira diferente e as propriedades estruturais e funcionais do coração mudem para atender as exigências do corpo. Embora este seja um evento normal para todos os nascimentos, o coração prematuro parece ser menos capaz de lidar com essas mudanças.

PARTILHAR

RESPONDER

Portugal tem o segundo melhor ataque do Euro. E a terceira pior defesa

Fechada a segunda jornada da fase de Grupos do Euro 2020, a seleção nacional tem o segundo melhor ataque da prova, com 5 golos marcados, atrás apenas da Itália. Mas tem também a terceira pior …

Espanha 1-1 Itália | Hino ao desperdício trama La Roja

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, empatou hoje a um golo com a Espanha, em Sevilha, em encontro da segunda jornada do Grupo E do Euro2020, mantendo-se ambas sem vitórias. A formação espanhola, que …

Já pode ajudar a NASA a batizar o manequim que vai até à Lua

A agência espacial norte-americana está a pedir ajuda para batizar o "Moonikin", o manequim que vai a bordo da nave Orion, durante a missão lunar Artemis I, ainda este ano. Quando a nave espacial Orion, da …

Portugal em Europeus: as últimas três derrotas foram (todas) contra a Alemanha

Em 90 minutos, Portugal não era derrotado numa fase final de um Europeu desde a estreia no Europeu 2012. Recorde as seleções que bateram Portugal, até agora. "Já não posso ver os franceses à frente". Esta …

Spotify lança Greenroom (e abre concorrência ao Clubhouse)

O Spotify lançou na quarta-feira, dia 16 de junho, uma app de conversas por áudio em direto chamada Greenroom, uma resposta do gigante sueco de streaming de música à popular plataforma Clubhouse. O Greenroom permite que …

"Médicos de árvores" em Singapura ajudam a preservar os seus pacientes gigantes

Arboristas como Eric Ong são responsáveis pelo bem-estar das milhares de árvores em Singapura. O seu trabalho é essencial para a preservação da natureza. A Singapura é uma cidade-estado insular situada ao sul da Malásia, com …

Novo primeiro-ministro de Israel dá 14 dias a Netanyahu para deixar residência oficial

O novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Benet, deu duas semanas ao antecessor Benjamin Netanyahu para abandonar a residência oficial do chefe de Governo, em Jerusalém, segundo adianta hoje a imprensa local. Benet terá enviado na sexta-feira …

Ponte inca com mais de 500 anos é reconstruída após cair durante a pandemia

Peruanos da comunidade Huinchiri, localizada na região de Cusco, estão a reconstruir uma ponte inca com 500 anos. Esta foi feita a partir de técnicas tradicionais de tecelagem para criar uma passagem sob o Rio …

Portugal 2-4 Alemanha | Reality check ao plano do engenheiro

A seleção portuguesa de futebol, campeã em título, caiu hoje para o terceiro lugar do Grupo F do Euro2020, ao perder por 4-2 com a Alemanha, em encontro da segunda jornada, disputado no Allianz Arena, …

Pandemia mostrou “falta de proteção das mulheres”

A pandemia de covid-19 mostrou “a vulnerabilidade e a falta de proteção das mulheres e quão pouco as sociedades se preocupam realmente em proteger elementos-chave em matéria de segurança”, considera Edit Schlaffer, diretora-executiva da Women …