“A grande mentira da Lua”: A notícia falsa que fez o mundo acreditar que havia vida inteligente no nosso satélite

9

Em 1835, o jornal norte-americano The Sun levou o mundo a acreditar que havia vida na Lua. A falsa descoberta foi atribuída ao astrónomo John Herschel.

Em março de 1835, o The Sun publicou uma série de seis artigos que relatavam aquela que seria a descoberta mais importante da história da Humanidade – se não fosse mentira.

O El Español também a noticiou, a 27 de março, em Espanha. A manchete era clara: “Habitantes na Lua“.

O matemático e astrónomo John Herschel dizia ter observado vida inteligente na Lua, graças ao poderoso telescópio que o próprio havia criado. Depois de a mentira ter sido pelo The Sun, espalhou-se rapidamente pelos Estados Unidos e pela Europa, levando milhões de leitores a acreditar que havia vida no satélite natural da Terra.

Se numa das primeiras publicações o The Sun noticiava que tinham sido observados “pequenos grupos de árvores de todas as espécies imagináveis” na Lua, nos dias que se seguiram a história ganhou contornos muito mais entusiasmantes.

Herschel afirmava ter avistado “flores vermelhas” e “manadas de bisontes” na Lua, assim como outras “criaturas anfíbias esféricas que se moviam lentamente sobre rochas”.

O telescópio poderosíssimo do astrónomo também tinha sido (supostamente) capaz de captar “vegetação lunar variada” e uma “espécie de castor bípede que vivia em cavernas e que carregava as suas crias no colo, como qualquer humano”.

No artigo seguinte, estes seres já se assemelhavam a “seres humanos com cabelo curto e brilhante de cor de cobre”.

O embuste acabou por ser descoberto e apelidado de “A Grande Mentira da Lua“.

Segundo o ABC, foi o jornal que inventou tudo e o cientista, que nada teve a ver com a situação, tomou-a como uma piada, afirmando que quando publicasse o seu próximo artigo científico, os leitores que tivessem lido toda a história iriam achá-lo aborrecido.

Esta “notícia falsa” da Era Contemporânea foi, sem dúvida, bem sucedida, tendo em conta a sua circulação.

A Lua, essa, continua a ser inabitável devido à sua intensa radiação, falta de atmosfera, mudanças drásticas de temperatura e poeira abrasiva.

  ZAP //

9 Comments

      • “Piratinha” cada um tem o direito de acreditar no que quiser…entretanto já que falou em pedras e se trata como pirata…cuidado com as rochas do seu mar alto….

        • Provavelmente, o meu pior azar não será bater nas rochas no alto mar mas sim cair para o abismo, pois a terra é plana.

          • A sua ideia de terra plana é realmente um caos…você pensa que a ideia de terra plana tem um abismo…mas não….é mais na onda do under the dome, existe uma barreira. Você pensou em ridicularizar através da terra plana como se isso fosse algo rídiculo…mas garanto-lhe que não é, investigue com a mente aberta, sem dogmas e verá a verdade.

            • Agora sem brincadeiras… Nunca tive intenção de ridicularizar alguém. Foi apenas uma forma de brincar com a situação. Quanto à barreira que supostamente existe/mundos paralelos/outras dimensões/triangulo das bermudas são assuntos que já li alguma coisa (pouca, confesso) e não cheguei a qualquer conclusão (mesmo que lesse muito) pois são assuntos sobre os quais não tenho bases científicas. O que de facto me inttriga é achar que não temos tecnologia que nos permita chegar à Lua. Não chegamos já a Marte? Não enviamos sondas que já saíram do sistema solar?Mas OK. Respeito a sua opinião.

  1. Os “cientistas”, de vez em quando, enfiam-nos cada “peta” e nós, feitos papalvos, de boca aberta a olhar para a lua, engolimos tudo!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.