Vulcão Tonga provocou um enorme derrame de petróleo na costa do Peru

Pedro Spadaro / EPA / STR

O derrame de petróleo na costa peruana, causado pelas ondas da erupção do vulcão submarino de Tonga, levou dezenas de pescadores a protestar à frente da principal refinaria do país, na terça-feira.

Rubén Ramírez, ministro do Ambiente do Peru, disse à comunicação social que as autoridades estimam que foram derramados cerca de 6.000 barris de petróleo na área rica em biodiversidade marinha.

Em frente à refinaria La Pampilla, na província de Callao, perto da capital de Lima, pescadores protestaram contra o “crime ecológico“, acusando a Repsol de ser “assassina da fauna marinha”, noticia a NPR.

O derramamento, que causou uma mancha de petróleo com cerca de 18 mil metros quadrados, pode ser uma consequência da explosão do vulcão submarino em Tonga e ocorreu “devido à violência das ondas“.

Além de estar a afetar a fauna marinha, prejudica também áreas protegidas e as praias. O desastre ambiental aconteceu no sábado, quando um petroleiro com uma bandeira italiana estava a descarregar na refinaria da espanhola Repsol.

Miguel Ángel Núñez, líder de um dos sindicatos de pescadores da região, adiantou à imprensa no local que o derramamento “está a afetar e a contaminar a biodiversidade das águas”. Segundo a France Press, há também aves que continuam a ser resgatadas com os corpos cobertos por petróleo.

O Ministério Público do Peru já abriu uma investigação por crime de “contaminação ambiental” contra os representantes legais e funcionários da refinaria.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE