Desvendado o mistério dos “terramotos invísiveis” na falha de San Andreas

Um conjunto de forças inexplicáveis ​​que derretem as rochas sob a crosta terrestre e muito mais profundas do que se acreditava anteriormente parecem ser responsáveis ​​pelos poderosos terramotos ao longo de um segmento da falha de San Andreas.

Ao longo da falha de San Andreas, perto da cidade de Parkfield, Califórnia, um conjunto incrivelmente sensível de instrumentos sísmicos e GPS deteta algo estranho há vários anos: terramotos profundos que ocorrem bem abaixo de onde ocorre a maior parte do movimento sísmico na Califórnia.

Esses terremotos não são sentidos na superfície, mas são intrigantes porque este segmento dw San Andreas perto da cidade de Parkfield também estremece com terramotos de magnitude 6 ou mais a cada 20 ou 40 anos .

Esses tremores profundos podem estar ligados aos tremores da superfície. Agora, uma nova investigação encontrou a raiz desses terremotos profundos e silenciosos.

Especialistas da University of Southern California e da China Earthquake Administration descobriram que, ao longo de uma secção particularmente problemática da falha de San Andreas, as excitações subterrâneas que ocorrem muito mais profundamente do que onde se origina a maioria dos tremores monitorizados foram a causa de grandes instabilidades sísmicas.

Segundo os cientistas, a maior parte da atividade sísmica da Califórnia origina-se nos primeiros 16 quilómetros da crosta, mas alguns tremores na falha de San Andreas ocorrem muito mais profundamente.

“Porque e como é que isto acontece é em grande parte desconhecido. Mostrámos que uma secção profunda da falha de San Andreas parte com frequência e derrete as rochas hospedeiras, gerando essas ondas sísmicas anómalas”, disse Sylvain Barbot, geofísico na University of Southern California e líder do estudo, em comunicado.

Usando modelos matemáticos e experiências de laboratório, os cientistas simularam a dinâmica da atividade nas profundezas da Terra durante 300 anos e observaram que, após um grande terramoto, as placas tectónicas que colidem ao longo da falha entram num período de relativa calma.

Porém, aos poucos, essa interação começa a gerar calor devido ao atrito. O atrito faz com que a temperatura suba e os enormes blocos de rocha se tornem mais fluidos. Ao mesmo tempo, é criado um ciclo vicioso, uma vez que o aumento da fluidez leva a mais deslizamento e mais atrito.

Em pouco tempo, os blocos deslizam rapidamente entre si e é desencadeado um terramoto.

Os cientistas argumentam que esta é uma forma diferente de estudar a falha de San Andreas. “É difícil fazer previsões, por isso, em vez de apenas prever, estamos a tentar explicar todos os diferentes tipos de movimento que se vê no solo”, concluiu Barbot.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica Science Advances.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mercado teme corrida ao imobiliário com o fim dos vistos gold

A partir de janeiro, segundo as novas regras aplicáveis aos vistos gold, vão deixar de estar abrangidos os investimentos em imobiliário com destino a habitação em Lisboa, no Porto e no litoral. O regime que visa …

Desempregados inscritos no IEFP caem 10% em agosto

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a cair, pelo quinto mês consecutivo. Agosto fechou com 368.404 desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego De acordo com os dados …

Agora que a catedral de Notre-Dame está estabilizada, pode dar-se início à reconstrução

Dois anos e meio após o incêndio que devastou a catedral de Notre-Dame, o edifício encontra-se seguro para iniciar o processo de reconstrução, que se espera estar concluído em 2024. Os trabalhos de segurança e consolidação …

Agente de viagens burlou Cristiano Ronaldo em 200 mil euros

Cristiano Ronaldo foi burlado, ao longo de mais de três anos, pela funcionária de uma agência de viagens a quem confiou os seus cartões de crédito e códigos. Jorge Mendes, Gestifute, Nani e Manuel Fernandes …

França diz-se "enganada" pela Austrália após suspensão de contrato de submarinos

Na semana passada, Estados Unidos, Austrália e Reino Unido anunciaram um acordo de defesa que inclui o desenvolvimento de submarinos nucleares na Austrália. O embaixador francês na Austrália, Jean-Pierre Thebault, disse esta segunda-feira que a França …

Sete mortos e 306 infetados nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta segunda-feira, 306 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Rússia Unida anuncia vitória nas legislativas

O partido do Kremlin, Rússia Unida, reivindicou no domingo a vitória nas eleições legislativas russas, mas a sua maioria constitucional na Duma, a câmara baixa do parlamento, está ainda por apurar, após a contagem de …

Cientistas estão a dar vida ao holodeck, um holograma que você pode tocar

Os cientistas estão cada vez mais perto de tornar o holodeck uma realidade. Investigadores estão a criar um holograma que você pode tocar. A série Star Trek: The Next Generation apresentou a milhões de pessoas a …

A partir de novembro, EUA passam a permitir entrada de estrangeiros totalmente vacinados

A partir do início de novembro, os Estados Unidos passam a permitir a entrada de viajantes da União Europeia (UE) e do Reino Unido, desde que estejam totalmente vacinados. Os Estados Unidos vão reduzir as restrições …

Talibãs mandam funcionárias do governo de Cabul ficar em casa

As funcionárias do governo de Cabul devem ficar em casa. A única exceção aplica-se às trabalhadoras cujos cargos não podem ser desempenhados por homens. Só as mulheres "que não podem ser substituídas por homens" podem regressar …