A “tele-escola” em 2006: Gisela conta como era

André Kosters / Lusa

#EstudoEmCasa – A Escola na Televisão

20 de abril de 2020: o regresso da escola à RTP, agora com a designação Estudo em Casa. Um ano depois desse momento, cruzámo-nos com uma jovem que nasceu em 1994 e que ainda estudou através da tele-escola (ou mais ou menos). Gisela Sampaio conta como eram as aulas no ano letivo 2005/06, em duas escolas em Guimarães. Frequentava o sexto ano mas estava na escola primária.

ZAP – Tele-escola, Ciclo Preparatório TV, Ensino Básico Mediatizado: várias designações para o ensino à distância, que terminou em 2004…
Gisela – 2004?

ZAP – Sim. Pelo menos oficialmente, sim.
Gisela – 2006. A minha escola e outra escola do meu concelho, Guimarães, ainda tiveram o método tele-escola em 2005/06. Pelo menos era essa a designação. Do que tenho conhecimento, essas duas escolas foram as últimas do país a utilizar a tele-escola. Foi em 2006, quando terminei o sexto ano de escolaridade.

ZAP – Situa as escolas.
Gisela – Em São Faustino, que é a minha freguesia, e em Calvos.

ZAP – E portanto, no teu quinto e sexto anos, vias vídeos? Como é que funcionava?
Gisela – Não era bem assim, não eram vídeos. Lembro-me de existirem armários de metal, fechados, com televisões antiguinhas e com cassetes. E as aulas de música, realmente, eram através de vídeos, mas as outras aulas eram com professoras. Só duas professoras: uma da área das letras, que lecionava português, francês, história e moral; a outra da área das ciências, que lecionava ciências naturais, matemática, educação visual e tecnológica e música.

ZAP – Tudo isso de forma presencial.
Gisela – Sim. Mas o nome manteve-se. Não tenho muito conhecimento de como funcionava antes. Mas eu tinha um horário físico, presencial, na escola.

ZAP – A turma tinha muitas crianças?
Gisela – Acho que éramos 10. E na outra freguesia não eram muitos.

ZAP – No ano letivo seguinte, no teu sétimo ano, sentiste diferenças no ensino, nos horários…?
Gisela – Eu não tinha conhecimento de outra realidade. Para mim, era normal o quinto e o sexto anos serem feitos na escola primária, nas instalações da escola primária. Foi novidade ter um professor para cada disciplina. Lembro-me de os professores dizerem que os meninos que vinham de escolas como a minha eram mais bem comportados. Éramos muito caladinhos!

ZAP – Durante o teu percurso escolar, mais tarde, alguma vez te sentiste prejudicada até ao sexto ano?
Gisela – Um bocadinho. Senti no inglês. Quando chegávamos ao quinto ano, só tínhamos a opção do francês, quando é suposto haver escola entre inglês e francês. Por muito que se queira recuperar, é difícil, foram dois anos de estudo de inglês que ficaram para trás, em relação aos outros colegas. Faz diferença. E também acabou por prejudicar um bocadinho nas disciplinas não muito teóricas. Porque, como eram só duas professoras, roubavam um bocadinho de tempo dessas disciplinas (como EVT ou educação física) para as disciplinas como matemática. Lembro-me que, muitas vezes, só tínhamos aula de educação física porque estava presente o professor de educação física da primária e a nossa professora pedia para nós nos juntarmos. EVT… Não tínhamos propriamente EVT. Era quase “a hora do desenho”.

ZAP – Ver vídeos, aprender por vídeos: só em educação musical?
Gisela – Sim. Nunca aprendi a tocar flauta, como a maioria. A música famosa do ‘Titanic’…não faço ideia de como se toca.

ZAP – Alguma vez viste a atual tele-escola?
Gisela – Sim, por curiosidade. Como eu trabalho em escolas, como terapeuta ocupacional, tive curiosidade em ver. A parte que me interessava mais ver era a parte da inclusão.

ZAP – E o que achaste?
Gisela – Não consigo falar muito sobre os conteúdos, porque as coisas mudaram. Em relação às dinâmicas, pareceu-me interessante. E também acredito que, para os professores, não tenha sido fácil adaptarem-se, assim do nada. São professores, não são atores. E é muita pressão. Acho que pecou a parte da inclusão, dos meninos que necessitam de outro tipo de acompanhamento; e se calhar foi por isso que, neste novo confinamento, optaram por esses meninos continuarem a estar presentes na escola.

Nuno Teixeira Nuno Teixeira, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Presidente da República promulga Carta de Direitos Humanos na Era Digital

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou este sábado a Carta de Direitos Humanos na Era Digital, aprovada em abril na Assembleia da República, segundo uma nota divulgada no site da Presidência. A lei, …

Depois de 17 anos no subsolo, biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos

Biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos. O aviso é de um grupo de cientistas que alerta que, dentro de alguns dias ou semanas, as cigarras da Ninhada X vão surgir depois de 17 …

Foguetão chinês regressou à Terra (e a maior parte desintegrou-se)

Um importante segmento do foguetão chinês desintegrou-se este domingo ao reentrar na atmosfera terrestre e caiu no oceano Índico, perto das Maldivas, anunciou a agência espacial da China. "De acordo com o percurso e análise, pelas …

"Se eu encaixar, eu sento-me." Os gatos adoram caixas ilusórias

Qualquer amante de gatos sabe que estes animais têm uma predileção inata por se sentarem em espaços fechados, mesmo que o espaço seja apenas um contorno bidimensional de um quadrado no chão.  Os cientistas analisaram esta …

Jet pack da Marinha britânica. Fuzileiros navais testam macacão Gravity em exercício de embarque

Quem melhor do que as organizações militares para testar e usufruir dos jet packs? A Marinha Real Britânica e os Fuzileiros Navais reais testaram um macacão a jato, desenvolvido pela empresa Gravity Industries. Esta semana, a …

Marés de Júpiter podem ajudar a perceber a história do Sistema Solar

Uma equipa de investigadores detetou uma pequena perturbação gravitacional em Júpiter. A descoberta pode ajudar a investigar o interior do planeta e perceber melhor a história do Sistema Solar. "Se você tentasse mergulhar em Júpiter, nunca …

Em 1925, "O Isolador" prometia bloquear qualquer tipo de distração

Procrastinar foi, é e sempre será um passatempo irresistível. Por isso, nos anos 20, houve quem apresentasse uma solução radical para evitar este problema: "O Isolador". De acordo com o site IFLScience, o chamado "Isolador" foi …

Seca no México revela uma igreja submersa há 40 anos

Uma igreja no estado de Guanajuato, no México, sobrevive entre a água e os peixes, como única testemunha de um povoado inundado por uma barragem há mais de 40 anos. Agora, devido à seca que …

Neymar prolonga contrato com o Paris Saint-Germain até 2025

O avançado internacional brasileiro Neymar renovou contrato com o Paris Saint-Germain até 30 de junho de 2025, informou hoje o tricampeão francês e vice-campeão europeu de futebol. “O Paris Saint-Germain tem o prazer de anunciar que …

Países usaram modelo do queijo suíço para conter a covid-19. Na Índia, alguns "buracos" eram demasiado grandes

A grande maioria dos países adotou a estratégia do queijo suíço para responder à pandemia. Na Índia, os "buracos" eram demasiado grandes em três das camadas mais importantes. Para responder à crise sanitária desencadeada pela covid-19, …