Salvini novamente investigado por impedir desembarque de migrantes

european_parliament / Flickr

Matteo Salvini, vice-primeiro ministro italiano, ministro do Interior e líder da Liga

Matteo Salvini está a ser novamente investigado por ter impedido o desembarque de migrantes em Itália. Esta política suscita críticas dentro do próprio Executivo.

O ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, divulgou esta terça-feira que está a ser investigado novamente pela retenção de um navio humanitário de resgate de migrantes durante dias no mar, uma política que suscita críticas dentro do próprio executivo italiano.

Sou objeto de uma nova investigação”, anunciou o também vice-primeiro-ministro e líder da extrema-direita italiana, à margem de uma conferência de imprensa. “Cá vamos de novo”, reforçou o líder da Liga, que no verão do ano passado foi formalmente investigado por um outro caso com contornos semelhantes.

Em março do ano corrente, o Senado italiano decidiu bloquear qualquer ação contra o ministro italiano. Os parlamentares italianos têm este poder se considerarem que um ministro agiu em conformidade com as suas funções e no interesse superior do Estado.

O atual caso está relacionado com os 47 migrantes resgatados a 19 de janeiro ao largo da Líbia pelo navio da organização não-governamental (ONG) alemã “Sea-Watch“, que foram impedidos de desembarcar na Catânia, na Sicília, a 31 de janeiro, após um acordo de distribuição e de acolhimento formalizado com vários países europeus, incluindo Portugal.

Apesar das ameaças de prisão e das acusações lançadas por Salvini contra a tripulação do navio da ONG alemã, o Ministério Público da Catânia esclareceu prontamente que não tinha identificado qualquer infração.

Já o Ministério Público de Siracusa, porto siciliano onde a embarcação permaneceu ao largo durante vários dias para se proteger do mau tempo, abriu um inquérito por sequestro e identificou o ministro do Interior italiano como suspeito.

Não sei se é razão para rir ou não”, afirmou Matteo Salvini sobre esta nova investigação. “Mas aos juízes que vão decidir e aos meus colegas ministros que têm expressado as suas dúvidas nas últimas horas, repito que os portos italianos estão e permanecerão fechados”, reforçou.

Numa altura em que os serviços de informação italianos alertam para o risco de novas partidas de migrantes da Líbia por causa da escalada militar registada nas últimas semanas naquele país, vários ministros do Movimento 5 Estrelas, parceiro governamental de Salvini, têm questionado a linha política relacionada com as migrações imposta pelo ministro.

“Encerrar os portos é uma medida ocasional, é eficaz em certos casos quando é preciso sacudir a União Europeia (UE)”, declarou o vice-primeiro-ministro Luigi Di Maio. “Funciona por agora, mas em caso de uma intensificação da crise, não será suficiente”, prosseguiu Luigi Di Maio.

Também a ministra da Defesa italiana, Elisabetta Trenta, levantou dúvidas sobre a política de “portos fechados” defendida por Salvini. “Se chegarmos a ter uma guerra (na Líbia), não vamos receber migrantes, mas sim refugiados. E os refugiados devem ser acolhidos”, referiu a ministra.

Em reação às declarações dos ministros, Matteo Salvini respondeu: “Da ordem pública, da segurança e da defesa das fronteiras, eu ocupo-me”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Nicotina contribui para cancro do pulmão formar metástases no cérebro

A nicotina, uma substância não carcinogénica presente no tabaco, contribui para que o cancro no pulmão se dissemine no cérebro, formando metástases, concluiu um estudo publicado na revista Journal of Experimental Medicine. Uma equipa de investigadores …

Nas montanhas suíças, há quartos de hotel sem paredes nem teto

Dois artistas concetuais suíços criaram sete "quartos de hotel" ao ar livre, sem paredes nem teto, mas com vistas para as montanhas da Suíça e de Liechtenstein. A dupla suíça, os irmãos gémeos Frank e Patrik …

Risco de segunda vaga de covid-19 é alto em França

Um estudo publicado esta sexta-feira revela que a chamada "imunidade de grupo" está longe de ser alcançada em França. O risco de uma segunda vaga de covid-19 em França é "extremamente elevado", de acordo com um …

Desvendado mistério das cartas censuradas entre a rainha Maria Antonieta e o seu suposto amante

A natureza da relação entre a rainha Maria Antonieta e o conde sueco Axel de Fersen continua a intrigar os historiadores há mais de um século. Eram realmente amantes? Agora, graças a uma nova análise …

Ministra do Madagáscar afastada por querer gastar 1,8 milhões em rebuçados para disfarçar sabor de "Covid-Organics"

A ministra da Educação do Madagáscar foi destituída esta quinta-feira, depois de ter proposto gastar 1,8 milhões de euros em rebuçados, para distribuir em escolas e atenuar o sabor de uma infusão para a covid-19. A …

Santa Clara 3-2 SC Braga | Açorianos estreiam-se na nova casa com vitória sobre os minhotos

O Santa Clara venceu hoje o Sporting de Braga por 3-2, em jogo da 25.ª jornada da I Liga de futebol em que se assinalou também a estreia da Cidade do Futebol como palco de …

O maior e mais antigo monumento Maia já conhecido foi descoberto no México

O maior e mais antigo monumento já conhecido construído pela civilização Maia, batizado como Aguada Fénix, foi encontrado no sudeste do México. De acordo com o site New Scientist, o Aguada Fénix é uma enorme …

Twitter bloqueia vídeo de campanha de Donald Trump com tributo a George Floyd

O Twitter bloqueou um vídeo de tributo a George Floyd feito pela campanha de reeleição do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. A rede social colocou um rótulo no vídeo da página da conta @TeamTrump, dizendo …

Depois da covid-19, poder haver uma outra doença respiratória à nossa espera

Com o desconfinamento, vamos gradualmente regressando ao normal, mas agora possivelmente com um novo inimigo. A doença dos legionários pode estar escondida nos edifícios que deixamos para trás. Surtos globais de coronavírus forçaram o encerramento de …

Apple está a seguir iPhones roubados das lojas durante os protestos nos EUA

Os iPhones que têm sido roubados das lojas da Apple durante os protestos contra a violência policial, nos Estados Unidos, foram desativados e estão a ser seguidos pela empresa. De acordo com a revista Newsweek, as …