Há uma razão pela qual antigamente as pessoas não sorriam para as fotos

Em grande parte das fotografias antigas, as pessoas nunca sorriam, mantendo quase sempre um ar sério. O longo tempo que era necessário para captar a foto costuma ser a explicação oferecida, mas há uma razão mais pertinente.

Ao dar uma rápida vista de olhos pelos álbuns antigos de família, podemos ficar com a impressão de que os nossos antepassados eram pessoas carrancudas e sérias. No entanto, há razões que podem explicar porque razão as pessoas não tinham o hábito de sorrir para a câmara quando tiravam uma fotografia.

Alguns argumentam que tem a ver com o tempo que era necessário para a câmara fotográfica captar a foto. O tempo de exposição, que basicamente é a quantidade luz que uma câmara precisa para tirar uma fotografia, era bastante longo e, de acordo com a Vox, poderia demorar entre 10 a 15 minutos.

No entanto, este problema foi rapidamente resolvido e registaram-se avanços significativos no tempo que uma câmara necessitava para captar um retrato. Por isso mesmo, o facto de as pessoas não sorrirem nas fotos, é explicado por algo completamente distinto.

Antes de existirem câmaras fotográficas, os retratos eram feitos através de pinturas. Estes eram muito mais demorados, caros e praticamente únicos na vida. Por essas razões, um retrato fotográfico era uma ocasião séria e, essa mentalidade, arrastou-se até aos tempos iniciais da fotografia.

“Não há nada mais condenável a ficar para a posteridade do que um sorriso idiota e insensato capturado para a eternidade”, disse, em 1913, o escritor e humorista norte-americano Mark Twain.

Um dos exemplos oferecidos pela Vox é também o uso do retrato fotográfico em pessoas falecidas, servindo quase como uma imortalização da pessoa.

Nadar / Wikimedia

O escritor francês Eugène Pelletan

Aliás, as pessoas não eram assim tão sérias, simplesmente adotavam essa postura quando iam tirar uma fotografia. Segundo o Smithsonian, em meados do século XIX, uma fotografia era algo tão caro e incomum que as pessoas sabiam que provavelmente seria a única foto que iam ter para o resto das suas vida.

Quando Eastman Kodak inventou a máquina de mão em 1888, mudou completamente o paradigma das fotografias. Anos mais tarde, fotografias com pessoas a sorrir e com um ar mais alegre eram muito mais comuns do que uns anos antes.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Físicos já conseguem espreitar o gato de Schrödinger sem o matar

Pode haver uma forma de espreitar o gato de Schrödinger - a famosa experiência mental baseada em felinos que descreve o comportamento misterioso das partículas subatómicas - sem matar permanentemente o animal hipotético. O gato de …

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …