Portugal 3-0 Qatar | Desperdício impede goleada das grandes

António Cotrim / Lusa

De três em três. Após o triunfo por 3-1 em Setembro, Portugal voltou a bater o pé ao Qatar, vencendo na noite deste sábado por 3-0.

Foi a quarta vitória consecutiva da turma das “quinas”, que nos últimos 23 encontros só perdeu uma vez, nos oitavos-de-final perante a Bélgica.

O Estádio do Algarve foi o palco que acolheu as estreias de Diogo Costa, Matheus Nunes (ambos titulares) e Rafael Leão, que entrou ao intervalo substituindo Cristiano Ronaldo, o autor do tento inaugural em mais uma jornada histórica para o capitão. José Fonte estreou-se a marcar com as cores nacionais e André Silva fechou as contas do “score” final.

Uma espécie de avalanche rondou o último reduto qatari.

Portugal tentou chegar ao golo de todas as maneiras e feitios – dez remates, sendo que metade foram enquadrados -, porém, ora pecava no momento da finalização, ora surgia o guardião Al Sheeb a brilhar com quatro intervenções que lhe valeram o rating mais alto ao intervalo 6.9.

Decorria o minuto 37 quando o nulo foi desfeito. Matheus Nunes descobriu Dalot no corredor direito, este endossou a bola de cabeça, Al-Rawi falhou a intercepção e Cristiano Ronaldo apontou o tento 112 com as cores nacionais.

A turma lusa apresentou uma boa dinâmica e não fosse ter desperdiçado algumas ocasiões flagrantes teria chegado ao intervalo com um resultado mais folgado.

Ao cabo dos primeiros 47 minutos, o estreante Matheus Nunes – uma ocasião criada, dois passes para finalização, seis passes valiosos, três passes aproximativos, outros tantos super aproximativos e 45 acções com a bola – era o melhor “tuga”, com GoalPoint Rating de 6.4. O MVP do encontro era o guardião contrário Al Sheeb.

Segunda metade de sentido único. Portugal entrou a marcar com o “tiro” certeiro de José Fonte, foi rondando o alvo em constantes raides, mas apenas no último suspiro voltou a festejar graças ao cabeceamento certeiro de André Silva.

Em suma, boa exibição portuguesa, que foi encontrando espaços para derrubar o muro qatari, apresentou boa dinâmica e soluções no ataque posicional e não fosse o já crónico desperdício na finalização teria fechado a noite com um resultado ainda mais folgado. 

Melhor em Campo

Quer à direita, quer à esquerda, onde assentou arraiais após a saída de Nuno Mendes ao intervalo, Diogo Dalot rubricou uma exibição de encher as vistas, sempre disponível, carrilou imenso jogo pelos corredores e foi uma seta apontada à defesa contrária.

Esteve ligado ao lance do golo inaugural, ainda marcou, mas a jogada foi anulada por suposta mão na bola (81′) e ao todo amealhou os números assinaláveis.

Um remate, cinco passes para finalização (máximo na partida), quatro passes valiosos, quatro cruzamentos, sete passes aproximativos, cinco acções com a bola na área qatari, seis conduções aproximativas (registo que mais ninguém obteve), três recuperações da posse e outras tantas acções defensivas no meio-campo contrário.

Em síntese, uma “performance” digna de um MVP, que levou para casa o prémio com um Goalpoint Rating de 7.6.

Destaques de Portugal

Danilo 7.2 – A actuar como defesa-central, saiu do teste com nota alta: quatro desarmes, três remates (dois enquadrados), quatro passes valiosos, três conduções aproximativas, venceu os três duelos aéreos em que interveio e recuperou a posse nove vezes (recorde no duelo). Foi o jogador que somou mais passes certos (74).

Matheus Nunes 7.1 – Estreia para mais tarde recordar do médio, que foi titular. Desenhou o lance que terminou no primeiro tento, gizou três passes para finalização, seis valiosos, realizou seis recuperações e sofreu duas faltas, ambas em zona de perigo.

Rafael Leão 7.0 – Sobre o lado esquerdo, teve liberdade para realizar os movimentos de fora para dentro de que tanto gosta. Não fossem os ferros (dois tiros travados pela barra e poste), teria tido uma nota ainda mais elevada. Ofereceu ainda o 3-0 a André Silva, não falhou nenhum dos 11 passes feitos, somou dois passes ofensivos valiosos, dois para finalização, criou duas ocasiões flagrantes e acertou cinco dos oito dribles tentados (máximo no duelo). Estreia muito positiva do dianteiro.

André Silva 6.8 – Tanto tentou que acabou por ser premiado com um golo tardio, mas mais do que justo – Expected Goals (xG) de 1,5. Fez sete remates, cinco passes valiosos, recuperou 14 passes aproximativos e coleccionou 15 acções com a bola na área contrária.

José Fonte 6.8 – Ao cabo da 47ª internacionalização, estreou-se a marcar com as cores lusas. Aos 37 anos continua a ser uma aposta segura, sempre que joga não compromete. Realce para as cinco recuperações da posse registadas.

William Carvalho 6.3 – Voltou a ser convocado após as críticas do Europeu. Nos 60 minutos em que jogou, rematou ao alvo duas vezes, realizou quatro passes valiosos e outras tantas acções defensivas no meio-campo do Qatar.

Cristiano Ronaldo 6.2 – Mais um jogo e mais recordes batidos. CR7 é o jogador europeu com mais jogos internacionais (181) e fez o golo número 112 com as cores portuguesas. Nos 47 minutos em que jogou fez três remates, três passes valiosos e 24 acções com o esférico.

João Mário 6.1 – Foi titular e também não destoou, apresentando-se num bom plano com um remate, uma ocasião flagrante criada, quatro passes para finalização e três passes aproximativos recuperados. A rever, as 18 vezes em que perdeu a posse (máximo negativo no duelo).

Bruno Fernandes 5.9 – Em 20 minutos acumulou um remate, dois passes para finalização, quatro valiosos e quatro acções na área adversária.

Nuno Mendes 5.6 – Sem muito que fazer na defesa, “esticou-se” no ataque, fez um remate, contabilizou duas acções com a bola na área adversária e dois desarmes.

Diogo Costa 5.3 – Na estreia com a Selecção A, foi um mero espectador, tendo apenas feito uma intervenção tal foi a parca produção ofensiva dos qataris.

Destaques do Qatar

Al Sheeb 7.3 – Foi um dos principais responsáveis por o resultado não ter sido ainda mais dilatado. Com amplos reflexos, registou sete defesas, sendo que seis foram a remates no interior da área qatari.

Pedro Ró-Ró 5.6 – Nascido em Algueirão-Mem Martins, o ala-direito ainda tentou enganar Diogo Costa e por poucos centímetros não marcou um golaço. Recebeu ainda cinco passes aproximativos, fez três desarmes e outros tantos alívios.

Resumo

  // GoalPoint

PARTILHAR

RESPONDER

Costa está muito empenhado num acordo pelo OE, mas não "a qualquer preço"

O primeiro-ministro disse, esta sexta-feira, que o Governo vai fazer tudo ao seu alcance para chegar a um acordo sobre o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), mas advertiu que "um acordo não se obtém …

Evergrande escapa por um triz ao default e garante o pagamento de juros de 71.7 milhões de euros

A gigante imobiliária chinesa conseguiu cumprir com o pagamento dos juros no limiar do fim da extensão do prazo. No entanto, persistem os receios sobre a possibilidade da crise na China contagiar a economia mundial. A …

Pessoas a andar na rua em Viena, Áustria

Em caso de apagão geral, Áustria é o primeiro país europeu a ter um Plano B(lackout)

E se houvesse um apagão que afetasse todo o continente europeu? O cenário é o argumento que o Ministério da Defesa austríaco tem usado para enviar um aviso à população desde o início deste mês. A …

Só um terço das empresas em Portugal têm gestores com um curso superior

O estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos refere que este valor é negativo para o país já que a formação superior dos gestores está associada à produtividade e há maior probabilidade da empresa começar …

Governo avança com desconto de 10 cêntimos por litro nos combustíveis para as famílias

O Governo vai criar um desconto de dez cêntimos por litro nos combustíveis para todas as famílias, até 50 litros por mês. Uma medida que estará em vigor entre novembro deste ano e março do …

Inês Sousa Real, porta-voz do PAN

PAN já enviou memorando de entendimento ao Governo

O partido Pessoas–Animais–Natureza enviou ao Governo, esta sexta-feira, o memorando de entendimento com cerca de 60 propostas, no âmbito do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). "O PAN fez chegar ao Governo um memorando do qual …

Alterações ao Orçamento de 2021 custaram, afinal, muito mais do que o estimado pelo Governo

Apenas duas das 291 medidas adicionadas representaram um impacto anual de 88 milhões de euros, com o Governo a calcular, durante a especialidade, que a totalidade custaria 3,2 milhões de euros. As alterações feitas ao Orçamento …

Entre a pandemia e os preços da energia, Marcelo alerta que chumbo do OE criaria "mais um problema"

O Presidente da República reiterou, esta sexta-feira, que deseja evitar uma crise política criada por um eventual chumbo do Orçamento de Estado, porque "só juntaria um problema" à pandemia e à subida dos preços dos …

França dá a partir de dezembro "cheque-combustível" de 100 euros

França vai dar a partir de dezembro um “cheque-combustível” único de 100 euros a cerca de 36 milhões de condutores que ganham menos de 2.000 euros por mês devido à escalada dos preços do gasóleo …

Parlamento aprova extinção do SEF

A extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi aprovada na Assembleia da República, esta sexta-feira, com os votos a favor do PS, BE e da deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira. O texto final apresentado …