/

Novo material converte em calor 90% da energia solar captada

David Baillot / UC San Diego Jacobs School of Engineering.

O investigador Bryan VanSaders mede a quantidade de energia solar que o novo material é capaz de absorver

O investigador Bryan VanSaders mede a quantidade de energia solar que o novo material é capaz de absorver

Uma equipa do Departamento de Engenharia Mecânica e Aeroespacial da Universidade norte-americana da Califórnia anunciou esta quarta-feira o desenvolvimento de um novo material que permite converter em calor 90% da energia de luz solar captada.

De acordo com a ECN Mag, o novo material suporta temperaturas superiores a 700 graus Celsius e sobrevive no exterior por períodos de vários anos, em situação de exposição ao ar livre e humidade.

O novo material, baseado num composto de nano-partículas de silicato de boro, foi desenvolvido por uma equipa multi-disciplinar liderada por Sungho Jin, professor de Ciência dos Materiais no Departamento de Engenharia Mecânica e Aeroespacial da Universidade da Califórnia, em San Diego.

“Queríamos criar um material que absorvesse a luz solar e que não o deixasse escapar. Queríamos criar um buraco negro da luz solar“, ironizou Sungho Jin.

Uma das vantagens do novo material é que pode ser usado para equipar centrais eléctricas que utilizem carvão ou combustíveis fósseis, porque usa o mesmo processo para gerar electricidade a partir de vapor.

O maior ciclo de vida do novo material permite ainda diminuir a frequência com que algumas instalações industriais são encerradas para reciclagem ou substituição dos materiais tradicionais de absorção de calor.

ZAP / Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE