Mila Kunis e Ashton Kutcher angariam mais de 15 milhões de dólares para a Ucrânia em dois dias

A atriz nasceu na Ucrânia e apelou ao apoio ao país natal. O casal vai pessoalmente doar três milhões de dólares.

Os atores Mila Kunis e Ashton Kutcher já angariaram mais de 15 milhões de euros para a Ucrânia na plataforma de crowdfunding GoFundMe, mais de metade do objetivo estipulado. O casal vai pessoalmente contribuir com três milhões de dólares, cerca de 2,8 milhões de euros.

As últimas 48 horas foram incríveis”, escreveu Mila Kunis, que tem ascendência ucraniana, numa atualização ​publicada na página de angariação de fundos GoFundMe​, citada pelo Público.

Os fundos recolhidos será dados à Flexport.org e à Airbnb.org, “duas organizações que estão activamente no terreno a prestar ajuda imediata àqueles que mais precisam”, explicam os atores.

O casal nota que a primeira “está a organizar envios de ajuda humanitária para centros de refugiados na Polónia, Roménia, Hungria, Eslováquia e Moldávia”, e a segunda trata de soluções de “alojamento gratuito de curto prazo para os refugiados que fogem da Ucrânia”.

A atriz também lembra as suas raízes ucranianas no vídeo da petição. “Hoje, sou uma ucraniana orgulhosa. A minha família veio para os Estados Unidos em 1991, mas nasci em Tchernivtsi​, Ucrânia, em 1983. Os ucranianos são pessoas orgulhosas e corajosas que merecem a nossa ajuda neste tempo de necessidade. Este ataque injusto à Ucrânia e à humanidade em geral é devastador e o povo ucraniano precisa do nosso apoio”, apela Mila Kunis.

O marido da atriz e também ator falou em seguida. “Enquanto vemos a coragem das pessoas do país onde ela nasceu, também somos testemunhas das necessidades daqueles que escolheram a segurança. Estamos a angariar fundos para um esforço de alívio que terá um impacto imediato no fornecimento de ajuda humanitária muito precisa para a área”, rematou Ashton Kutcher.

Já mais de 41 mil pessoas doaram para o fundo e outras estrelas de Hollywood, como a atriz Reese Witherspoon, incluem-se na lista

O conflito na Ucrânia começou a 24 de Fevereiro, com uma ofensiva militar da Rússia no país. Kiev afirma que já mais de 2000 civis morreram e a ONU aponta para que mais de 1,5 milhões de ucranianos tenham fugido para países vizinhos.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.