Meio pássaro e meio dinossauro: fósseis ajudam a reconstruir o elo entre as duas espécies

(dr) Michael Hanson e Bhart-Anjan Bhullar

Ilustração da ave primitiva Ichthyornis

Investigadores encontraram novos fósseis que dão novas pistas sobre a história evolutiva das aves.

Quatro novos fósseis da espécie Ichthyornis dispar – uma ave marinha primitiva que viveu há cerca de 85 milhões de anos num mar interior que dividiu a América do Norte – ofereceram provas surpreendentes do lugar importante que esta ave desempenhou na história evolutiva das aves.

Segundo o Público, esta ave marinha ostentava uma mistura de características dos seus antepassados dinossauros e das aves modernas. A Ichthyornis dispar viveu no período Cretáceo e tinha bico, dentes e um estilo de vida semelhante ao das gaivotas modernas.

Estes não foram os primeiros fósseis encontrados desta espécie. Os primeiros foram descobertos no século XIX na América do Norte, mas os mais recentes, encontrados em depósitos de calcário no Alabama e no Kansas (Estados Unidos), revelam muito mais do que aquilo que se sabia até agora.

Os cientistas afirmam que estas aves evoluíram a partir de pequenos dinossauros emplumados. A Ichthyornis dispar tinha um voo forte, um corpo ágil e adaptado ao voo tal como as aves modernas, explica o paleontólogo Bhar-Anjan Bhullar, da Universidade de Yale (Estados Unidos) e um dos autores do artigo científico, publicado na Nature.

“Apesar da modernidade do corpo e asas, conservou quase todos os dentes dos dinossauros e tinha uma mordida forte com os grandes músculos da mandíbula como os dinossauros. Contudo, percecionava o mundo e encarava-o como uma ave, com olhos enormes e amplos olhos das ave e um cérebro de aparência moderna”, acrescenta Bhullar.

Ao contrário das aves mais primitivas, como a Confuciusornis, a Ichthyornis dispar tinha um bico mais pequeno – o primeiro que se conhece com características modernas, tal com a ponta de uma pinça para agarrar, dar bicadas e manusear objetos.

“Os seus dentes afiados auxiliaram-na a agarrar as presas marinhas escorregadias, enquanto o bico incipiente na ponta das mandíbulas permitiu manipular objetos com uma boa destreza tal como as aves modernas, assim como alisar as suas penas”, explicou Daniel Field, paleontólogo na Universidade de Bath (Reino Unido).

Esta ave tinha cerca de 60 centímetros de envergadura de asas e comia, provavelmente, peixe e marisco. Partilhava os céus com os pterossauros quando os dinossauros dominavam a Terra. As aves com dentes, como a Ichthyornis dispar, desapareceram com os dinossauros devido à queda de um meteorito no Iucatão, no Golfo do México.

“A Ichthyornis mostra como a evolução é complexa e elegante, permitindo mudanças individuais e integrando enormes transformações”, conclui Bhart-Anjan Bhullar.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Casaco e guitarra de Kurt Cobain vão a leilão (e valem milhares de euros)

O casaco que o líder dos Nirvana usou no lendário concerto MTV Unplugged in New York vai ser leiloado, com um preço de venda estimado em 270 mil euros. Uma guitarra de Cobain pode ficar …

"50 sombras" da Idade Média. Páginas censuradas de um livro francês encontradas nos EUA

As páginas de um romance medieval foram descobertas nos arquivos da Diocese de Worcester, no estado norte-americano de Massachusetts.  Investigadores descobriram uma versão perdida de um romance medieval, que contém cenas eróticas. O poema francês - …

A tecnologia usada na Bitcoin também está a ser usada para encontrar o amor

Várias dating apps (aplicações de encontros) estão a recorrer ao blockchain para que os seus utilizadores possam encontrar a cara-metade de uma forma mais segura e transparente. O Tinder é provavelmente a dating app mais usada …

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …