McLaren P13 chega ao mercado e por fora é “made in Portugal”

mclaren.com

-

O novo McLaren P13, ou McLaren Sports Series, está a caminho do mercado e traz mão portuguesa em tudo o que é visível.

O centro português de excelência na área automóvel e aeronáutica Ceiia esteve “completamente imerso” no desenvolvimento das partes visíveis do modelo McLaren P13 que chegará ao mercado em 2015 e vai rivalizar com o Porsche 911s ou Ferrari California.

Depois de uma abordagem ao mercado, que incluiu o Centro de Excelência para a Inovação e Indústria, CEIIA, a marca automóvel começou por testar as capacidades do centro português para o desenvolvimento do projeto.

“Fizeram-nos um teste e pediram-nos para concretizar um projeto à margem daquilo que iríamos fazer lá, ou seja, tudo o que era visível no carro. E nós fizemos”, disse à Lusa o responsável pelo desenvolvimento dos novos produtos do Ceiia, José Silva, no âmbito de uma reportagem às instalações do centro, as atuais na Maia e as novas em Matosinhos.

ceiia.com

José Roque Silva, da divisão Automotive & Mobility do Ceiia

José Roque Silva, da divisão Automotive & Mobility do Ceiia

Entre Portugal e Inglaterra estiveram ao longo de 2012 e parte de 2013, seis técnicos do centro português como parte integrante de uma vasta equipa para o desenvolvimento dos painéis exteriores do novo modelo automóvel.

“Tivemos uma equipa totalmente imersa na estrutura da Mclaren, estivemos distribuídos em várias equipas, não éramos uma equipa à parte, trabalhávamos todos completamente juntos, com as mesmas tarefas. E depois, tivemos uma equipa cá em Portugal a dar o apoio para outros projetos que não eram necessários lá”, contou José Silva.

A parte “mais bonita” do carro, por ser a mais visível, afirmou José Silva, teve o envolvimento do Ceiia com base numa “engenharia sensível as questões estéticas” e “que foi muito respeitada e elogiada na McLaren”, mas “respeitou a definição do ‘designer’ principal” da marca, como notou José Silva.

Já a imagem do novo automóvel vai continuar por motivos de confidencialidade dentro das paredes da sala, onde José Silva lidera uma equipa de onde saem a criatividade e as ideias para a concepção de novos produtos.

Entre eles, está agora em desenvolvimento para o fabricante alemão Volkswagen um carregador de casa para veículos elétricos, cujo “ponto de destaque é a ligação à plataforma de mobilidade”, por sua vez, conectada aos serviços da cidade.

De acordo com o presidente do Ceiia, José Rui Felizardo, o novo sistema de carregamento ou gestão de energia é o primeiro sistema que permite a utilização direta de energia produzida a partir de casa, seja solar, fotovoltaica ou eólica, podendo por exemplo ligar e desligar máquinas, apenas através de um telemóvel.

José Silva exemplifica ainda: “Poderemos aí concentrar e retirar informação para esse carregador, estamos a falar em diferenciar a energia gasta para esse carregador, estamos a falar no caso de um trabalhador de uma frota poder carregar o veículo de uma determinada empresa em casa, mas essa energia ser paga pela empresa“.

A ligação do Ceiia à indústria automóvel remonta aos seus primórdios quando levou para Itália uma equipa e se consolidou como fornecedor de serviços de engenharia, desenvolvimento de produto, ‘design’ e produção da Fininfarina, há mais de nove anos.

Em 2006, o centro ganhou um novo impulso com o desenvolvimento do primeiro projeto de motorização elétrica Buddy, na Noruega.

O novo Centro de Aeronáutica do CEIIA, em Matosinhos, um investimento de 37 milhões de euros que vai gerar 150 novos postos de trabalho, está na fase de instalação de equipamentos e será inaugurado em outubro.

-

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …

Relógio em Nova Iorque mostra o tempo restante para reverter efeitos do aquecimento global

O Metronome, icónico relógio digital de Nova Iorque, deixou de mostrar o tempo do dia-a-dia e mostra agora o tempo restante que o nosso planeta tem para reverter os efeitos do aquecimento global. O relógio digital …