Jogo online ilegal. Desmantelado grupo que movimentou 80 milhões num ano

A GNR desmantelou um grupo com mais de 100 pessoas que vendia acessos a sites ilegais onde se podia apostar online em eventos desportivos e em jogos de fortuna e azar.

Na maior operação de sempre em Portugal no âmbito do combate ao jogo ilegal através de plataformas online e jogos de fortuna e azar, a GNR deteve 20 pessoas e pôs fim a um negócio que, só no último ano, rendeu 80 milhões de euros de receitas.

A investigação durou um ano e culminou na realização de 146 buscas domiciliárias e não domiciliárias só no primeiro dia de ação, na segunda-feira. Os resultados finais devem ser conhecidos até sexta-feira, anunciou a GNR em comunicado.

De acordo com as informações recolhidas, os detidos constituirão o topo de uma rede criminosa que envolveria mais de 100 pessoas que, pelo menos desde 2015, atuava em Portugal, Luxemburgo, Suíça, França, Bélgica, Brasil e Moçambique.

Destes, 19 vão ser presentes ao juiz de Instrução Criminal de Setúbal e o 20º será ouvido por um juiz de instrução criminal do Luxemburgo. Todos estão indiciados pelos crimes de associação criminosa, fraude fiscal e exploração ilícita de jogos.

Durante os dias da operação os militares efetuaram buscas em habitações, armazéns e, de acordo com o DN, em escritórios de advogados. Também no Luxemburgo foram realizadas buscas, além da detenção e da apreensão de 114 máquinas de jogo.

No primeiro dia da operação foram apreendidos 320 mil euros, 49 carros de média e alta gama, 339 computadores e tablets, 428 periféricos, quatro servidores e 10 armas de fogo e munições.

Cafés vendem passwords para apostas ilegais

A operação teve como objetivo colocar fim a uma prática que envolve a possibilidade de apostar em eventos desportivos em sites idênticos aos legalizados pelo Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos mas que são explorados de forma ilegal.

Nestes casos, o jogador compra um login à pessoa que administra a plataforma e fica com a possibilidade de aceder ao site e fazer vários tipos de apostas. Para conseguir a conta, o cliente paga entre 10 e 30 euros, verba que depois fica como crédito para as apostas. Caso acerte na aposta, o jogador recebe o dinheiro do administrador.

Estas plataformas ilegais por norma usam servidores colocados fora de Portugal, como era o caso do grupo agora desmantelado que tinha o servidor instalado no Luxemburgo. No entanto, na maior parte das vezes, essa estrutura está sediada em países asiáticos onde a legislação referente ao jogo é diferente.

São os jovens que mais apostam neste tipo de sites online preferindo os apostadores mais velhos as máquinas que são instaladas nos cafés.

Este negócio das apostas pela Internet em plataformas não autorizadas é uma das preocupações das autoridades fiscais, pois este é um negócio que não paga impostos.

Apostas de milhões de euros por dia

Nos primeiros meses do ano foram investidos mais de 1500 milhões de euros nas várias ofertas disponibilizadas pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e mais mil milhões nos sites legais.

Isto significa que, no primeiro semestre, foram gastos diariamente mais de 14 milhões de euros nas várias categorias de jogos legais existentes no país. Assim, cada português, em média, apostou 1,4 euros/dia.

Os três jogos de eleição para os portugueses são a Raspadinha (806 milhões de euros); Euromilhões (363 milhões, mas do pódio é o único a descer nas preferências dos apostadores) e Placard (268 milhões).

 

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Investir em peças de Lego é mais rentável que comprar ações

Hoje em dia qualquer coisa pode ser construída com Legos. Segundo um estudo de uma professora da Escola Superior de Economia da Rússia, há empresários que preferem investir nas famosas peças da Lego do que …

Sporting vs Moreirense | Bom arranque vale triunfo ao leão

O Sporting não quis deixar fugir os seus adversários directos na luta pelo título e também venceu nesta primeira jornada da segunda volta. Os “leões” receberam e bateram o Moreirense por 2-1, num jogo em …

Alemã tricotou o "cachecol dos atrasos do comboio" e agora vendeu-o por sete mil euros no eBay

A passageira alemã Claudia Weber vendeu no eBay o cachecol que tricotou durante um ano e que representa o longo tempo de espera pelo comboio que a levava ao trabalho, todos os dias. A peça é …

Duas irmãs fingiram ser homens para salvar a barbearia da família

Jyoti e Neha, irmãs de 18 e 16 anos, respetivamente, fingiram ser homens para salvar a barbearia da família, localizada no estado de Uttar Pradesh, Índia, depois de o pai adoecer em 2014 "Eu estava a …

Tesla anuncia novos despedimentos (e são mais de três mil)

O presidente executivo da Tesla afirmou que a empresa vai suprimir cerca de três mil empregos e alertou para o "caminho muito difícil que tem pela frente" para produzir carros elétricos do Modelo 3 acessíveis …

InSight da NASA prepara-se para ouvir a "pulsação" de Marte

A NASA publicou esta semana imagens do sismómetro da sonda espacial InSight, que se prepara para ouvir a "pulsação" do solo marciano.  A agência espacial norte-americana descreve regularmente através da sua conta no Twitter como …

"Africa", dos Toto, vai tocar para sempre no deserto da Namíbia

"Africa", a canção dos "Toto", hit desde que foi lançada, em 1982, está a tocar para sempre no meio de um deserto na Namíbia, no continente que lhe dá nome. A instalação artística, da autoria de …

Liv deixou a escola por causa do bullying. Hoje, aos 20 anos, tem um negócio milionário

A empresária Liv Conlon abandonou os estudos aos 16 anos porque sofria bullying, montou um negócio imobiliário e agora a sua empresa fatura mais de um milhão de libras por ano. Hoje, ajovem de Bothwell, na …

Há um avião abandonado no aeroporto de Madrid (e ninguém sabe quem é o dono)

O avião, um Mc Donnell Douglas MD87, é o único naquelas condições em Barajas. Procura-se o dono da aeronave que está em “evidente estado de abandono”, de acordo com o aeroporto. Há um avião esquecido no …

Trump cancela viagens de democrata Nancy Pelosi. "Apanhe um voo comercial"

Donald Trump obrigou a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, a desmarcar as viagens que tinha agendadas a Bruxelas e ao Afeganistão. Donald Trump usou o argumento do shutdown, a paralisação dos gastos …