Ser infetado com covid-19 “é como jogar na roleta russa”

Ser infetado com covid-19 “é como jogar na roleta russa”, diz o epidemiologista Manuel Carmo Gomes, avisando que continua a ser uma “péssima ideia”.

O epidemiologista Manuel Carmo Gomes concedeu uma entrevista ao jornal i, na qual admite que “continua a ser uma péssima ideia ser infetado com a covid-19”. De acordo com o perito, “é como jogar na roleta russa”.

Na semana passada, o Instituto Ricardo Jorge (INSA) detetou em Portugal “algumas dezenas de casos” da linhagem XBB do vírus que provoca a covid-19, mas apenas um foi classificado como sendo da sublinhagem XBB.1.5, associada a uma maior transmissibilidade.

“A recombinante XBB.1.5 é uma sublinhagem da linhagem XBB — uma das múltiplas linhagens da variante Ómicron —, a qual, tal como a própria XBB, se pensa estar associada à fuga ao sistema imunitário”, explicou esta quinta-feira à Lusa o investigador do INSA João Paulo Gomes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou estar a avaliar o risco da nova XBB.1.5, que está a propagar-se rapidamente em vários países, como os Estados Unidos, onde já representa cerca de 40% dos casos de covid-19.

Apesar do surgimento da nova variante em Portugal, Manuel Carmo Gomes considera que “a situação parece-me relativamente tranquila para Portugal, onde a maioria das pessoas já foi infetada e a cobertura vacinal é alta”.

“Estamos preocupado com as pessoas que, mesmo depois de recuperaram da fase aguda da doença, sentem-se fatigadas, têm dificuldade de raciocinar, no sono, patologia cardíaca, sequelas neurológicas, propensão para formação de micro-trômbolos”, acrescentou.

A líder técnica da OMS na resposta à covid-19, Maria Van Kerkhove, chegou mesmo a dizer recentemente que a XBB.1.5 “é a subvariante mais transmissível detetada até agora”.

“É de esperar que ela cá também cresça”, disse Manuel Carmo Gomes ao Expresso. Ainda assim, o professor na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa salienta que “não há evidência de que seja mais patogénica”.

“O vírus continua. Ele não desistiu de nós. Continua a evoluir”, atira o especialista.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.