Horta Osório foi à final do Euro 2020 em Wembley, violando as regras de quarentena

1

worldeconomicforum / Flickr

António Horta-Osório

Em julho, o banqueiro português António Horta-Osório foi com familiares à final do Campeonato Europeu de futebol, no Estádio de Wembley.

António Horta-Osório foi à final do Campeonato Europeu de futebol, em julho de 2021, no Estádio de Wembley, no mesmo dia em que violou as regras de quarentena para ir ver um jogo de ténis em Wimbledon.

Segundo o Financial Times, o banqueiro viajou para o Reino Unido numa altura em que a Suíça estava na “lista de âmbar” do país.

Isto significa que, todos aqueles que aterrassem no Reino Unido vindos da Suíça, tinham de fazer quarentena obrigatória de 10 dias.

O diário, que cita fontes conhecedoras do itinerário, revela que o banqueiro levou membros da sua família ao jogo, que foi inclusive classificado como um evento superspreader, ou seja, de grande propagação do vírus.

Nesse evento desportivo, terão estado 2.295 pessoas infetadas com covid-19, com mais 3.404 indivíduos a desenvolver a doença nos dias seguintes.

Em novembro, quando regressou à Suíça do Reino Unido e partiu depois para a Península Ibérica, Horta Osório voltou a quebrar as regras, ao não cumprir na totalidade a quarentena obrigatória de 10 dias.

A viagem incluiu uma visita a Madrid apenas três dias depois de ter regressado à Suíça, quando as regras obrigavam a uma quarentena de 10 dias.

Além de ter estado com Florentino Pérez, presidente da gigante da construção e engenharia ACS e do Real Madrid, o banqueiro foi também ao edifício do Banco de Espanha para reuniões com responsáveis do banco central nacional espanhol.

O Presidente do Credit Suisse Group demitiu-se depois de nove meses no cargo, após quebrar medidas de prevenção contra a covid-19 na Suíça e Reino Unido.

A saída do português aconteceu após uma investigação do próprio Credit Suisse Group, com sede em Zurique. O banco nomeou um membro da direção, Axel P. Lehmann, como substituto de Horta-Osório, com efeito imediato.

  ZAP //

1 Comment

  1. Xiiii… que situação dramática…
    Deve ter sido mesmo a coisa mais grave feita por alguém desse banco – dos maiores da máfia bancária Suíça!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE