Há um prisioneiro em Guantánamo que se recusa a sair

O iemenita esteve preso durante 14 anos na polémica prisão norte-americana e, agora que lhe foi concedida a liberdade, recusa-se a sair por ter medo de começar uma vida nova noutro país.

Muhammad Bawazir passou os últimos 14 anos da sua vida fechado na famosa prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba. Recentemente, o recluso teve oportunidade de abandonar o estabelecimento prisional para sempre, tal como fizeram outros dois presos, mas decidiu ficar, segundo conta a BBC.

Bawazir chegou a Guantánamo ainda com 21 anos de idade, depois de ter sido preso no Afeganistão. Durante o longo período na prisão, o iemenita, agora com 35, protagonizou várias greves de fome, chegando a pesar 41 quilos e a ter de ser alimentado à força pelas autoridades.

Em 2008, Bawazir viu a sua libertação ser aprovada, algo que nunca chegou a acontecer porque Washington recusava enviar prisioneiros de volta para o Iémen, por receio que alguns voltassem a representar uma ameaça para o país.

Hoje, continua a não ser possível enviar reclusos para o país árabe porque se encontra a meio de uma guerra civil. Como tal, foi-lhe dada a oportunidade de ser transferido para um outro país que aceitou acolhê-lo.

Bawazir recusa essa opção porque não tem parentes nesse país e, por isso, não tem garantias de poder recomeçar uma nova vida.

Ninguém percebe a atitude do recluso iemenita, nem mesmo o seu advogado, John Chandler, que diz ter passado os últimos meses a tentar convencê-lo a deixar o centro de detenção.

“Ele está apavorado por ter de ir para um país onde não tem apoio garantido”, explica o advogado.

“Não consigo explicar a decisão dele. É simplesmente uma reação extremamente emocional de um homem que está preso há 14 anos”, lamenta.

“Sempre foi muito sensível. Quando estava em greve de fome dizia que só queria morrer”, afirma Chandler, que chega a compará-lo com a personagem do filme “Os Condenados de Shawshank”.

As autoridades americanas não dizem qual o país que aceitou acolher Bawazir mas, na opinião do advogado, é um sítio para o qual “iria sem pensar duas vezes”.

Perante a sua decisão, ainda há dúvidas de qual será o futuro do prisioneiro. O advogado está preocupado com a situação, sobretudo quando Barack Obama deixar a Casa Branca.

O atual presidente norte-americano desde sempre se mostrou interessado em encerrar a polémica prisão, algo que tem sido sempre difícil de concluir.

“É cara, desnecessária e serve apenas como uma propaganda de recrutamento para os nossos inimigos”, afirmou Obama no seu último discurso do Estado da União.

Apesar disso, o número de presos na base caiu nos últimos anos de 242 para 91, um número que hoje poderia ser 90, caso Bawazir não se tivesse recusado a abandonar a prisão.

ZAP / BBC

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • Não admira… O mal que lhe fizeram durante todos os anos; e depois querem enviá-lo para outro país que não o seu… e sem familiares… E ainda o advogado diz não compreender… “iria sem pensar duas vezes”… Então que vá! Mas obrigado e sem poder voltar ao país de origem! Será que ainda ia?…
      Tipico de americano… Fazem mer… e depois acham que resolvem tudo soltando o homem…

RESPONDER

Julgamento de Rui Pinto arranca dia 4 de setembro

O pirata informático português Rui Pinto vai a julgamento no dia 4 de setembro, escreve a Sábado. O alegado autor do Football Leaks responde por 90 crimes de acesso indevido, violação de correspondência, acesso ilegítimo, …

PCP anuncia voto contra no Orçamento Suplementar

Apesar da abstenção na votação inicial, o PCP anunciou que vai votar contra o Orçamento Suplementar na votação final marcada para esta sexta-feira. "Concluída a votação na especialidade verifica-se que os aspetos negativos da proposta do …

Figura em pedra com mais de dois mil anos descoberta em Miranda do Douro

O acaso colocou a descoberto em Duas Igrejas, no concelho de Miranda do Douro, uma figura zoomórfica que representa um berrão (porco) e que os arqueólogos datam entre os séculos IV e I a.C., foi …

FBI prende Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Jeffrey Epstein

A ex-namorada de Jeffrey Epstein, Ghislaine Maxwell, foi esta quinta-feira detida pelo FBI. A mulher de 58 anos é acusada de ajudar a montar uma rede de tráfico de mulheres. O FBI deteve, esta quinta-feira, Ghislaine …

Polícia italiana apreendeu 14 toneladas de anfetaminas. Droga foi produzida pelo Estado Islâmico

As autoridades italianas apreenderam na quarta-feira 14 toneladas de anfetaminas produzidas na Síria por membros do Estado Islâmico, cujos lucros serviriam para reativar as suas operações. "É um facto que o Daesh [Estado Islâmico] utiliza a …

Câmara de Lisboa defende fim do financiamento público às touradas

A Câmara de Lisboa defendeu hoje a criação de legislação que impeça o financiamento público de espetáculos que "causem sofrimento animal", salientando que as touradas incluem "atos de violência". Numa moção “pelo fim de espetáculos com …

Acordo entre Neeleman e Governo já só depende da confirmação da Azul

O acordo entre David Neeleman e o Governo está prestes a concretizar-se, escreve o Expresso. Aparentemente já só falta a confirmação da Azul para garantir o acordo. Depois de a nacionalização da companhia ter sido dada …

Medina recua e diz que "há convergência total" com Governo no combate à pandemia

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse hoje que “há convergência total” com o Governo no combate à pandemia de covid-19, recusando que as críticas que fez à atuação das autoridades de saúde …

Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN

O PAN considera que "o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar", ainda que apresente fragilidades como a "invasão da vida pessoal". O PAN agendou para sexta-feira …

PSP também queria prémio semelhante ao dos profissionais de saúde

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP) manifestou-se esta quinta-feira “desiludido” com “a falta de respeito” que o Governo demonstra em relação à PSP e a outras forças de segurança que estão na “linha da …