Google vai bloquear anúncios em conteúdos que neguem alterações climáticas

2

(cv)

A Google deixará de permitir que os anúncios comprados na sua plataforma sejam exibidos em conteúdos online que neguem as alterações climáticas, uma proibição que também se aplicará ao YouTube.

A proibição aplica-se a “conteúdos que contradizem o consenso científico bem estabelecido em torno da existência e causas das alterações climáticas“, anunciou a Google, esta quinta-feira.

Segundo avança o Wall Street Journal, a decisão da multinacional — que fatura cerca de 147 mil milhões de dólares em receitas publicitárias  — também se aplica a qualquer conteúdo que negue que a atividade humana ou as emissões de gases com efeito de estufa contribuam para as alterações climáticas.

A iniciativa da Google visa cortar uma importante fonte de receitas para quem fornece desinformação sobre as alterações climáticas.

Para isso, será usada uma “combinação de ferramentas automatizadas e de análise humana” que visa impor a nova política, disse um porta-voz.

A Google é o principal fornecedor de ferramentas de compra e venda de anúncios online — quer se destinem às próprias plataformas da Google ou ao resto da web. Em 2021, prevê-se que a empresa venha a assumir 29% dos gastos globais com anúncios digitais, segundo a eMarketer.

Durante vários anos, a Google proibiu a publicidade em determinados conteúdos considerados enganosos para o público, incluindo desinformação cívica, desinformação sobre a pandemia da covid-19 e alguns conteúdos relacionados com menores.

Um relatório da NewsGuard, uma empresa que rastreia e classifica sites de notícias, afirma que mais de quatro mil marcas compraram anúncios em sites que publicam desinformação sobre a covid-19.

“Na maioria dos casos, os anúncios foram provavelmente inadvertidos, colocados por algoritmos em plataformas de compra programática como o DV360 da Google, em vez de intencionalmente pelas marcas envolvidas”, disse a NewsGuard.

O porta-voz da Google disse que a empresa toma frequentemente medidas quando se verifica que o conteúdo está a violar as suas políticas, observando que a Google removeu anúncios de “milhares de sites” só no último mês.

Outras empresas tecnológicas, incluindo a Facebook Inc., também instituíram políticas para limitar a disseminação e a monetização da desinformação nas suas plataformas.

A nova política da Google entra em vigor dentro de 30 dias.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  ZAP //

2 Comments

  1. tambem existe uma Minoria ,alguns milhares de cientistas que discordam que as alteraçoes climaticas sejam provocadas pela poluiçao ,como a maioria tem uma opiniao diferente , Vao silenciar as minorias ! Erradas ou nao ! estao a tratar a populaçao Geral como Crianças ! mais um pontape na democracia ! por esta logica Acaba-se com os Pequenos partidos politicos ,sao Minorias

  2. A ciência está a acabar.
    Quando se impõem teorias sem fundamento científico plenamente comprovado e se proíbe a discussão de ideias diferentes com bases e factos concretos, entra se em DITADURA e acaba o progresso científico.

    As grandes big tech estão a impor métodos exatamente iguais aos de Hitler e Estaline.
    Apenas o enorme progresso tecnológico é diferente.

    Milhares de cientistas negam esta treta do perigo do aquecimento global…se existe.

    Centenas de cientistas lol defensores dos perigos do aquecimento loool foram apanhados a mentir, aldrabar números e cálculos e a receber subornos de MÁFIAS.

    É mesmo assim, continua a palhaçada.

    Enfim, acabou a ciência….séria

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.