A crise reduziu a mortalidade na Europa (especialmente em Portugal e Espanha)

Paulo Novais / Lusa

A recessão económica que começou em 2008 na Europa contribuiu para a queda da mortalidade em todos os países do Velho Continente analisados. É a conclusão de um estudo que constata que nos países onde mais se viveu a crise, como Portugal, Espanha e Grécia, a redução do número de mortes foi ainda maior.

Os autores do estudo publicado na revista científica Nature Communications analisou os dados da mortalidade na Europa entre 2000 e 2010, concluindo que a crise económica que começou em 2008 levou a uma queda no número de mortes de forma generalizada.

A investigação liderada por Joan Ballester, do Instituto de Barcelona para a Saúde Global (ISGlobal), constata que a ligação entre a descida do PIB (Produto Interno Bruto) e a queda da mortalidade “ajustada ao envelhecimento” é tão evidente que nos países onde houve maior recessão, como Portugal, Grécia e Espanha, também se verificou uma maior queda nas mortes.

“O efeito é praticamente imediato“, considera Ballester em declarações ao El País, frisando que a conclusão é “geral para toda a Europa”, ainda que haja países que “reflectem pior essa relação, como o Reino Unido e a Holanda”.

A análise aos anos posteriores à recessão denota que quando o PIB começa a subir, com a recuperação económica, a queda nas mortes pára e começam logo a verificar-se algumas subidas.

Estes resultados prendem-se com factores como a falta de emprego que leva as pessoas a terem menos dinheiro para consumir álcool e tabaco, por exemplo.

Por outro lado, a crise despoletou uma grande vaga de desemprego no sector da construção civil, uma das áreas mais afectadas por acidentes de trabalho, alguns dos quais mortais.

Havendo menos dinheiro também se compram menos carros e motas e há uma tendência maior para usar os transportes públicos, pelo que os acidentes de viação diminuem.

A crise contribuiu ainda para a diminuição da poluição devido à queda na actividade industrial e no transporte de mercadorias.

“Em períodos com altas taxas de desemprego, as pessoas melhoram os seus hábitos de vida – reduzem o consumo de tabaco e o excesso de peso e fazem mais exercício físico“, constata ainda a presidente da Associação de Economia da Saúde (AES) de Espanha, Laura Vallejo-Torres, no El País, referindo a diminuição das mortes por doenças cardiovasculares.

Apesar da queda evidente nas taxas de mortalidade, Vallejo-Torres atesta que falta ainda avaliar as consequências de “longo prazo” da recessão económica. O estudo não abarca “o período de tempo necessário para poder observar os efeitos que serão derivados das repercussões sociais da crise, tais como o aumento das taxas de pobreza e de risco de exclusão social”, atesta esta responsável.

“Além disso, uma redução na mortalidade pode ser acompanhada por um aumento nas desigualdades socio-económicas” e “não é incompatível com um agravamento de certos sectores mais vulneráveis da população”, alerta ainda Vallejo-Torres. Como exemplo aponta a “população imigrante em situação irregular que sofreu um aumento da taxa de mortalidade de cerca de 15% devido às medidas implantadas durante a recessão económica, que incluíam a retirada do cartão de saúde a este grupo”.

Convém notar que as mortes por suicídio fogem à regra do estudo, embora este não se tenha debruçado sobre este ponto em particular. “As pessoas com uma depressão ou que não estejam bem podem reagir pior” perante a crise, conclui Ballester.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …

“É a desilusão”. PSD queria novos ministros na Saúde, Educação e Justiça

  O PSD defendeu esta quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …

Dobradinha poderá render 1,6 milhões de euros a Bruno Lage

Caso consiga alcançar a dobradinha, isto é, vencer o campeonato e a Taça de Portugal, o treinador do Benfica, Bruno Lage, receberá em prémios cerca de 1,6 milhões de euros brutos, avança a imprensa desportiva. A …

Lisboa aumenta seis vezes IMI de prédios devolutos nos centros

A Câmara de Lisboa vai aumentar, em 2020, seis vezes a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para os prédios devolutos nas zonas de maior pressão urbanística, anunciou esta quarta-feira o vereador das Finanças, …

Polícia entrou na federação de futebol da Bulgária e deteve cinco pessoas

Já depois de Borislav Mihailov se ter demitido da presidência da federação da Bulgária, uma unidade da estrutura policial que luta contra o crime organizado no país entrou esta terça-feira na sede da federação, em …

Família holandesa vivia há 9 anos numa cave à espera “do fim dos tempos”

A policia holandesa encontrou uma família de seis pessoas na cave de uma quinta no nordeste do país, onde viviam em isolamento há nove anos e, segundo a imprensa, esperavam “o fim dos tempos”. A polícia …

Kim Jong-un subiu montanha sagrada a cavalo (e deixou a Coreia à espera de um grande anúncio)

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, foi ao monte Paektu, a montanha considerada sagrada pelos norte-coreanos, dar um passeio a cavalo. As imagens foram divulgadas pela agência estatal KCNA, tendo surgido especulações de que virá aí …

Uma questão de físico. Já se sabe porque o Manchester United desistiu de João Félix

Foi a "falta de físico" que afastou João Félix do Manchester United. O clube inglês ponderou contratar a jovem estrela do Benfica, antes da sua mudança para o Atlético de Madrid, mas acabou por desistir …